Rendimento do trabalhador mostra retrocesso de três anos

Estudo da Serasa mostra que o desemprego já provoca calote e que ele ganha força no Norte e no Nordeste. Isto tudo ocorre em função dos selvagens desequilíbrios das contas públicas e da má gestão da economia, tudo obra do governo Dilma. 


A redução nos salários e as demissões já provocam um retrocesso de três anos no nível da massa de rendimento dos trabalhadores. São dados do IBGE. No primeiro trimestre deste ano, a massa de rendimentos somou R$ 173,45 bilhões, queda de 4,1% ante igual período de 2015. Isso já significa um retrocesso de três anos na massa de rendimento.

O Brasil fechou 1,384 milhão de vagas no primeiro trimestre de 2016 ante igual período de 2015, uma queda de 1,5% no período.

Hoje, o número de trabalhadores no Brasil está diminuindo, e o país já tem 11,089 milhões de desocupados, um recorde na série iniciada em 2012.

Em apenas um ano, 1,384 milhão de pessoas perderam o emprego, o que contribui para a retração na massa de rendimentos, com consequente perda no poder de compra dos brasileiros

O emprego com carteira assinada no setor privado caiu 4,0% no primeiro trimestre de 2016 ante igual período de 2015.

2 comentários:

Anônimo disse...

E o que dizer da CUT pelega e dos petralhas, que diante desse cenário, teimam em tapar o sol com a peneira e defender o partido-quadrilha que produziu esse caos?

Anônimo disse...

Votem nos PeTralhas e não se queixem.