Expectativa de Inflação dos Consumidores recua e se aproxima do mínimo histórico

A expectativa de inflação dos consumidores brasileiros para os próximos 12 meses recuou 0,2% em outubro, para 4,9%, nível próximo do mínimo histórico de julho de 2007 (4,8%). Em relação ao mesmo mês do ano anterior, houve queda de 0,8%.

Remata de Mello franco, FGV IBRE, disse esta manhã ao editor o que acontece:

- O resultado de outubro sinaliza que a percepção de inflação pelos consumidores continua convergindo para a meta oficial. Grande parte desse resultado pode ser devido à trajetória favorável dos preços e, principalmente, à ausência de choques sobre os produtos de maior peso na cesta de consumo das famílias. Para os próximos meses, espera-se que o indicador permaneça nessa tendência de queda, refletindo o bom comportamento do nível geral de preços.

CLIQUE AQUI para saber muito mais.

5 comentários:

Ultra 8 disse...

Ótimo, o comércio está estagnado, do jeito que a esquerda gosta.

O Fabiano Bolsonaro, e seu economista liberal, fazem uma bela dupla de esquerda.

Lula, feliz na cadeia, vendo Bolsonaro concluir a pátria grande.

Anônimo disse...

Deus seja Louvado.

Anônimo disse...

Ou falta de consumo.

Anônimo disse...

Mas é claro que a inflação está recuando.. não tem consumo.

Nem precisa ser economista pra saber disso.

Aliás, bolsa batendo recorde, dólar baixo e inflação baixa não servem pra nada com o desemprego e nem enchem a barriga da população.

Ninguém como bolsa, dólar e inflação.

Tá na hora desse ministro da economia mostrar a que veio e apresentar algum plano para recuperação da economia.

Anônimo disse...


Os "estudos" apontam que não há inflação, mas não explicam porque a gasolina e a comida não param de aumentar seus os preços.
Estranho, não é mesmo?