Em discurso na ONU, Dilma fará protesto contra espionagem

A presidente Dilma vai aproveitar o discurso de abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) amanhã para protestar contra a espionagem da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) no Brasil. 

.  O órgão interceptou comunicações de brasileiros, da própria presidente e da Petrobras. A ação provocou mal-estar entre os dois países e levou Dilma a adiar a visita de Estado que faria aos Estados Unidos no dia 23 de outubro.


. Espera-se que Dilma e Obama se encontrem, ainda que rapidamente, como decorrência do cancelamento da visita que ela faria a Washington daqui a um mês.

6 comentários:

Anônimo disse...

so pode fazer isso porque a sede da ONU fica nos EUA, um pais de democracia consolidada...

se a sede da ONU ficasse em algum desses países bolivarianos bananeiros, ela jamais poderia fazer o discurso que fará...

provavelmente nem teria sua entrada autorizada no país...

Anônimo disse...

como não temos a menor condição de retaliar os EUA com poderio econômico e muito menos com poderio militar, o discurso abestalhado da governantA destrambelhada terá menos efeito do que um peido, o famoso "pum"...

Anônimo disse...

Vai aproveitar e exigir o nome e enderêço dos espiões que trabalham pro Obama.

Anônimo disse...

Acho que o Obama terá que colocar espiões para informar o povo brasileiro quanto dinheiro está sendo enviado à CUBA e quem são os Médicos Cubanos e onde eles irão trabalhar,parece que isso está sendo negado pelo governo aos brasileiros.Para conferir.

Gil Rikardo disse...

Mas que mulherzinha idiota, qualquer criança de dez anos sabe da existência de tais espionagens e chora mais quem pode menos, assim vá investir em tecnologia. Mas não é isso que move essa gente, eles são movidos à eleição, ganham uma e já começam a trabalhar para garantir a próxima, talvez por isso, toda e qualquer ação dessa gentalha se resuma a impressionar seus eleitores.

Garivaldino Ferraz disse...

Após o discurso da presidAntA, parece que o Obama determinou que fossem feitos contatos com o Collor para saber como destruir um serviço de inteligência e manter a demo-cracia em um país onde seus dirigentes nunca sabem nada!