PT disputa com PT orçamento de R$ 55 milhões do Cpers

Três chapas apoiadas por diferentes correntes PT,disputarão nos dias 10 e 11 as eleições para a direção do Cpers, o mais poderoso sindicato de professores públicos estaduais da América Latina, cuja receita anual chega a R$ 55 milhões.

. As chapas terão que estar inscritas até o dia 5, mas não se imaginam novos concorrentes.

. São postulantes a presidente:

Rejane de Oliveira, atual presidente, filiada ao PT, mas em dissidência com o oficialismo, contando por isto com o apoio do PSOL e do PSTU.
Neida de Oliveira
Helena Oliveira

12 comentários:

erwin disse...

é briga de família ?????Kkkkk
só tem oliveira...!

Anônimo disse...

Enquanto essa gente retrógrada, ideologizada, reacionária e parasita continuar ditando os rumos da educação no estado/país estaremos caindo mais e mais no buraco do subdesenvolvimento.

Anônimo disse...

3 chapas pelegas disputando... Realmente, os professores botocudos daqui merecem...

Anônimo disse...

Nepotismo das Oliveira. Fora pt, partido dos traidores.

Anônimo disse...

Políbio,

Todas contaram com o apoio explícito de outra "Oliveira", a Rosane da RBS!!

Caramba, que sobrenome "perigoso" para a saúde do RS!! rsrsrsrsrsrs

JulioK

Anônimo disse...


Coincidência? Ou seria a família Oliveira pensando em repartir o 'butim'?KKKKKKK

Anônimo disse...

Centralismo democrático para Lênin nenhum botar defeito...

Luiz Vargas disse...

Só os botocudos ainda não perceberam que os PeTralha$ até quando estão na $ituação querem $er opo$ição.

Anônimo disse...

Enquanto existir a contribuição sindical obrigatória pega pelos trouxas, veremos estes supersindicatos sendo disputados a tapas pelos espertos. Antigamente no Brasil, todo garoto que iniciava a trabalhar sonhava em ser empresário, hoje ele sonha em ser sindicalista.

Anônimo disse...

Não acrescenta nada na vida do cidadão.

Anônimo disse...

Não acrescenta nada na vida do cidadão.

Anônimo disse...

Polibio:
Sou casado com uma professora (não estadual) e, além disso, tenho acompanhado todo o Movimento dos professores ao longo de décadas, com suas greves "pela educação" etc. Todo o meu então respeito pelos professores estaduais acabou antes mesmo do governador Olívio assumir, quando sua escolhida como secretária da educação foi entrevistada pela Caldas Jr (Correio do Povo-Rádio Guaíba) e perguntada sobre a questão salarial, visto as violentas manifestações promovidas por ela a frente do CEPRS, não aceitando nem mesmo quando os secretários da educação e da fazenda abriram os documentos para mostrar que o estado não tinha como dar o aumento pretendido. A presidente do CEPRS e futura secretária foi bem enfática: "eles (os professores) terão de compreender que o governo não tem dinheiro". E encerrou esse assunto.
Se meses antes essa Sra. bradava em megafones exigindo aumentos a qualquer custo, colaborando para a derrocada eleitoral do então governador, agora ela mostrava que tudo não foi mais do que interesses partidários. Durante décadas tivemos alunos padecendo com aulas só em parte do ano. Cuspiram no futuro de todos esses jovens alegando que lutavam por "melhorias no ensino", com intermináveis greves que só serviam para o crescimento político de sua grei. Os alunos foram só massa de manobra, inocentes úteis , descartáveis a qualquer momento. Ceifaram o desenvolvimento de uma geração inteira apenas por que interessava a uma parte da classe política, achando que basta dar umas cotas de ingresso na universidade para apagar seu crime de lesa-pátria. Sim, por que o bem maior de uma nação é seu povo, tão vilipendiado.
Julio Cesar