Tarso Genro nomeou como CC a própria cunhada quando foi prefeito de Porto Alegre

Tarso sempre foi muio carinhoso com a família. Na foto ao lado, ao lado de Tarso está sua mulher, Sandra Krebs, cuja irmã foi parar numa CC da prefeitura. Na foto estão também Luciana Genro e seu filho Fernando.

Em Brasília, Tarso Genro levou a cunhada para polpudo CC, Cargo em Comissão, na Câmara dos Deputados. Na época, o atual governador era deputado Federal. Na época em que Tarso Genro praticou sucessivos atos de nepotismo, 9 das 35 prefeituras administradas pelo PT no RS faziam o mesmo, conforme identificou na ocasião o jornal Folha de S. Paulo (edição de 7 de fevereiro de 2001). Na administração Olívio Dutra, o governo foi um antro de nepotismo.

O governador Tarso Genro (PT-RS), manteve em Cargo em Comissão (CC) a própria cunhada, Silvia Lemos, em fevereiro de 2001, quando era prefeito de Porto Alegre. Ela ocupou a CC na função de secretária. O ato assinado por Tarso Genro ajudou a irmã da sua mulher, Sandra Krebs.

. Pelo exercício dessas funções, o ato em questão definia o salário mensal de R$ 1.925,00 por mês naquela época, sujeita a contratada a regime de 40 horas semanais de trabalho, sendo de 8 horas a jornada diária, devendo a frequência ser atestada.

. Na época, antes de assumir a CC, a cunhada Silvia Lemos trabalhou com Tarso Genro no seu escritório de advogado, que ele comandava e do qual se desligou ao final de 2000, quando se elegeu.

. Não foi a única CC que Silvia levou do cunhado, porque ela trabalhou com Tarso quando ele administrou a capital gaúcha anteriormente, 93 a 96, e quando foi vice-prefeito de Porto Alegre (89 a 96).

. Na administração do governador Olívio Dutra, PT, o cunhado também consegui-lhe outra CC .

. Tarso Genro nunca considerou que estivesse praticando nepotismo, mas ele desrespeitou sempre a resolução do PT nacional, que determina que mandatários petistas não nomeiem ou designem cônjuge, companheiro ou parente até terceiro grau como funcionário da administração.

. Reptado publicamente para se explicar, ele avisou:

 - É legal (o ato de nepotismo em relação a cunhada), não infringindo nenhuma norma vigente, perfeitamente ética e adequada aos princ´lios que norteiam a administração pública.

. Ele sempre achou que a nomeação da irmã da sua esposa não caracterizava nepotismo. Leia o que ele disse:

- A informação sobre a nomeação desorienta a opinião sobre o real significado do nepotismo, cujo combate, tanto pela imprensa como pela ação  política, é correto.

. Depois disso, o governador consultou a direção estadual do PT, que entendeu que existia mesmo constrangimento político na contratação de Silvia Lemos.

. Consultado, o PT mandou Tarso demitir a cunhada.

. Foi o que ele fez, mesmo contrariado.

. Na época, o presidente dop PT era Júlio Quadros, que reuniu a Executiva para tomar a decisão. 

8 comentários:

Anônimo disse...

A cara do PT , ataca todo mundo e tenta esconder o seu rabo .

Anônimo disse...

Nessa briga de CCS, quem vai faturar é o Sartori. Ele deve ir para o 2o. turno porque a decepção com a Ana Amélia é enorme.

Anônimo disse...

Capaz que não!!! O nePoTismo está no DNA do PeTralha Tarso, assim como ser corruPTo, PilanTra, PaTife e incomPeTente!

Anônimo disse...


Como é que tem gente que ainda vota neste cara !
Santa ignorância !

Anônimo disse...

Sintomático! Afinal, de políticos bananeiros, esperar mais o quê?

Anônimo disse...

Gostaria de saber, já me antecipando, como pedir indenização ao Estado RS. Quando o Tarso fala na propaganda política seu nariz vai aumentando, aumentando, que esta quase rebentando a tela de LCD da minha TV.

Anônimo disse...

Sorria VOCÊ TAMBÉM, eleitor destes!

Dá pra perceber que a DISSIMULAÇÃO é característica familiar.

Anônimo disse...

São uns "amores"!