Presidente e três diretores da OAS confirmam obras no triplex e no sítio, reproduzindo diálogos com o próprio Lula.

No ano passado, Veja tinha adiantado o que aconteceria quando Leo Pinheiro falasse. Na época, Lula e seus aliados lulopetistas atacaram a revista. 

Confirmando o que adiantou esta manhã o blog O Antagonista, que não adiantou nomes, o que se soube agora de tarde é que se trata delação do empresrio Léo Pinheiro, ex-presidente e sócio da empreiteira OAS condenado a 16 anos de prisão na Operação Lava Jato. Ele decidiu fazer um acordo de delação premiada, segundo a Folha de São Paulo apurou junto a profissionais e investigadores que acompanham as negociações. Pinheiro deve relatar casos envolvendo o ex-presidente Lula, como as reformas do apartamento triplex no Guaruj (SP) e do sítio de Atibaia (SP), e pagamentos de suborno que teriam sido feitos pela Odebrecht e para parlamentares que defendiam interesses da OAS.

E vai apresentar documentos, testemunhas e provas de que Lula tratou pessoalmente com ele nos dois casos.

Leo Pinheiro era um dos empreiteiros mais próximos de Lula e de políticos de Brasilia. 

Por envolver parlamentares com foro privilegiado, a negociação está sendo feito com a PGR (Procuradoria Geral da República), de Brasilia, e no com a força-tarefa de procuradores federais de Curitiba. A expectativa dos investigadores que ser a delação mais bombástica da Lava Jato, que já soma 40 colaboradores.

Outros executivos da empreiteira, como Agenor Franklin Magalhães Medeiros, também vão participar do acordo, relatando casos de corrupto.

Nos esboços das declarações, que estão sendo escritos nesta semana, Pinheiro deve dizer que a empresa preparou o apartamento do Guarujá para Marisa, mulher de Lula, e que, posteriormente, ela não quis ficar com o imóvel. Ele confirmará que a OAS bancou parte das reformas no sítio –a Folha revelou que a obra foi tocada por uma espécie de consórcio informal de amigos de Lula, formado por OAS, Odebrecht e a Usina São Fernando, do pecuarista João Carlos Bumlai.

A Odebrecht já confirmou que um de seus funcionários, o engenheiro Frederico Barbosa, atuou na reforma, mas não explicou até agora de onde veio o dinheiro para as obras.

Pinheiro contar, segundo a Folha apurou, que pagou dívidas da campanha de Dilma Rousseff de 2010, para a agência Pepper. Foram pagos pela OAS R$ 717 mil para a agência que cuidava da imagem de Dilma nas redes sociais, como o Facebook.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

10 comentários:

Anônimo disse...

A CASA CAIU, OU MELHOR, O TRIPLEX CAIU.

Anônimo disse...

Ahhh a Marisa não quis ficar com o imóvel..e onde está o crime ai? Mas são uns babacas!

Anônimo disse...

Testemunha diz que Odebrecht pagou obra em sítio frequentado por Lula

Do G1 - informações do JN

A ex-dona de um depósito de material de construção no interior de São Paulo disse que a construtora Odebrecht, uma das investigadas na Operação Lava Jato, pagou os itens usados na reforma de um sítio no interior de São Paulo usado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e por parentes dele.As obras teriam começado em 2010, quando Lula ainda era presidente da República. O sítio fica no meio de uma mata, em Atibaia, interior de São Paulo. Tem mais de 170 mil metros quadrados, piscina e até um lago.

OPERAÇÃO LAVA JATO: PF investiga esquema de corrupção
A TV Globo conseguiu no cartório de imóveis a certidão de matrícula que comprova que os donos da propriedade são Fernando Bittar e Jonas Suassuna, os dois sócios de Fábio Luís da Silva, filho do ex-presidente. (...)

Material de construção
A equipe da TV Globo conversou com Patrícia Nunes, mulher do dono da loja de construção que forneceu material para a obra no sítio. Ela disse que a obra foi acelerada.

