Sartori manda LDO para a Assembléia. LDO prevê total congelamento de salários para 2016.

O governador Sartori encaminhou à Assembleia o projeto de lei que define as diretrizes da Lei Orçamentária de 2016. O projeto prevê o congelamento de reajustes salariais para o funcionalismo público. 

O congelamento atinge todos os Poderes.

A grita já começou nos outros Poderes e também entre os principais líderes do funcionalismo. 

A proposta é manter em 2016 somente a correção de 3% nos vencimentos, índice que é relativo ao chamado crescimento vegetativo — direitos conquistados por lei pelos trabalhadores.


O governador negou-se a falar com a imprensa. Seu secretário do Planerjamento, Christiano Tatsch, e o vice José Cairolli, destacados para falar, nada disseram de importante. Tatsch, no entanto, avisou que com receita finita, será preciso trabalhar com despesa também finita. Como os dados não são ainda conhecidos, não se sabe (13h50min) ainda, se os "números" do governo conferem com as declarções do secretário, mas é provável que sim. 


15 comentários:

Anônimo disse...

O projeto de Lei 177/2015 vale a pena ser lido na íntegra. Prevê muitos cortes e os números são consistentes. Entretanto, fica claro que a conta ficará para os servidores públicos. Já o setor privado (que TAMBÉM já é bastante sacrificado e TAMBÉM contribui muito para Estado, diga-se) não dará sua parcela de contribuição. O Governador parece esquecer que servidores são pessoas e não números, e, como tal, quando descontentes podem pressionar o governo e quem irá sofrer as consequências será população, infelizmente. Assim, seria sábio o Sr. Governador ao se preocupar com as finanças, mas sem esquecer que foi eleito para administrar pessoas... pois são elas que trabalham... ou talvez o Governador enfrente tempos difíceis, vide no caso do Paraná.

Anônimo disse...

Não passa não e vai dar um tiro no pé.

Anônimo disse...

Dura tarefa para um blog chapa-branca dar este tipo de notícia. Como sempre ocorreu neste espaço, seria bem mais fácil fazer esta manchete se o governo fosse do PT.

Anônimo disse...

Que não se enganem os funcionários públicos, estas medidas só valerão para vocês, porque duvido que legilativos e judiciários cumpram isso. Agora é inadmissível que o funcionalimo seja novamente punido, uma vez que o responsável ou os responsáveis não sofram nenhum tipo de punição. Pior, ainda são premiados recebendo aposentadorias vitalícias. Até quando povo?

Anônimo disse...

Não bastasse o congelamento, o governador que contou com incondicional apoio do blogueiro editor também anunciou o atraso dos já minguados salários do funcionalismo estadual. De mal a pior o tiririca dos pampas!!!

Anônimo disse...

Polenteiro Caloteiro. Meu partido é o Rio Grande$$$$$$$$.

Anônimo disse...

Parabéns ao Sartori, para isso foi eleito.
Para governar para 10 milhões de gaúchos, tirando o RS do buraco financeiro.
Sei que a barra vai pesar, e muito, pro lado dele, mas ganhou meu respeito.

Anônimo disse...

Parabéns Sartori, quem votou no PMDB, votaria de novo. Para fechar com chave de ouro manda um projetinho de Lei para a AL que passa e o povo gaúcho vai dizer amém.

Anônimo disse...

esta tomando estas medidas mas o pano de fundo sera na sequencia o aumento de impostos

Anônimo disse...

na sequencia vira o aumento de impostos, que é realmente o que eles desejam.

Lucaspsb disse...

Tudo muito lindo e politicamente correto o que estão comentando aí embaixo. Tá gente, e cadê a responsabilização do Tarso Fernando pelas mancadas dos 4 anos de PT? E SE O TARSO AUMENTASSE 200% OS IMPOSTOS, LIMITASSE OS SALÁRIOS A 5 MIL, NÃO HAVERIA RECLAMAÇÃO PORQUE É PARA "O BEM DO POVO", E A CUT APOIARIA, então, nessa lógica, o Sartori pode fazer o mesmo. Agora que conseguiram quebrar o estado, aguentem as consequências.

Anônimo disse...

PARABÉNS SARTORI !!!

OS PARASITAS INSATISFEITOS QUE ENTREGUEM OS CARGOS E VÃO PARA INICIATIVA PRIVADA !!!!!

Anônimo disse...

Quem sabe um dia os eleitores aprendam em quem votar.
Quem sabe um dia os eleitores aprendam a fazer contas.
.....
O pior desta mensagem é que a maioria vai pensar que estou dizendo que votando em Sartori votaram errado. Só que é o contrário.
Sartori está tentando dar SUSTENTABILIDADE ao governo de modo a não gastar mais do que arrecada.
Já quem passou quatro anos gastando mais do que arrecada e esvaziou os cofres deixando uma herança maldita, como estamos vendo, este não é cobrado e provavelmente se voltar a concorrer terá um eleitorado cativo que não liga prá essas mumunhas. Só podem gostar de calote.
Há mas o antecessor não deu calote.
Claro ele tomou dinheiro a mais não poder do caixa único e dos depósitos judiciais e inclusive esgotou o limite de empréstimos que o govêrno poderia tirar e usou dinheiro em desvio de função com se noticiou quando usou dinheiro das obras de estradas para pagar funcionalismo. Raspou o cofre até onde deu.
Daí?
Não sobrou nada para o sucessor.
O sucessor que se vire.
Os eleitores jamais vão se preocupar com quem esvaziou o cofre.
O que os eleitores querem é que o sucessor fabrique dinheiro.
Só que a fábrica fechou. Não tem mais papel e nem dinheiro para comprar matéria prima.
Alguém tem que pagar a conta.
Claro que vai estourar no bolso do contribuinte/eleitor.
Mas eu já sabia e falei isto várias vezes inclusive em tópicos do blog.
O Prof. Darcy F.C dos Santos cansou de informar sobre a situação de insolvabilidade que o Estado caminhava.
Quem quis ouvir ouviu, quem não quis ouvir agora se supreende.
É uma pena que não liguem muito para a matemática.

Anônimo disse...

Povo burro tem se que fuder mesmo. Poderiam ter reeleito a Yeda Crusius e hoje, certamente, teríamos um Estado solvente, bem melhor para se viver, para investir, com mais saúde, mais educação, mais segurança.

Mas o povo "mais culto e instruído do Brasil" - he, he - ainda temos esta fantasia para massagear nossos egos - preferiu votar num demagogo incompetente, como a maioria dos petistas, no Tarso Genro.
O resultado da má escolha chegou: um estado falido, sem saúde, sem segurança e sem educação.

Anônimo disse...

Povo burro tem se que fuder mesmo. Poderiam ter reeleito a Yeda Crusius e hoje, certamente, teríamos um Estado solvente, bem melhor para se viver, para investir, com mais saúde, mais educação, mais segurança.

Mas o povo "mais culto e instruído do Brasil" - he, he - ainda temos esta fantasia para massagear nossos egos - preferiu votar num demagogo incompetente, como a maioria dos petistas, no Tarso Genro.
O resultado da má escolha chegou: um estado falido, sem saúde, sem segurança e sem educação.