CNI registra recuo no desempenho industrial de março


De acordo com a pesquisa Indicadores Industriais, divulgada ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o faturamento real do setor recuou 2,5% entre fevereiro e março na série dessazonalizada, após a alta de 0,5% apontada na leitura anterior. 

Foto da Agência Brasil.

Já o nível de emprego interrompeu a recuperação, com baixa de 0,2% em março, registrando a primeira queda após cinco meses de altas, período no qual o emprego acumulou expansão de 1,3%. Seguindo na mesma direção, o número de horas trabalhadas registrou baixa de 0,9% entre fevereiro e março, sendo o segundo mês consecutivo de declínio. Por outro lado, a massa salarial segue em alta pelo terceiro mês, apresentando elevação de 0,8% ante fevereiro, embora tenha se reduzido 1,5% ao comparar o primeiro trimestre deste ano com o de 2017. O rendimento médio real dos trabalhadores da indústria registrou alta de 2% no mês passado, assim como o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI), que voltou a crescer, subindo 0,2 ponto percentual, alcançando 78,2%. 

O conjunto desses indicadores e outros dados referentes ao setor manufatureiro, segundo os economistas do Bradesco, que produziram o material acima na sua newsletter desta manhã, sugerem uma tendência de recuperação gradual da atividade do setor, ainda que com alguma volatilidade nos resultados mensais.

Nenhum comentário: