Artigo - O mito da educação pública do RS

Ao lado, o abnegado defensor do piso nacional do magistério, num ato de inspeção dos ônibus escolares que distribuiu para municípios. 



O artigo a seguir é do blog "Política sem Partido". De forma bem humorada, irônica, cáustica, o autor desvenda as contradições insanáveis do atual governo do PT. Leia:

Sou um professor da rede pública estadual do Rio Grande do Sul

Sou um professor concursado e satisfeito da forma com que o Governador do Estado, o Senhor Tarso Genro e principalmente o grande companheiro de lutas do magistérios, Secretário de Educação José Clóvis de Azevedo, tem tratado a educação pública nesse Estado tão próspero e desenvolvido.

Primeiramente gostaria de ressaltar o quanto o governador é um abnegado pela luta do magistério, pois afinal, foi ele quem assinou a Lei do Piso Nacional do Magistério, uma lei que veio a dar dignidade ao professor e fazer com que nenhum receba um salário abaixo do valor estabelecido que ele mesmo criou.

CLIQUE AQUI para ler mais. 

4 comentários:

Anônimo disse...

Grande matéria! É tudo um Mito>
Joel Robinson

Anônimo disse...

Não vamos esquecer que uma ex-presidente do CPERGS combatia um governador, e logo que o petista Olivio Dutra foi eleito governador, ela (a presidente do CPERGS) foi convidada e se tornou secretária de educação, e mudou todo o discurso anterior.

Agora ocorre o mesmo com o atual secretário da educação, basta um convitezinho de qualquer governador do PT que muda radicalmente de posição, não é mesmo seu Clóvis?

Fazem tudo para receber mais R$R$R$R$ no contracheque como secretário o resto dos professores que se danem!!!

Anônimo disse...

HOJE UM BOI CORNETA DESINFORMADO FALANDO QUE O REGIME MILITAR ACABOU COM A EDUCAÇÃO, PARA QUEM NÃO SABE INFORMO, UM PROFESSOR GANHAVA PRÓXIMO DE 10 SALARIOS, OS ALUNOS TINHAM UNIFORME (GUARDA PÓ BRANCO)IA DO PRIMEIRO AO QUINTO ANO E TINHA QUE FAZER ADMISSÃO AO GINÁSIO (TIPO DE VESTIBULAR) E DEPOIS MAIS TRÊS ANOS DE CIENTIFICO, AI SIM VESTIBULAR PARA UNIVERSIDADE, OUTRA COISA IMPORTANTE NAQUELA ÉPOCA O ALUNO REPETIA ANO NÃO SE PASSAVA NAS COXAS COMO HOJE, NOS DIAS ATUAIS QUALQUER MANÉ TEM SEGUNDO GRAU E NÃO SABE INTERPRETAR UM TEXTO E A CULPA É DO REGIME MILITAR.


EDUARDO MENEZES

Anônimo disse...

Concordo com EDUARDO MENEZES. Vivenciei também esta época. Lembro de uma "carteirinha de estudante", com a qual se pagava meia entrada no cinema, e que no verso tinha uma foto de um agricultor - montagem - que dependendo da posição que se olhava, mostrava uma figura de barba com as feições de Guevara ou Fidel!