Depois de 21 meses, produção industrial parou de cair no Brasil

A produção da indústria brasileira parou de despencar pela primeira vez após 21 meses de queda, e registrou, em agosto, um índice de 50,8 pontos. Os industriais também já pensam em voltar a investir.

A notícia ruim é que há, ainda, uma expectativa de redução do número de empregos.O uso da capacidade instalada também continua baixo, segundo a CNI, em 66% - mesmo índice registrado em agosto de 2015. De acordo com a entidade, apesar de estar baixo, este índice carrega uma boa notícia: embora a ociosidade continue alta, é a primeira vez, desde abril de 2014, que este indicador não cai, na comparação anual. Se o recorte considerar apenas as grandes indústrias, o uso da capacidade instalada ficou em 71% em agosto.

Os dados constam da Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala de zero a 100 pontos, valores acima de 50 pontos são considerados positivos.

Por meio de nota, o economista da CNI, Marcelo Azevedo, informou que o resultado se deve, em parte, ao fato de muitas empresas de grande porte serem exportadoras, portanto, não dependendo apenas da demanda interna. Ele cita também, como relevante, o fato de as encomendas de fim de ano serem iniciadas em agosto. 

6 comentários:

Anônimo disse...

Eike quis entregar repasses ao PSDB e a reação da Lava Jato foi devolver a lista:

22/09/2016 - Cíntia Alves - Jornal GGN

Um empresário decide colaborar espontaneamente com a Lava Jato entregando uma lista de doações de cunho "oficial e privado" a vários partidos e políticos, incluindo o PSDB. Qual a reação dos procuradores? Descartar a informação porque extrapola o campo de combate contra as gestões petistas e devolver a lista? Pois foi o que aconteceu no caso Eike Batista e Guido Mantega.....


Jornal GGN - Imagine a seguinte cena: um grande empresário brasileiro lê nos jornais que a Lava Jato chegou ao casal de marqueteiros que fez as campanhas de Dilma Rousseff em 2010 e 2014 e decide, espontaneamente, procurar a força-tarefa para explicar por que fez um repasse à dupla, em conta no exterior, no valor de R$ 5 milhões.

Para mostrar boa-fé, o magnata aproveita a oportunidade para entregar à Lava Jato uma lista de doações que ele fez de maneira "oficial" ou "privada" - sugerindo uso de caixa dois com direito a formulação de contratos de prestação de serviços.

Essas doações, segundo ele, foram feitas "republicanamente", com valores iguais a vários partidos e candidatos que o empresário sequer chegou a conhecer, como é o caso do senador Cristovam Buarque (PPS). E diz a frase mágica: se teve repasse de R$ 1 milhão ao PT, teve também ao PSDB.

Qual a reação dos procuradores? Descartar a informação porque extrapola o campo de combate contra as gestões petistas e devolver a lista? Pois foi o que aconteceu no caso Eike Batista e Guido Mantega.

Há PARA HOOO........OU não?

Ivan Alencar disse...

Só por isso já se atingiu a suficiência para correr com a turma das trevas.
E ainda há mortadelas que querem a volta dos promotores do atraso!

Fernando disse...

Milagre! Até a corrupção acabou. Alvíssaras....

Anônimo disse...

O nível industrial está se recuperando graças a Dilma! A queda dela, por certo!

Anônimo disse...

Isso é o efeito Temer já dando resultado, e tem idiota que quer ver o novo presidente aplicar o mesmo remédio que os petralhas usaram, isto é, encher o país de obras federais superfaturadas, demoradas e inacabadas, e que na verdade eram usadas para saquear o dinheiro público, o que provocaria o mesmo voo de galinha da economia no período em que o PT-Lula-Dilma estiveram no comando, às custas do endividamento do Brasil. O temer está certo em buscar investimento de fora.
Bora Temer!

Anônimo disse...

PIBINHO DO PT,PT DIZIA Q ERA PIBINHO NAO ERA NADA DEMAIS E BLA BLA BLA MAROLINHA DO LULA, PT DESTRUIU O PAIS, TEM É Q SER CASSADO

PELAS DELAÇOES DOS MARQUETEIROS,PELO Q DISSE EIKE BATISTA Q APRESENTOU PROVAS AO IR NA POLICIA,DILMANTA TERIA RECEBIDO GRANA DE CONTA DO EXTERIOR ISTO DA CADEIA- CADEIA NELA