Governo gaúcho descobre que tem 200 terrenos no Paraná

A jornalista Taline Oppitz, Correio do Povo, passa neste sábado uma informação surpreendente para os leitores do jornal:

- O governo gaúcho possui 200 terrenos no município de Tapíra, Noroeste do Paraná.

Aconteceu que gaúchos que foram colonizar a região no início do século passado, tomaram financiamento do Banco Pelotense, não pagaram e os terrenos foram para o banco, mais tarde encampado pelo Banrisul, que os repassou para o governo do Estado.

Ninguém sabia da existência da propriedade, que ainda precisa de regularização.

Este caso de desordem administrativa não é exceção no governo do RS e nem é obra de Sartori, mas apenas mais uma das heranças malditas que recebeu.


7 comentários:

Emmanuel disse...

Não sei, não!!
Mas acho que os terreninhos podem ter virado alvo de usucapião!

Anônimo disse...

Ótimo trabalho da jornalista. Tomara que mais jornalistas como ela descubram e divulguem os outros milhares de imóveis do Estado, perdidos e esquecidos por todos os lados. E tomara que o coitado do Sartori e seus assessores tenham a coragem para vender tudo o que não seja necessário e realmente essencial para a gestão eficiente e produtiva do governo do Rio Grande do Sul.

Anônimo disse...

Ué, nem a Stela Farias - aquela sábia professora - sabia dos terrenos. Ficou lá por 4 anos e não se deu conta dos registros???? Quando assumiu a Secretaria disse que iria vender todos os terrenos e prédios que o Estado tinha, mas no final não fez nada........Pobre povo!!!!!!!!

Anônimo disse...

Mas como assim herança maldita? Eu adoraria descobrir que herdei 200 terrenos no Paraná. Se ninguém quer eu faço o sacrifício e assumo as propriedades então. Manda o Sartori falar comigo, Políbio.

Anônimo disse...

Deve ter até dinheiro que Sartori não 'descobriu' ainda, ou não revela.

Anônimo disse...

Depois que o 'corpo a corpo' acomodou todos e impostos foram aumentados, começam a 'aparecer' bens e outras coisitas do Estado.

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Necessário esclarecer que terras públicas, ou seja, pertencentes ao Poder Público não podem ser usucapidas.
Sartori não é o inocente que dele queres fazer Políbio, deputado do Britto naquele devastador Governo que legou aos futuros governos passivo de quase DEZ BILHÕES EM PRECATÓRIOS que agora o safado Sartori não quer pagar. Ele é a reedição do Britto, apenas.