General Mourão faz discurso político polêmico na CIC, Caxias do Sul

O general foi ontem a tardinha para Gramado, onde encontrou Bolsonaro, que falou no evento Voz do Campo e se reuniu com mil pastores da Assembleia de Deus. Em Gramado, mais tarde, Bolsonaro defendeu seu vice, criticado por sites, blogs e redes sociais por causa do discurso de Caxias.

O general Hamilton Mourão surpreendeu os empresários que lotaram a Câmara de Indústria e Comércio de Caxias do Sul, meio dia, com um forte discurso político, marcado por uma avaliação extremamente polêmica a respeito da herança cultural brasileira, dizendo que os índios são indolentes e os negros, malandros. Mourão amenizou o tom ao revelar que é de origem indígena visto que seu pai era nascido na Amazônia. Ele defendeu a refundação da república: reforma tributária; reforma fiscal - para reduzir o custo do Estado; novo pacto federativo; digitalização e virtualização dos serviços públicos; revisão da gestão do funcionalismo; reforma política, em que considerou a possibilidade de se debater o parlamentarismo; livre mercado; incentivo às exportações; educação e resgate da cidadania, da credibilidade do Estado, da virtude da política e defesa da democracia.

Sobre o que fará o novo governo, caso vença Bolsonaro e ele, disse o general:

- Vamos viver tempos difíceis, porque não se conserta o que está errado da noite para o dia. Teremos que trocar o motor com o avião voando.

16 comentários:

Anônimo disse...

CONSEGUIRÁ BOLSONARO FREAR O PODER DAS FORÇAS MILITARES QUE ELE ESTÁ DESPERTANDO?
Bolsonaro corre o risco de ser "engolido" pelos militares no decorrer de sua trajetória política...
Muitos se iludem pensando que as Forças Armadas são homogêneas e coesas.
Leiam os livros de história e verão que após o golpe de 64, os próprios generais começaram a disputar o poder entre si, pois apareceram grupos que possuíam muitas divergências dentro da cúpula do poder.
Talvez Bolsonaro esteja abrindo uma caixa de pandora verde oliva...

Anônimo disse...

E a reforma da previdência?? Este tema tem que ser tocado sim, e vai ter que doer no dos militares também!

Anônimo disse...

Onde está a polêmica??? No Brasil sempre que um militar se pronunciar será patrulhado! A mídia,sem excessão, não admite opinião de militar - mesmo se for sobre futebol. Remember Médici...

Anônimo disse...

É meio boçal”, disse general Mourão, vice de Bolsonaro, sobre postura de bolsominions:

​ 5 agosto, 2018 - O Essencial/DCM

Nem o próprio vice de Jair Bolsonaro aprova a posturas dos seguidores do candidato à Presidência pelo PSL. Em entrevista publicada pela Agência Estado na última quinta-feira (26), general Mourão falou em um “certo radicalismo nas ideias” dos eleitores e classificou como “meio boçal” o comportamento dos bolsominions.

“Existe um certo radicalismo nas ideias, um radicalismo até meio boçal. Tem boçal dos dois lados. Os extremos se atraem”, afirmou. O vice candidato também disse que Bolsonaro deveria se descolar da imagem radical para ganhar mais confiança dos eleitores.

Mourão ainda chamou de “amadora” a campanha de seu candidato. “O que eu julgo é que a campanha do Bolsonaro está meio amadora. É aquela história: ele se fez, então tem dificuldades de ouvir as pessoas. Mas acho que ele vai colocar um coordenador de campanha, que poderia ser o general (Augusto) Heleno. Alguém tem de coordenar esse troço aí, tem de colocar já uma equipe para escrever logo o programa de governo, o que ele vai fazer”.

Anônimo disse...

QUEM É O GENERAL VICE DO CAPITÃO BOLSONARO, ADMIRADOR DE TORTURADORES

Nos últimos anos, o general da reserva Hamilton Mourão, que foi recém-indicado vice na chapa de Bolsonaro, passou a adotar um perfil linha dura semelhante ao do candidato de extrema-direita; em seu último discurso como general no Salão de Honras do Comando Militar do Exército, no fim do ano passado, chamou o torturador Carlos Bilhante Ustra de "herói"; pouco antes havia defendido um novo golpe militar

5 DE AGOSTO DE 2018 ÀS 16:01 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

BOLSONARO COMPARA ASSASSINATOS DA DITADURA A 'TAPA NO BUMBUM'

O deputado federal e pré-candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsolixo, disse que as execuções autorizadas pelo presidente Ernesto Geisel contra opositores da ditadura militar no Brasil eram como uma punição utilizada por pais em filhos; "Quem nunca deu um tapa no bumbum do filho e depois se arrependeu?

