No Futurecom, presidente da Oi fala sobre o futuro da companhia

O presidente da Oi, o gaúcho Marco Schroeder, afirmou nesta quarta-feira, ter convicção de que a companhia chegará a um acordo com seus credores no âmbito do processo de recuperação judicial. "Tenho convicção de que vamos conseguir equacionar essa dívida", ressaltou, durante debate no Painel dos Presidente no Futurecom, evento que reúne representantes do setor, em São Paulo.

De acordo com Schroeder, a possibilidade de a empresa se desfazer de ativos no país só aconteceria dentro de um prazo de no mínimo dois anos, após o equacionamento da dívida da empresa, superior a R$ 65 bilhões atualmente. “Pode se falar em consolidação, em venda de ativos,  mas acho que é algo para daqui a dois, três anos”, destacou. 

No Futurecom, a Oi lançou dois novos serviços para o mercado B2B: "Oi Smart e Telepresença".

- "Oi Smart", plataforma de serviços de automação que se baseia no conceito de Internet das Coisas. A ideia é que a Oi Smart seja o quinto P da operadora que quer ser reconhecida como uma 5play, somando a IoT aos serviços de telefonia fixa, móvel, banda larga e TV por assinatura;

- "Telepresença", uma parceria com a Cisco para evolução do Serviço de Telepresença no Brasil, com a integração da nova plataforma Cisco Spark Cloud. A novidade permitirá aos usuários utilizarem salas virtuais permanentes, criando um ambiente simplificado para interagir de dentro das suas empresas com fornecedores e clientes.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não entendi bem.
Deixa ver:Qual é mesmo o futuro da OI?

Anônimo disse...

Pena que seus serviços são péssimos. Falo como seu cliente