Entenda por que a PF acha que existe uma organização criminosa dentro da Petrobrás


A reportagem a seguir é do jornal Zero Hora de hoje. Ela é assinada pelo repórter Klécio Santos, da sucursal de Brasília. Vai na íntegra a seguir. O desenho ao lado também é do jornal. Leia:

Ao manter na prisão os doleiros envolvidos na Operação Lava-Jato, o Supremo Tribunal Federal (STF) foi avisado de que o esquema de contravenção vai além da corrupção política. As 6.620 páginas do inquérito a que ZH teve acesso expõem as vísceras de uma intrincada rede criminosa, que envolve empresas de fachada, lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. O alvo não era Alberto Youssef, o doleiro que ganhou destaque por suas relações com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e com o deputado André Vargas (sem partido-PR), mas sim Carlos Habib Chater, um antigo frequentador da carceragem desde os anos 1990.

. A partir do inverno de 2013, a Polícia Federal interceptou centenas de mensagens e telefonemas — inclusive em árabe — de Habib, conhecido em Brasília por suas relações com o ex-deputado José Janene (PP-PR), envolvido no mensalão e falecido em 2010. A movimentação financeira do doleiro impressiona. Sua base é o Posto da Torre, tradicional ponto de venda de combustíveis no coração da capital federal. Ali, cartão de crédito não é aceito. 


. O pagamento é à vista, o que, segundo a PF, facilita a mistura de dinheiro limpo com o sujo. O rastro da dinheirama movimentada por Habib por meio da Valortur Câmbio e Turismo envolve bancos e offshores de paraísos fiscais, o submundo das drogas na Bolívia, e chega até a China, com operações junto a empresas de fachada em Hong Kong. Em um dos diálogos captados pela PF, Habib é consultado por um cliente que deseja mandar 20 milhões de euros para as Bahamas. Em outro, pergunta ao interlocutor sobre uma farra com uma prostituta loira de Istambul que o "mestre" vai trazer. 

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

12 comentários:

Anônimo disse...

Pergunta-se em qual estatal não tem uma quadrilha organizada...???

Anônimo disse...

Imaginem se a EMBRAER, a TELEBRÁS, a VALE DO RIO DOCE, TODAS AS ESTATAIS DO AÇO ainda fossem estatais...
- Imaginem qtos corruptos estariam nas diretorias dessas estatais...???
- Hoje, graças as privatizações das telefônicas, qq carroceiro(aki na minha cidade, eu contrato o transporte de sucata e aterros, ligando prô celular do carroceiro), tem celular. ANTES DAS PRIVATIZAÇÕES SÓ QUEM TINHA BALA NA AGULHA CONSEGUIA UM CELULAR e mais ainda as ligações eram COBRADAS DO QUEM FAZIA A LIGAÇÃO E DE QUEM RECEBIA A LIGAÇÃO...Argh...coisa ruim as privatizações.,,!
- Acabaram com as boquinhas dos políticos nessas ex-estatais.

Glauco Fonseca disse...

Políbio, olha que interessante. A ZH só publicou a matéria porque não há, explicitamente, a menção de nenhum amigo do Partido dos Trabalhadores". Se houvesse, du-vi-de-o-dô que tivessem publicado.

Anônimo disse...

Existe uma organização criminosa dentro do governo brasileiro...

Anônimo disse...

É a PF que acha ou é a Midia Marrom glace, engajada.

elias disse...

O anonimo(ainda existe isso por aqui....) das 15:07 O governo brasileiro É uma organização criminosa.

Anônimo disse...

Se a Petrobrás tivesse sido privatizada pelo FHC nada disso teria acontecido!
É claro que existe uma quadrilha dentro da Petrobrás, como também na Eletrobrás, no BNDES e todas as estatais federais, é aquadrilha dos Petralhas, e que alguns "cabeças" já foram presos, falta prender o chefe Lula e a sua aprendiz Dilma!

Anônimo disse...

Por favor, pelo menos não deixem vazar as fotos íntimas da doleira Nelma Kodama que o doleiro Raul Henrique Srour disse ter! É preciso avisar o criminoso que ninguém está interessado!

Anônimo disse...

Collor atribui ataque de Veja a vitória de R$ 1,4 mi:

Ex-presidente ocupa tribuna do Senado para afirmar que irá pedir informações à Justiça sobre a denúncia da revista Veja de que teria recebido oito depósitos bancários do doleiro Alberto Youssef; senador Fernando Collor lembrou que o juiz Sergio Moro informou oficialmente ao ministro Teori Zavascki, do STF, não haver “qualquer indício” de ligação entre ele e o inquérito da Operação Lava Jato; classificando Veja, de Gianca Civita e Eurípedes Alcântara, como um “minguante semanário”, Collor abriu seu discurso comemorando o recebimento de R$ 1,4 milhão da própria revista, a título de indenização por matéria caluniosa; “Esse embuste midiático – mais um - tem como pano de fundo o inconformismo, a revolta e a sordidez de um veículo que não se conforma em perder processos na Justiça”;

(...)

Anônimo disse...

Será que tem algum censor petralha dentro da ZH?
Alguém ainda duvida que o censura já voltou e está atuante em alguns jornais(lecos) e aos poucos vai ganhando espaço?

Anônimo disse...

A conclusão da PF é elementar e óbvia: Que comanda a Petrobrás? A gentalha dos PaTife.E se é deles só pode ter uma quadrilha dentro da organização! Por isso que essa gentalha comunista é totalmente contra as privatizações. Privatizem a Petrobrás e em poucos anos será uma das maiores e mais eficiente empresa petrolíferas do mundo. A empresa parece uma ovelha sendo atacada por lobos e sanguessugas vorazes. Privatiza e termina toda essa roubalheira e cabide de emprego, pois onde trabalharia um pessoa, "trabalham " dez!

Anônimo disse...

A Texaco e a Atlantic sairão do mercado pra estar nestas historias o asunto e petrobras letras minusculae