RS, ruim, sim, mas nem tanto. Saiba por que razão.

Este livro do economista gaúcho Darcy Francisco Carvalho dos Santos, “O Rio Grande tem saída ?”, é de fácil leitura e compreensão, o que significa que mesmo aqueles que precisam de verdade entender o que se passa no Estado e não querem estudá-lo por pura preguiça, não precisarão de desenhos indicativos para entender que a posição relativa do RS dentro do contexto do Brasil perde importância a cada dia que passa e que sem mudanças sustentáveis, portanto permanentes, nada mudará o negro destina que se desenha para os gaúchos.

. Darcy F.C. dos Santos contou com a colaboração de Patrícia Palermo, Lucas Schifino e Mariza Abreu para produzir as 320 páginas.

. Do mesmo modo que fez com o livro “Assassinato de Reputações”, de Tuma Júnior, o editor resumirá capítulos inteiros do livro, visando reduzir a amplitude da leitura e facilitar a compreensão do leitor, que rapidamente poderá entender melhor do que se trata.

. O primeiro capítulo, assinado por Patrícia Palermo e Lucas Schiffino, é um desenho devastador sobre as dificuldades da economia do RS, atacadas de modo apenas episódicos em momentos de grande inspiração governamental, portanto de uma maneira descontinuada, incapaz de produzir soluções duradouras.

. Os autores deixam claro logo de cara que nos últimos anos, perdemos participação relativa na economia nacional, perdemos posições importantes em rankings ligados à educação e à qualidade de vida, perdemos investimentos relevantes e vimos nossas finanças públicas se deteriorarem ano após ano, sem perspectivas concretas de mudança nessa conjuntura.

. Apesar disto, continuamos a quarta maior economia do Brasil, atrás apenas de SP, Rio e Minas. 

. O problema maior de verdade é a tendência, que não é positiva.

. Diagnósticos ?

- A grenalização política, portanto a falta de unidade em torno de propósitos positivos para o Estado.
- Gazeta nos momentos de lição de casa.
- Envelhecimento demográfico, do setor público e sobretudo da infraestrutura.

. O RS não é um Estado pequeno, demonstram Palermo e Schiffino, referindo-se ao tamanho do RS, que em km2 possui dimensões semelhantes às do Reino Unido.

. Se fosse um País, o RS figuraria como 59ª. Maior economia do globo, com PIB de US$ 139,5 bilhões, 35% maior do que a soma de Uruguai, Paraguai e Bolívia, maior do que 25 das 32 economias da América Latina e Caribe, pesquisadas pelo FMI em 2012.


. “Não ser pequeno é muito relevante para ter voz e vez”, escrevem os autores logo no primeiro capítulo. 

Site do autor: www.darcyfrancisco.blogspot.com.br/
E-mail: darcyfcs@terra.com.br

8 comentários:

Anônimo disse...

Políbio,

A perda de relevância do RGS é notória e vou ler o livro para saber mais sobre isto.

Quanto a comparação com o Uruguay, tenho uma pequena consideração:

- O PIB per capita, no Uruguay, é quase 30% maior que o Gaúcho.

JulioK

Anônimo disse...

Soluções? Só pode ser brincadeira. O senhor Darcy e o PDSB ajudaram a afundar o estado quando governaram.

Clóvis disse...

Anônimo das 12:25. Quero crer que nem você acredita nisto que diz.

Darcy Francisco Carvalho dos Santos disse...

Há um anônimo que diz que eu e o PSDB ajudamos a afundar o Estado quando governamos o Estado. Que iteressante!, eu não sabia que havia governado o Estado, vou colocar isso no meu currículo. Quanto ao governo do PSDB, no tocante à economia e finanças, que é o objeto do livro, foram um ponto fora da curva para melhor. E tem mais> Não uso o anonimato para dizer o que penso.

Anônimo disse...

O Rio Grande tem saída sim, é fácil: O primeiro passo é tirar os petralhas do governo, aí, já é meio caminho andado, e depois, o próximo governador(a) chama a Yeda para a secretaria da fazenda, para colocar o Estado no rumo certo novamente!

Anônimo disse...

O PSDB teve a oportunidade com Yeda e nada fez, alias, fez, ou seja, brigar com todo mundo, do marido ao vice-governador.

Luiz Vargas disse...

Como nada fez quadrilheiro PeTralha das 19h35min?
O que esta mulher de coragem, de fibra, de braço firme e pulso forte suportou diuturnamente de torpedos e PeTardos das hostes quadrilheira$ PeTralha$ não foi brincadeira.
Muitos homens possivelmente não teriam suportado isto. Queres um exemplo bem claro: o dedo duro, de codinome Barba, quando estourou o escândalo e a crise do mensalão se escondeu debaixo da cama e disse que não sabia de nada. Após, no episódio da Rose, continua até hoje se escondendo da imprensa.
Tu, cretinamente e de forma calhorda, escamoteia que o teu chefe, o peremPTório embu$teiro prevaricador, utilizou a estrutura governamental, a estrutura do ministério da justiça e uma polícia de estado para fustigar diuturnamente o GOVERNO de Yeda Crusius.
Me responde uma pergunta, cretino quadrilheiro PeTralha,que covardemente se esconde por detrás do anonimato para vir PosTar falácias neste site:
Se a ponte na BR287, em Restinga Seca, sobre o Rio Jacuí, tivesse sido destruída por uma enxurrada no desgoverno do teu chefe, o peremPTório embu$teiro prevaricador, no segundo ano de seu desgoverno, esta PonTe já estaria PronTa ou a cumpanherada ainda estaria na fase de escolher a comissão que escolheria a comissão para tratar das comi$$ões?
Pois a GOVERNADORA Yeda Crusius em seis meses reergueu uma nova ponte muito melhor que a anterior.
Vocês sempre criticaram e ainda criticam o deficit zero. Prá começo de conversa vocês nem sabem o que quer dizer deficit. Tanto isto é verdade que tem uma tal de EPR (Empresa PeTralha de Rodovias) que é deficitária desde que nasceu. Talvez vocês conheçam o "zero" por que o tipo de gestão que PraTicam é um "zero" à esquerda.
Vou te explicar o que é deficit zero: é não gastar mais do que aquilo que se consegue arrecadar. A regra é a mesma que se aplica a nossa vida cotidiana. Experimente, quadrilheiro PeTralha, gastar mais do que você ganha. Sabe o que acontece? O SPC e o Serasa te esperam logo mais ali na frente.
Quanto ao vice governador, o Paulo Juruna, qualquer um que viesse a tê-lo como substituto estaria fadado a levar bola nas costas. Ser traiçoeiro e não confiável pesa no currículo. Você faria negócios com alguém assim? Acredito que não. O tempo mostrou a sua real face e o seu verdadeiro caráter. Aliás ao se mancomunar com o Pedro suspensório e a peremPTória gadelhuda psólica psicótica.
Já que és tão bem informado me diga onde foi parar a grana da CEEE, na qual o teu peremPTório chefe colocou a mão grande?

Anônimo disse...

Os petralhas querem é gastar, dar aumentos, vivem em um mundo paralelo.
Resultado disso : a Ford foi para a Bahia, atrasaram 30 anos o RS e o atual governo vai nos inviabilizar de uma vez por todas !
Será que ainda há tempo de reverter isso ?