Artigo, Marcelo Auler - Pedro Roso: omissão do Estado, fracasso da Justiça e uma vida esvai-se

Nos seus 52 anos de vida, Pedro Antônio Roso, gaúcho, dedicou 22 à defesa dos interesses do Estado Brasileiro. Formado em Direito pela Universidade de Passo Fundo, em 1994, por concurso, tornou-se procurador do INSS. No cargo, defendeu os interesses do Instituto. Cinco anos depois, aprovado para o Ministério Público Federal, passou a trabalhar em prol da sociedade e do Estado, inclusive em casos que ficaram famosos.

Não escondia a sua formação de esquerda, da época de faculdade, quando militou no movimento estudantil. Mas quem o conheceu lembra, principalmente, de sua coragem, da sua dedicação e, em especial, seu lado humanitário. Foi capaz, por exemplo, de bancar o aluguel de uma residência em Canoas para refugiados enquanto a prefeitura do município não resolvia o problema dos imigrantes/desalojados.

Nos últimos 60 dias de sua vida, Roso precisou do Estado e da Justiça. A omissão de um e o fracasso da outra acabaram por lhe tirar a vida. Preso, desde 2 de setembro, preventivamente, estava na carceragem em Porto Alegre da Superintendência da Polícia Federal do Rio Grande do Sul. Acusado de violência sexual contra uma ex-companheira, da qual estava separado há mais de ano, ele vivia um surto psiquiátrico, tal como ocorreram no passado algumas vezes. Mas não contou com ajuda médica.

 Recolhido a uma cela, estava sob a tutela do Estado. Por três vezes tentou o suicídio, sem êxito, como relataram parentes a amigos dele. Porém, nenhuma providência foi tomada para que o fato não se repetisse. A última tentativa foi em 31 de outubro. Naquele mesmo dia, como de hábito, seu filho, Pedro Guilherme Farias Roso, ligou para a superintendência do DPF em busca de notícias do pai. Mas, ao contrário das vezes anteriores, não conseguiu falar com ele. Alegaram que estava tudo bem, porém não poderiam chamá-lo ao telefone. Na tarde seguinte, 1 de novembro, seu irmão, o deputado estadual Juliano Roso (PCdoB), foi informado de sua morte. Enforcou-se usando a cintura da sua calça que, não se sabe como, conseguiu cortar.

CLIQUE AQUI para ler mais no site de Marcelo Auler.

21 comentários:

Anônimo disse...

É parece que pf tem culpa mesmo de um marginal com cargo importante se suicidar. Se fosse um trabalhador marginal seria dada a mesma importância?

Anônimo disse...

Desculpa dizer isto; Mas toda a desgraca para esquerdistas, e' pouca! Eles merecem estas desgracas. Quanta gente boa ja nao morreu por causa dos Ideais de esquerda? Bandido e' vitima, lotam diretoria de hospitals e nada de investimentos para tratamento medico. Aqui se faz, e aqui se paga. E que queimem no inferno. Desculpe ele ser seu amigo. Mas justica poetica.

Ricardo disse...

Muito bem.
Esta notícia, é apenas uma fração da omissão.
Para a classe média, governo é algo muito distante. Paga saúde, educação e segurança, todos em dobro.
Para estes, que eufemisticamente são chamados de contribuintes,
o estado brasileiro é o agente arrecadador.
Veja-se como são tratados na fila do INSS, da Prefeitura, do Hospital. Escolas públicas, há muito tempo não ensinam mais.
A professora é "tia". Aluno passa de ano, automaticamente. Dentro de casa, todos trancados.
Estado´, via de regra, falido. Mas paga salário de R$ 278.000,00 para gente que sabe como se remunerar. Este estado, não apresenta a menor disposição de se arrumar. O que paga de salários, reduzir a níveis aceitáveis, nunca. O ajuste do estado é sempre em cima de serviços que presta, ou deixa de prestar. Pelo lado da receita, sempre aumenta impostos, e nunca é suficiente.
Basta. Isto tem de ter fim.
A sociedade precisa ter controle do estado!

Anônimo disse...

SERIA IMPORTANTE O PRONUNCIAMENTO DA JUSTIÇA FEDERAL E DA POLÍCIA FEDERAL.

MAS, ISSO NÃO OCORRERÁ, POIS ELES NÃO FALAM SÓ FAZEM ESCUTAS!!!

sao paulo disse...

só podia ser comuna

Anônimo disse...

Se este cidadão tinha problemas psicológicos por qual motivo não foi afastado, mas por ser uma "autoridade" foi esquecido seus surtos psíquicos, será que as pessoas e os servidores que se submeteram ao seu temperamento psicótico teriam sido protegidos deste cidadão. Com todo respeito, lugar de pessoas desequilibradas é em instituições psiquiátricas e não no MPF.

Anônimo disse...

E desde quando o Estado é culpado quando bandido se mata? É só o que me faltava!

Anônimo disse...

Ah! Tem dó. Não contou com ajuda médica? Onde estavam a família e os amigos dele? Por ocasião da estadia na PF e, ao menos, nos últimos dez anos em que ele manifestava conduta inapropriada, inclusive em seu ambiente de trabalho? Fato: sua experiências estudantis afetaram o seu discernimento. E, se sabidamente com problemas psiquiátricos, por que os familiares não tomaram atitudes para que ele se tratasse?
Não foi o primeiro e sem será o último a achar que a vida não vale a pena. Por convicção ou por doença.Se o suicídio fosse em casa, a quem culpariam?
Será que a PF deveria ter deixado ele nú para que não atingisse seu intento?

Anônimo disse...

E desde quando o Estado é culpado quando bandido se mata? É só o que me faltava!

Mordaz disse...

Culpa do Estado não, dos operadores da justiça. Destes que recebem bem acima dos outros para trabalharem bem. Muito acima. Por exemplo, ele não tinha advogado?

Anônimo disse...

Se matou ao invés da deges a. Ai tem...

Ariel disse...

Tragédias não se comenta, se lamenta....Somos seres humanos e temos nossas virtudes, nossos defeitos e, lamentavelmente, uma vida que se vai....

Anônimo disse...

A culpa é do Trump e do FHC. Captou?
Esther

Anônimo disse...

Coitadinho. E as outras mulheres que foram estupradas ?

Anônimo disse...

Este deve ser um daqueles da música do saudoso Bezzera da Silva: "Você com um revólver na mão é um bicho feroz; sem ele anda rebolando e até muda de voz"!

Anônimo disse...

E O POVO PODE RECLAMAR DA OMISSÃO DAS AUTORIDADES COM O DESCASO DA INSEGURANÇA?

TODOS SOMOS REFÉNS DE BANDIDOS E NEM POR ISSO PROCESSAMOS O ESTADO.

SE ELE SE MATOU PROBLEMA DELE.

PEDÓFILO E ESTUPRADOR TEM QUE COMEÇAR A PAGAR NESTE PAÍS

Anônimo disse...

ainda bem q os vermelhos foram varridos nas urnas- adeus rede, psol, pdt e pt nanicos

Anônimo disse...

Putz, defender estuprador como herói é fogo!

Nani disse...

Sem comentários...

Nani disse...

Menos um... já vai tarde!!!
Aliás... fez justiça com as próprias mãos... coisa que o Estado não faz!!!

Anônimo disse...

Fosse esse cidadão uma pessoa comum da plebe, ninguém daria a mínima para o suicídio. A República já foi proclamada, mas falta ainda instaurá-la.