Bairro Petrópolis - 16 dias depois, 14h19min deste domingo, prefeitura começa a recolher as sobras das árvores abatidas pelo temporal

16h29min, rua Dario Pederneiras, bairro Petrópolis, Porto Alegre. 


16 dias depois do temporal que se abateu sobre Porto Alegre no dia 29 de janeiro, a indolente e gorda administração do prefeito José Fortunati finalmente começa a recolher galhos, troncos e restos das árvores que caíram nas ruas do bairro Petrópolis.

Estava tudo amontoado há quase meio mês sobre calçadas e ruas.

A foto ao lado foi tomada com o iPhone do editor.

Como o caminhão não possui identificação de repartição, o editor imagina que homens e máquina são de alguma empresa terceirizada.

O caso da Dario Pederneira, local da foto, não é exceção.

A prefeitura alega que 3 mil árvores foram abatidas na cidade. É um número mínimo quando comparado ao universo de 1,3 milhão de árvores existentes

5 comentários:

Diogo Zaddor disse...

Funcionário público trabalhando domingoooo?!

RONDO disse...

Políbio, vamos investigar onde andam as dezenas de ONG's ditas ambientais, que mamam o nosso dinheiro. Voê viu elas se prontificarem e agirem para ajudar na remoçaõ dos "individuos arborteos" que se feriram no temporal. Essa é outra máfia que de ONGs não tem nada só fachada e saõ usadas para lavagem de dinheiro.
Joel

Anônimo disse...

Enquanto isto no sabado as equipe do DMLU cortavao graminias na terceira perimetral com uma equipe de dez homens,acho que as capinas poderiam ser suspensas temporariamente ate a cidade voltar ao normal.Mas parece que o superavit nas financias de Porto Alegre os recurssos estao sendo guardado para campanha politica.O Andre Carus do DMLU e dicipulo do Zachia aquele que passou uma temporada no Hotel do Partenon so tem olhos para esposa CC nas finanças do DMLU.Radicalizar pela direita ou esquerda a populaçao nao aguenta mais.

Anônimo disse...

AQUI NO BAIRRO MEDIANEIRA AO LADO DA SEDE DO DMLU ESTÁ TUDO NAS CALÇADAS E VARRIÇÃO A MAIS DE DOIS MESES QUE NÃO VEMOS...ACHO QUE O DIRETOR NÃO SAI DO GABINETE...RESTA SABER SE A FIRMA ESTA RECEBENDO.

Anônimo disse...

Perguntar não ofende: Qual o bairro que o editor mora ou trabalha?