Acontece", disse; declaração vem na esteira da revelação de um documento da CIA que afirma que Geisel, ao assumir o governo, deu continuidade à política de execuções praticadas por seu antecessor; "Esse pessoal que disse que matamos naquele momento, que desapareceu, caso estivesse vivo por um motivo qualquer, estaria preso acompanhando o Lula lá em Curitiba. Essas pessoas não têm qualquer amor à democracia e à liberdade. Eles querem o poder absoluto", disparou
https://www.brasil247.com/p...

Anônimo disse...

Bolsonaro desistiu de príncipe pra vice e escolheu general por atraso de duas horas:

06/08/2018 - O Essencial/DCM

A Coluna de Ancelmo Gois no Globo informa que Bolsonaro queria convidar Luiz Philippe de Orléans e Bragança para ser o vice da chapa. Só que o príncipe se atrasou duas horas para o encontro, sábado.

Segundo a publicação, essa doi muita espera para Bolsonaro.

O ex-capitão é quase um “perigoso comunista” perto desse general linha-dura Antonio Hamilton Martins Mourão, anunciado ontem como o vice da chapa. Com todo o respeito, resume a coluna.

Anônimo disse...

Bolsonaro “perde” Francischini como candidato ao Senado no Paraná:

6 agosto 2018 - Blog do esmael

O deputado Delegado Francischini desistiu de concorrer ao Senado pelo PSL, com isso ficou frustrada a expectativa de o parlamentar ser puxador de votos para o presidenciável Jair Bolsonaro no estado.

Francischini fez as contas num guardanapo de padaria e chegou à conclusão de que poderia ficar sem mandato, se fosse ao Senado. Fez meia volta. Mas ele não vai à reeleição na Câmara. Preferiu disputar a Assembleia Legislativa do Paraná.

A incrível ‘afrouxada na tanga’ de Francischini poderá ajudar muito a eleição do ex-governador Beto Richa (PSDB) ao Senado. Agora restaram 13 candidatos pleiteando duas vagas.

Mas nem tudo são espinhos para Bolsonaro na terra das araucárias, pois o PSL ainda tem candidato ao Palácio Iguaçu. Trata-se do jornalista Ogier Buchi, que na eleição de 2014 obteve 0,85% dos votos válidos, qual seja, 50.446 votos em todo o estado.

Anônimo disse...

O Picolé de Chuchu agrade o General por tirar votos da comunidade negra do Brasil e dos indios. Espera que o General continue nessa balada, ou seja, se enforcando sozinho.....

Anônimo disse...

O ANONIMO DAS 8:34 É ESQUERDINHA! JÁ TÁ COM MEDINHO DAS FFAAS! RELAXA E GOZA QUE A RESSACA VÊM COM FORÇA.

JÁ AO ANÔNIMO DAS 8:41 DIGO QUE A PREVIDÊNCIA É TÃO OBVIO QUE O MOURÃO NEM TOCOU NO ASSUNTO. ACHO DIFÍCIL AS FFAAS SEREM PREJUDICADAS! PASSARAM 30 ANOS GANHANDO POUCO E SENDO ACUSADAS, AGORA TERÃO O BÔNUS!

Anônimo disse...

O General MOURÃO disse verdades incontestáveis A diferença do discurso de MOURÃO é que suas palavras são sinceras, diferentes da hipocrisia do discurso mentiroso da esquerda. A cidade de CAXIAS DO SUL , onde estava, segunda cidade do Estado, de forte descendência italiana , com um parque industrial invejável, serve como exemplo perfeito do que afirmou .!!! Tia Glória.

Anônimo disse...

Vai te fuder anonimo 834.

Anônimo disse...

Tenho quase 70 anos de idade, e nunca vi ditadura governando o Brasil. Em outros países como Cuba, Coréia đo Norte, Irã , Venezuela, Nicarágua, não podem dizer o mesmo.!!!

Rosenara disse...

Esse tal politicamente correto CHEGA a embrulhar o estômago, pior é ouvir gente pedir para que ELES evitem FALAR sobre o assunto!! AS PESSOAS precisam é reciclar seus VALORES e ouvidos!! A VERDADE agora precisa SER oculta? Ela doi?? Nos POUPEM!!

Anônimo disse...

“Enquanto houver desigualdade entre homens e mulheres, entre brancos e negros, vai existir o PT. Enquanto existir intolerância vai existir o PT” (FERNANDO HADDAD)

Anônimo disse...

Não se trata de um Governo Militarizado. Mas sim, será um governo de forças policiais, onde todo o Servidor Publico, seja ele civil ou militar, será um fiscal e garantidor da lei!
Este Servidor fará valer sua autoridade e ensinará e será exemplo de honra, dignidade e integridade de caráter, para educar e formar uma Nação de homens dignos, que sintam orgulho do país em que nasceram!