Dono da maior empreiteira do PAC, sócio de Cachoeira, avisa: "Com R$ 30 milhões, compro qualquer político"

CLIQUE AQUI pra ouvir a conversa grampeada do dono da Delta Construções, que detém 43% das obras do PAC, do governo Dilma Rousseff, do PT. O material foi divulgado pelo Jornal Nacional desta segunda-feira a noite. Trata-se de uma conversa imunda, ao estilo do Mensalão. No grampo, divulgado pelo blog Quid Novi, editado por Miro Pedrosa, Fernando Cavendisch diz que com dinheiro compra qualquer político:

Fernando Cavendish - Com 30 milhões, compro qualquer político. Eu não me interesso pela raia miúda.

O dono da Delta Construções é sócio oculto de Carlinhos Cachoeira. Ele chegou a Lula através do governador Sérgio Cabral, mas firmou alianças corruptas, antes, com os governadores Marconi Perillo, PSDB de Goiás, e Agnelo Queiroz, PT do Distrifo Federal. Leia a reportagem de Mino Pedrosa.

O presidente do grupo Delta, o maior fornecedor do Governo Federal e detentor de quase todas as obras do PAC, Fernando Cavendish, é flagrado como sócio oculto de Carlos Cachoeira, através do presidente executivo do grupo Carlos Pacheco. Há algum tempo Carlinhos era o responsável pelas operações da Delta no Centro-Oeste. E na tentativa de flagrar o contraventor do jogo, a Operação Monte Carlo acabou desmontando um esquema muito maior, envolvendo políticos de todos os escalões dos Governos Federal e Estaduais.

Carlinhos Cachoeira começou sua parceria com a Delta no Governo de Goiás, através de Marconi Perillo (PSDB). O governador estava entregando para Carlinhos concessões em todo o Estado até vir à tona a Operação Monte Carlo. No Distrito Federal o esquema não era diferente. Pelas mãos de Agnelo Queiroz a Delta desbravou Brasília e entorno “cuidando” do lixo e fazendo manobras em todas as áreas, como por exemplo na Saúde, com o laboratório de genéricos; e na Segurança; com as máquinas de caça níqueis.
Mas a Delta tem mesmo um grande aliado é no Rio de Janeiro: o governador Sérgio Cabral. Há indícios que Cabral teria colocado nas mãos de Cavendish grande parte das obras sem licitações, além de ter feito a ponte com o presidente Lula tornando a Delta a maior fornecedora do Governo Federal.
Cavendish em reunião de diretoria da empresa fala abertamente como age para conseguir negócios nos governos comprando políticos e recrutando agentes ( leia-se arapongas) para se municiar de informações para facilitar a corrupção a preços mais baixos.
(...)
Recentemente acompanhamos projeto em votação na Câmara dos Deputados com um forte lobby em quase todos os partidos, principalmente os da base aliada do Governo, para aprovar a liberação dos caça-níqueis e bingos. À frente do lobby o vice-presidente da República Michel Temer, que fala até hoje com o presidente da Abrabin ( Associação Brasileira do s Bingos) Olavo Sales da Silveira. O vice-presidente tinha até pouco tempo o jornalista Gustavo Krigger, seu assessor direto, fazendo a interface entre a Câmara dos Deputados e Abrabin, através da agência de publicidade FSB. Hoje a FSB atende não só a Abrabin como também a Delta e a Michel Temer como vice-presidente.

O Quidnovi revela agora a conversa gravada numa reunião da Delta,  quando Fernando Cavendish fala com os sócios entre eles Carlos Pacheco, também sócio de Cachoeira,  “discutia o que pensa da política e dos políticos brasileiros de maneira geral: “Se eu botar 30 milhões de reais na mão de políticos, sou convidado para coisas para ‘c…’. Pode ter certeza disso!”. E disse ainda que com alguns milhões, seria possível até comprar um senador para conseguir um bom contrato com o governo: “Estou sendo muito sincero com vocês: 6 milhões aqui, eu ia ser convidado (para fazer obras). Senador fulano de tal, se (me) convidar, eu boto o dinheiro na tua mão!”

CLIQUE AQUI para ler toda a reportagem.

4 comentários:

Anônimo disse...

Não só se compra qualquer político, como se compra também qualquer magistrado e qualquer grande veículo de comunicação ...

Anônimo disse...

....Principalmente veiculos de Comunicação. Estou torcendo que saia a CPMI só para ver o Tal Civita (Murdoch Brasileiro) sair algemado do Congresso, tal a sua tendenciosida.

Anônimo disse...

Diria que não só o político brasileiro, mas também os brasileiros em geral - com as felizes e honrosas exceções, é claro!A propósito, o filósofo Olavo de Carvalho já diagnosticou a referida enfermidade moral e espiritual, afirmando que o brasileiro é o povo mais dinheirista do mundo!


Almirante Kirk

Anônimo disse...

Sou a favor da tese do Senador Simom, CPMI DOS CORRUPTORES JÁ. Porque atraz de um politico e funcionãrio publico corrupto sempre tem um CORRUPTOR.