Colnaghi aconselha redução de 10% a 15% nos preços dos imóveis semi-novos gaúchos para garantir vendas no RS

O diretor da gaúcha Colnaghi, Paulo Colnaghi, disse esta tarde ao editor que a crise de liquidez atual, com poucos clientes circulando no mercado imobiliário, está refletindo nas estratégias das empresas do setor. O que ele informou: “ Neste ano, a Colnaghi Imóveis já reuniu os seus clientes para atualizá-los em relação às perspectivas de compra e venda. A conseqüência vem sendo os ajustes nos preços dos semi-novos, com reduções que variam de 10% a 15% em relação a 2014”.

., De acordo com os consultores imobiliários da Colnaghi, proprietários que não baixaram os preços neste período de janeiro, tendem a fazê-lo no decorrer do ano pela necessidade natural de reduzir o tempo de venda de seus imóveis. Da carteira de clientes da empresa, 30% já aceitaram o atual cenário e readequaram os seus valores, considerando o grande volume de oferta disponível para poucos compradores

5 comentários:

Capitão Tormenta disse...

Estes Senhores corretores, quando a coisa fica preta, eles querem baixar os imóveis usados, eles deveriam também baixar os novos, em 20%, pois o m², em Porto Alegre, é mais caro que S.Paulo, e com qualidade muito inferior, talvez aprendam nossas construtoras gaúchas com a crise que esta no horizonte e vai bater forte neste setor.

Anônimo disse...

Cobram caro e nunca entregam no prazo. Não podia ser diferente, são os que estão mandando no abobrão.

Anônimo disse...

Os apartamentos novos em POA estão com preços absurdos, fora da realidade.
Usados tem preços até razoáveis.
O corretor quer é vender os novos.

Luiz Vargas disse...

A coisa vai ficar PreTa a partir da segunda quinzena de março quando a dura realidade mostrará que o país está quebrado e falido por irresponsabilidade de uma quadrilha bandoleira que atende pela alcunha de PeTê.

Anônimo disse...

Vai haver sangue no mercado imobiliário.
Quem quer comprar e esperar passar 2015 vai comprar imóveis em 2016 com no mínimo 40% de desconto, seja novo, seminovo ou usado.
Quem quer vender não deve esperar 2016, deve vender com descontos de 20 a 40% mesmo que assumindo um prejuízo menor (a maioria vai GANHAR dinheiro mesmo com 20 a 40% de desconto, principalmente as empresas).
Isto já está previsto há uns dois ou três anos... na época em que todos achavam que estavam ricos e que "imóvel nunca desvaloriza". Eu já comento isto neste site há um ano e meio.
Diretor de empresa vir a público admitir queda de 10 a 15% é só o começo...