"Eu me lembro do fim da obra, que eles aceleraram muito a a partir de 15 de dezembro. Como eu falei, a gente só entregou para eles. Eles tinham equipes trabalhando em turnos de 24 horas e acelerou muito, e aí eu me lembro que acabou no dia 15 de janeiro", afirmou.

saiba mais
Promotor intima Lula e Marisa para depor sobre triplex
Promotor contesta versão de Lula de que não tinha triplex em Guarujá
Dirceu diz à Justiça que reforma de apartamento foi paga por lobista

Segundo o jornal "Folha de S.Paulo", que publicou reportagem sobre o assunto na edição desta sexta-feira, ela também disse que a obra custou R$ 500 mil e dotou o sítio de quatro suítes e área de lazer com churrasqueira.

De acordo com Patricia Nunes, os trabalhos no sítio foram coordenados pelo engenheiro da Odebrecht Frederico Barbosa, que cuidou da construção do estádio do Corinthians.

"O Frederico chegou, a gente fez um cadastro em nome do CNPJ que ele deu, que até então, para a gente, era Odebrecht. E aí ele começou a pedir material", afirmou.

Em nota, o engenheiro disse que foi procurado por um amigo para realizar a reforma de uma residência no município de Atibaia e que apoiou a obra durante período de recesso. "Nunca dei orientações sobre emissões de notas fiscais pela loja mencionada nem realizei tais pagamentos", afirmou na nota.

Patricia Nunes disse que quem pagava as contas do material de construção era outra pessoa. "Era um senhor que eu não me lembro o nome. Mas ele era calvo, grisalho, gordinho. Eu não me lembro o nome dele, ele vinha só para fazer pagamento", declarou.

- "Quanto ele pagava para você por semana? - "Mais ou menos R$ 70 a 90 mil. - "Mil reais? - "É"; - "Por semana?"; - "Por semana"; - "Em dinheiro vivo?" - "Em dinheiro vivo"

PS: Tem alguma contradição nessa história a Globo ´diz que foi a Odbrech, tem até testemunha, agora aparece uma delação que foi a OAS. Alguém está mentindo? Ou a Globo e os Delatores da OAS mentem, ou seja, os dois?

Anônimo disse...

PEPPER é apenas uma empresa dos mafiosos!

AINDA encontrarão dinheiro para aquela empresa Venezuela que apurou a contagem de votos para a presidência.(SMARMATIC) Lembram?





elias disse...

16:20
Além de loboti8zado é uma zebra.
Nada que o teori, o levandoski e outros merdas não corrijam.
Dá nada.
Não sei como o bananão ainda não implodiu. Ou já implodiu e nossa midia isenta - como esse das 16:20 - não noticiou.

Anônimo disse...

Tripex,sítio.. Hum...o barbudo dizia q n era dele o sitio,agora mudou disse q foi presente...hum....cade as algemas

Anônimo disse...

Tem razão, 16:20, eu também experimentei a tua irmã, NÃO GOSTEI e mandei ela para escanteio. Onde está o crime? Se alguém teve prejuízo
fui eu, com a gozação dos conhecidos por ter encarado uma baranga
sem igual. Prometi a mim mesmo que se virem eu agarrado a material
semelhante DE NOVO, SEPAREM, que é briga,

Cap Caverna disse...

Esse canalha nordestino, está cada vez mais enredado! Quem nasceu pra ser chinelo, morre chinelo! FdP.

Anônimo disse...

Esse canalha cagão do Lula colocou o nomes do netos nos pedalinhos do sítio, e quer nos convencer que a propriedade não é dele. Se deixar esse vigarista medroso vai acabar colocando a culpa nos netos!

Anônimo disse...

Anônimo das 16:20, tu és um tolo, um sem caráter e um babaca petralha! O imóvel é da Bancoop e foi
"vendido"à famiglia Lulla da Silva, ao mesmo tempo que desviavam dinheiro da cooperativa, via vaca, para as campanhas eleitorais do pt. Também tem muito dinheiro desviado de Petrobras, fundos de pensão e por aí vai. Essa mulherzinha sabe de tudo, mas finge-se de morta.
Se não fosse a Operação Lava-jato, a cúmplice do marido cachaceiro estaria refestelada no triplex, cozinhando na kitchens umas polentas e rindo da nossa cara de otários.