O agronegócio tem sido a salvação da lavoura para as exportações do Brasil

Neste comentário a seguir, o Estadão  demonstra de que modo as exportações agrícolas prosseguem em alta, o que demonstra o vigor do setor primário brasileiro, esteio da economia do RS, que tem lucrado muito com o aumento da produção e com os preços altos. No link, o editor também disponibiliza artigo do professor aposentado da Ufrgs, Porto Alegre, que é sociólogo, intitulado "Fadas, duendes e agricultura", no qual fala basicamente  sobre o amalucado Plano Nacional de Agroecologia.

. Leia tudo:

Ao contrário do que acontece com a indústria, que encontra dificuldades crescentes para manter o espaço que conquistou no mercado internacional, o agronegócio vem ampliando sua participação no comércio exterior e desempenhando um papel decisivo para evitar a deterioração ainda mais aguda das contas externas. Enquanto as exportações totais do País nos primeiros nove meses deste ano, de US$ 177,65 bilhões, registraram queda de 1,6% em relação às vendas externas do período janeiro-setembro de 2012, as exportações do agronegócio aumentaram 9,5%. De janeiro a setembro, o setor exportou US$ 78 bilhões, o que corresponde a 44% de tudo o que o País vendeu para o exterior no período.

Quanto às importações, embora elas tenham crescido neste ano também no agronegócio (total de US$ 12,67 bilhões nos primeiros nove meses), o aumento no setor, de 5,3% em relação a 2012, foi menor do que a expansão das importações totais, que alcançou 8,7%. Com esse desempenho, o agronegócio acumulou, no período, um saldo comercial positivo de US$ 65,33 bilhões. Mas, por causa do elevado déficit registrado por outros setores, a balança comercial acumulou um déficit de US$ 1,6 bilhão de janeiro a setembro (no ano passado, o resultado foi um superávit de US$ 15,7 bilhões).

As exportações do complexo soja (grão, farelo e óleo) alcançaram 40,6 milhões de toneladas, 28% mais do que em igual período do ano passado. Em média, o Brasil vem exportando cerca de 50% da safra de soja. As carnes (bovina, suína e de aves) ocupam a segunda posição entre os itens do agronegócio mais exportados pelo País.

Os agricultores e os pecuaristas continuam a apostar no aumento de sua produção e, claro, das exportações.

CLIQUE AQUI para ler o editorial do Estadão.

CLIQUE AQUI para examinar "Fadas, duentes e agricultura", de Zander Navarro. 

2 comentários:

Anônimo disse...

OS AGRICULTORES TRABALHAM E, O GOVERNO, OS ÍNDIOS, OS AMBIENTALISTAS ATRAPAOLHAM.

Anônimo disse...

claro, o mundo precisa da nossa materia-prima para beneficia-la e depois vender seus produtos pelo dobro do preço ao bananal tropical...