Advogados dizem que Eike reafirma declarações feitas ao MP

O empresário Eike Batista, por meio de seus advogados, reafirma as declarações sobre doação eleitoral, realizada em 2012, a pedido do então ministro da Fazenda Guido Mantega. No entanto, nega qualquer relação ou contrapartida de qualquer negócio envolvendo a OSX, companhia que fundou, no âmbito do chamado consórcio Integra ou qualquer outro.
O empresário prestou depoimento espontâneo ao Ministério Público Federal em 20 de maio deste ano. Nele, relatou ter recebido, em novembro de 2012, um pedido de Mantega para doar R$ 5 milhões para o PT. O relato motivou o nome da Operação Arquivo X, 34ª fase da Lava Jato, deflagrada nesta quinta-feira.

3 comentários:

Anônimo disse...

Na lógica de Moro, Temer também seria preso:

22 de Setembro de 2016 - Brasil 247

A barbeiragem de hoje do juiz Sérgio Moro ultrapassou qualquer limite da imaginação.

Nunca antes um juiz cometeu um ato tão irresponsável: mandou prender um ex-ministro da Fazenda dos governos Lula e Dilma expondo-o a um vexame nacional e internacional e logo em seguida anulou a medida por razões humanitárias.

Ou seja: se ele não tivesse sido preso no hospital onde sua mulher, acometida de câncer estava prestes a ser submetida a uma cirurgia ele não teria sido solto?

Afinal, havia algum motivo consistente a justificar sua prisão, ainda que por cinco horas?

Segundo Moro, ele deveria ser preso temporariamente porque Eike Batista havia delatado seu pedido de 5 milhões de reais para quitar dívidas de campanha do PT, em novembro de 2012, sem apresentar uma prova sequer de que esse pedido realmente aconteceu.

E disse que não cabe a ministro de estado pedir contribuições ao seu partido.

Moro tem toda a razão. No entanto, a 15 de agosto último o então presidente interino Michel Temer reconheceu ter feito exatamente a mesma coisa que Moro condena agora: pediu dinheiro a Marcelo Odebrecht na sede do governo, o Palácio do Jaburu:

"Eu não tenho medo dessas coisas. Eu já confirmei que jantei com Marcelo Odebrecht, no Jaburu, em 2014. Como é natural, o partido me pressionava para obter recursos para os seus candidatos. A Odebrecht contribuiu? Claro que sim. Eu era presidente do partido e ele acertou uma contribuição. Até se falou em R$ 10 milhões, mas na verdade foram R$ 11,3 milhões que ele entregou ao partido — tem a prestação de contas para todos os candidatos a governador...Eu não sei se ele falou. A coisa vai para a imprensa e você não sabe se é fruto da delação, se é fruto do advogado. Você não sabe de onde veio. Então, o que eu faço? Eu não vou negar que ele esteve comigo, como tantos outros empresários estiveram comigo. Ainda hoje, quando não há a menor possibilidade de pessoa jurídica eles vêm me perguntar como vão colaborar. Quando havia a possibilidade das doações, era uma enxurrada de gente pedindo para colaborar."

Mantega é acusado de pedir 5 milhões enquanto ministro de estado. Sem provas se de fato pediu e se de fato pediu dinheiro limpo ou sujo, apenas a palavra de um empresário falastrão e falido. E ele nega.

E por esse motivo Moro o prende.

Temer admite ter pedido 10 milhões enquanto vice-presidente da República dentro do palácio do Jaburu ao empresário Marcelo Odebrecht. O dobro do que Mantega teria pedido.

E por esse motivo Moro não o prende.

Anônimo disse...

Recordista em delações, Aécio pede rigor contra Mantega:

22/09/2016 - Brasil 247

"Nesta nova fase da Operação Lava Jato, o Brasil assiste, entre atônito e indignado, as notícias de que nem mesmo a mais alta autoridade econômica do país durante a maior parte dos governos Lula e Dilma escapou do cerco ao Estado brasileiro conduzido pelo PT e seus apoiadores", diz o senador Aécio Neves (PSDB-MG), político mais citado em delações na Lava Jato; "As notícias são extremamente graves e as investigações devem ser aprofundadas"....

Anônimo disse...

SIM, EIKE BATISTA FOI A POLICIA ESPONTANEAMENTE E ENTREGOU DOCUMENTOS, FALOU QUE MANTEGA O PROCUROU PEDINDO GRANA P CAMPANHA DO PT, HUM..... OLHEM O DEPOIMENTO DELE NO YOU TUBE

PT - PARTIDO TRAIRA, GOVERNO DE LADROES