Familiares das vítimas da boate Kiss querem transferir casos judiciais para a PF, MPF e Justiça Federal

Amigos e familiares dos 242 mortos na boate Kiss, em Santa Maria, decidiram abrir dois novos fronts na Justiça, em nível federal. Eles promovem reuniões em Brasília com o objetivo de retirar da Justiça gaúcha a competência de julgar o caso.


A ideia é levar a investigação do desastre para a esfera federal. 

Já aconteceram três encontros entre a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) e a Procuradoria-Geral da República (PGR), o primeiro em 3 de maio de 2016, com a presença do procurador-geral, Rodrigo Janot. Após a reunião, foi destacado para o caso o procurador federal Ubiratan Cazetta, do Pará, especialista em casos de equívocos dos ministérios públicos estaduais. Um procedimento preparatório de incidente de deslocamento de competência, termo técnico para a avaliação da retirada do caso da alçada da Justiça do Rio Grande do Sul, foi aberto.

6 comentários:

Anônimo disse...

esses parentes Polibio, vamos ser sinceros, sao pessoas interioranas, pessoas de pouca instrucao, coitadinhos. Eles tem de levar esse caso a um tribunal internacional, pois isto foi genocidio,

Anônimo disse...

Em se tratando de MP a alta Maçonaria é quem decide. Portanto vai dar em nada. Lembram da votação do duodecimo do Judiciário aqui no RS? Quem decidiu o jogo a favor dos maçons; desculpa, do judiciário, foram os maçons.

Anônimo disse...

Isto seria muito bom, creio que existam coisas ainda não contadas.

Conservadora liberal disse...

Qta ignorância, pq são pessoas do interior, são pessoas de pouca instrução? Pelo amor de Deus, quer dizer que quem mora na capital tem mais instrução? Quem mora em cidades grande só sabe andar de metro melhor, isso n que dizer que tenham mais conhecimento. como tem gente burra e infantil nesse mundo.

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Quanto ao absurdo ocorrido em Santa Maria em que em minha ótica pessoal agentes do MP realmente deixaram de lado alguns bandidos que deveriam sim ter sido julgados. Em outros países quando da ocorrência de sinistros como esse Prefeitos foram imediatamente para a cadeia. Aqui ao contrário o então Prefeito penso tenha sido protegido e hoje está enfiando os pés pelas mãos como titular da SSP. Não fosse a generosidade do filósofo/humorista caxiense que com dinheiro dos contribuintes dá a ele um emprego por certo ainda estaria na fila do SINE por razões óbvias.
As AUTORIDADES POLICIAIS, Delegados de Polícia que conduziram as investigações foram absolutamente imparciais. Porém quando os inquéritos caíram nas mãos dos agentes do MP algumas coisas foram mudadas e penso que para pior.

Anônimo disse...

Todas as discussões cairão no mais absoluto vazio !