Capitalismo de Compadrio: Enquanto a República não cai, Odebecht lidera com 41% os empréstimos do BNDES

Esta reportagem assinada Felipe Melo França mostra que a prisão preventiva de Marcelo Odebrecht, presidente do grupo Odebrecht, um dos maiores conglomerados do Brasil é um momento único na história do país.  Para alguns é mais um dos excessos autoritários do juiz Sérgio Moro. Para outros, é o ínicio do fim do “capitalismo de compadrio”.

Ao lado, lista de empresas e valores alcançados pelo BNDES.

Saiba mais. Leia tudo, aqui:

Capitalismo de compadrio (crony capitalism) é um termo que descreve uma economia em que o sucesso nos negócios depende de relações estreitas entre empresários e o governo. O compadrio pode ocorrer através do favoritismo nas licitações, concessões, empréstimos, subsídios do governo, isenções fiscais ou outras formas de intervencionismo estatal. Neste ponto, não haveria maior ícone para o capitalismo clientelista que a relação Odebrecht-Brasília.

Alimentada pelo governo brasileiro, a Odebrecht conta com Lula como seu principal lobbysta e o estado brasileiro como seu principal cliente, financiador e sócio. De acordo com o Portal da Transparência, apenas em gastos diretos da União, a empreitera recebeu R$ 1,1 bilhão de reais no ano passado. Com a Petrobrás, são mais de 17 bilhões de reais em contratos. Mas há ainda mais – e o BNDES é a caixa preta.

Entre 2009 e 2014, a Odebrecht recebeu US$ 5 bilhões para financiar suas exportações (“pós-embarque”) a governos e empresas estrangeiras. Este valor corresponde a 41% de todos os empréstimos do período  e apenas é comparável aos empréstimos à Embraer, com US$ 4,9 bilhões (40%). Logo depois, três outras construtoras: Andrade Gutierrez (US$ 802 milhões, ou 7%), Queiroz Galvão (US$ 254 milhões, ou 2,1%) e Camargo Corrêa (US$ 216 milhões, ou 1,8%).

bndes_exterior
50 maiores beneficiários do BNDES (empréstimos voltados a exportação)
Os US$ 5 bilhões recebidos do BNDES têm como lastro 35 contratos para financiar obras de infraestrutura. Com 32 governos estrangeiros como clientes, as obras da Odebrecht incluem o porto de Mariel, em Cuba, e o metrô de Caracas na Venezuela. Além de hidrelétricas, gasodutos, rodovias, obras de saneamento, aeroportos, linhas de transmissão em Angola, Argentina, Equador, República Dominicana e outros países.

Mas isso não é tudo. Os créditos do BNDES continuam uma caixa preta. A lista acima não inclui o crédito para fabricação e exportação de produtos (“pré-embarque”) que entre 2009 e 2013 atinge o montante de US$ 26 bilhões. Essa informação não é divulgada pelo BNDES.


O juiz federal Sérgio Moro e a Operação Lava Jato podem sim ter cometido excessos. O devido processo legal é para todos e deve ser respeitado. Mas algo ninguém há de negar: Petrobrás, Odebrecht, BNDES e Brasília têm muito o que explicar. Inspirada na Mani Pulite – mega-operação que desmoronou a máfia e a corrupção italiana – a tática de Moro é apostar na prisão preventiva e delação premiada para acabar com todo a rede e alcançar os inalcançáveis. Tem funcionado. Conforme a Revista Época, Emílio Odebrecht deixou seu recado: “Se prenderem o Marcelo (filho de Emilio e atual presidente da empresa), terão de arrumar mais três celas: uma para mim, outra para o Lula e outra ainda para a Dilma.

6 comentários:

Anônimo disse...

QUANDO EMPRESA PAGA MATÉRIA JORNALISTICA DIZENDO QUE PRISÕES SÃO UMA AFRONTA, ESTAMOS JÁ ESTADO DE SÍTIO. SITIADOS POR CORRUPTOS CERTOS DE SUAS INPUNIDADES.

ESPERAMOS QUE OS EUA ENTREM REALMENTE NESTAS INVESTIGAÇÕES.

MESMO QUE AQUI NO BRASIL ELES COMPREM SUA LIBERDADE, DEVERÃO PERDER A POSSIBILIDADE DE NOVOS NEGÓCIOS E SAÍREM DO PAÍS, POIS CORRERÃO O RISCO DE SEREM PRESOS LÁ FORA. E LÁ FORA NÃO SE COMPRA A JUSTIÇA AMERICANA.

NO FUNDO O PRESIDENTE DA INDONÉSIA ESTA CERTO QUANDO DISSE QUE LADRÃO E TRAFICANTE NO BRASIL VIRAM CELEBRIDADES E POLÍTICOS.

Anônimo disse...

Gostei dessa ameaça do Emílio Odebrecht...agora elles vão lavar roupa suja em casa. Essas empreiteiras, só sobrevivem agarradas no saco dos governos. Qdo ellas tem lucro, o lucro é privado, qdo ellas tem prejuízo, o prejuízo é socializado.

- Juiz Sérgio Moro, não dá descanço prá esses políticos corruptos. Em todos os partido tem político corrupto, mas o PT, barbarizou, montou uma sofisticada organização criminosa(palavras do ex-procurador geral da república, na época do mensalão) para assaltarem os cofres públicos e todos, sem exceção ficarem milionários, inclusive os parentes e até amantes enriqueceram(a Rose do Brahama, 9dedos51).

Fagundes disse...

A 25% de comissão pra Dilma, pro Lula e pro PT, dá quase 1 bi e 230 milhões

Anônimo disse...

Falta incluir no prejuízo o subsídio dos juros do BNDES que são pagos pela população. Isto também não deixa de ser desvio de recursos para as empreiteiras.
Não é pouca coisa.

Anônimo disse...

NEGATIVO! Isto não é CAPITALISMO e, evidentemente, não é SOCIALISMO. AINDA não perceberam que se trata de MERCANTILISMO? Tem que ser desenhado?





Mordaz disse...

Pois é, a esquerda berra pela concentração das empresas de imprensa mas fez pior entre as empreiteiras.