Saiba por que não há risco de bolha imobiliária no Brasil

O editor vinha há algum tempo agendar um café da manhã com o presidente do Sinduscon do RS, engenheiro Paulo Garcia, com quem finalmente conversou nesta quarta de manhã no Blue Three, Porto Alegre.

. Há risco de uma bolha imobiliária, do tipo que estraçalhou o mercado imobiliário e desestabilizou os grandes bancos americanos em 2008?

. Era isto que o editor queria saber.

. Nem mesmo se houvesse o risco, o presidente do Sinduscon confessaria alguma coisa durante a conversa, mas os números que ele alinhou para desmontar qualquer possibilidade de bolha são mais eloqüentes do que são as desconfianças atuais de muita gente.

. Os números são de Porto Alegre, mas eles não são muito diferentes nas demais praçass:

Vendas de unidades habitacionais novas:2010 – 5.722
2011 – 4.183

Lançamentos de unidades habitacionais
2010 – 5.017
2011 – 4.137

. O editor tem números parecidos desde 2006. Até aquele ano, vendas e lançamentos oscilaram durante muitos e muitos anos dentro da média de 1.800 a 2 mil unidades por ano. As mudanças ocorreram a partir do momento em que o mercado percebeu a conjunção destes fatores: 
1) juros e inflação menores. 
2) maior quantidade de crédito, com segurança jurídica para os contratos. 
3) ambiente político e econômico de qualidade.

. O sistema financeiro, mesmo aquele que é mais focado no crédito imobiliário, nem de longe é movido por instituições alavancadas demais e  por créditos podres.

. O patamar atual de vendas e lançamentos está ajustado a um cenário de demanda ainda contida, mas mais próximo do atendimento da parcela da população que pode se endividar para comprar sua casa própria. 

4 comentários:

Anônimo disse...

PRA MIM HÁ BOLHA SIM E ELES NUNCA IRAM FALAR ...TALVEZ SÓ QND ESSA BOLHA ESTOURAR ............... PURA ESPECULAÇÃO

Fernando Bender disse...

prezado polibio,

cruze estes dados com o volume de crédito concedido pela caixa federal neste mesmo período.

Outra estatística interessante é a evolução do preço médio dos imóveis.
seria interessante indexar esta última pelo salário mínimo médio no período.

Verás que há uma variação exponencial do preço dos imóveis.

Como há um aumento de crédito para o setor mas não há um aumento expressivo de vendas e lançamentos no mesmo período, existe um indício de esgotamento do mercado.

veremos em 2 anos como estará este mercado.

acompanhe a evolução das ações das principais construtoras:

PDGR3
GFSA4

as ações tendem a antecipar a previsão do mercado de lucros futuros, zerando o fluxo de caixa descontado.

abraços!

Anônimo disse...

E tem mais uma, com a queda absurda dos rendimentos financeiros das aplicações, onde se coloca o dinheiro?

Ou Bolsa ou Imóveis. Não tem saida.

Quero ver este governo imundo financiar sua dívida pública com estas taxas nos próximos anos.

Christiane Ávila disse...

Oi, tudo bem?

Recentemente meu marido e eu financiamos um imóvel novo. Optamos por comprar um imóvel novo, pois dessa forma, sendo os únicos proprietários,

acreditamos que conseguiremos vendê-lo mais facilmente no futuro.

Mas o importante de tudo é consultar e procurar em sites especializados como esse:

http://www.auxiliadorapredial.com.br/Vendas/imoveis-porto-alegre-rs

Mas não há dúvidas que a bolha imobiliária existe e está aí. A realidade para muitas imobiliárias do Brasil.

Abraço!