Recupere, aqui, a fala de apoio do governo Tarso Genro ao concorrente porto de Rocha, Uruguai

Embora o governo federal tergiverse publicamente sobre o apoio financeiro de US$ 500 milhões que pretende dar ao projeto de implantação do superporto de Rocha, Uruguai, 90 kms da fronteira do RS, que prejudicará tremendamente o porto de Rio Grande e a economia do Estado, o governo gaúcho do sr. Tarso Genro apóia o empreendimento.

. Eis o que sobre o assunto disse ao jornal Zero Hora o secretário de Infraestrutura e Logística de Tarso, João Fictor Domingues:

- O Rio Grande do Sul não será prejudicado economicamente com a construção do porto uruguaio e que o apoio do BNDES se justifica porque ajuda o Brasil a consolidar a posição de liderança na América Latina.

. O governo estadual não tem mais abordado o assunto, mas a fala de João Victor não foi desautorizada até agora.

CLIQUE AQUI para ler a manifestação do secretário ao jornal Zero Hora.

4 comentários:

Anônimo disse...

A verdade é que esse governo do PT é muito mais liberal do que o PSDB.

Anônimo disse...

Políbio,

O que o Brasil ganha??? NADA!!

É só política partidária da Esquerda!!

O Tarsinho é capacho da Dillma!!

JulioK

João Coragem disse...

Polibio, no Uruguai chegam a dizer que o porto de Rocha é respladado pelo Brasil por ser complementar (e não concorrente!) a Rio Grande, que já este está "saturado"...

Dijo que el gobierno reconoce “este gesto de Brasil” porque “ellos pueden tener un interés positivo” que le “ayudará” a reducir sus costos de transporte. Según el presidente, el puerto de aguas profundas en Rocha no es visto por Brasil como una “competencia” de la terminal que este país tiene en Rio Grande do Sul, sino como un proyecto “complementario” para impulsar el transporte marítimo de este puerto que hoy está saturado...acorda gauchada!

fonte: http://www.elobservador.com.uy/noticia/231943/brasil-respaldo-puerto-de-aguas-profundas-y-ofrecio-financiarlo/

Anônimo disse...

Documento prova:
STF protegeu Dantas !​

O sumiço do Inquérito 2474 teve o efeito de ​ ​esconder o “esquema criminoso” !!!​

O blogueiro Alexandre Cesar Teixeira, do valente Blog da Megacidadania​ acessou documentos do Ministério Público que reabrem o “mensalão”do PT, porque o dos tucanos jamais será julgado !

Como disse o Lula: 80% do julgamento no STF foi político, porque o mensalão não existiu !​

​É o que o Alexandre agora demonstra inequivocamente:

No exato momento em que o ex presidente Lula declara à imprensa internacional que o julgamento do ‘mensalão’ teve “80% de decisão política e 20% jurídica”, o blog Megacidadania apresenta documento inédito no qual se comprova que Joaquim Barbosa sabia da existência do Laudo 2828 e que ele serviu de base para o ainda sigiloso inquérito 2474.

INFORMAÇÕES PRELIMINARES

No dia 06 de março de 2007 foi aberto no STF o inquérito 2474 que ficou sob a responsabilidade exclusiva de Joaquim Barbosa até o dia 01 de agosto de 2013.

Diversos blogs por toda blogosfera já divulgaram trechos deste sigiloso inquérito 2474, mas, nunca antes se teve acesso a qualquer documento oficial que tratasse publicamente do 2474. Pois agora temos. Trata-se do Voto 3946 de 20 de maio de 2013.

VOTO 3946 DE 20 DE MAIO DE 2013

Neste importante documento o MPF analisa um conflito de atribuições entre o MPF do DF e o de MG, exatamente sobre quem deva acompanhar o caso do inquérito 2474.

E neste Voto 3946 são feitas afirmações surpreendentes, a saber:

* A estrutura básica do esquema criminoso se erigiu sobre a formação de quadrilha, a corrupção, o peculato e a lavagem de dinheiro;

* O inquérito 2474 decorre do fato de a denúncia que originou a AP 470, não ter incluído outros eventos que não puderam ser, naquela altura, objeto de imputação;

* Investigação realizada pela PF encontrou elementos de prova que confirmam que empresas pertencentes ao grupo Opportunity aderiram ao esquema de Marcos Valério.
(...)

CONCLUSÕES

Este Voto 3946/2013 é bem curto, são apenas 10 (dez) páginas. E nele estão registrados fatos já superados como a denúncia de Marcos Valério contra o ex presidente Lula. Porém, o surpreendente é que pela primeira vez se pode ler, em um documento oficial da própria PGR/MPF, que o Laudo 2828 foi utilizado como instrumento decisivo para fundamentar os trabalhos do sigiloso inquérito 2474. E isso derruba definitivamente o argumento de Joaquim Barbosa de que o 2474 nada tinha que ver com a AP 470.

Joaquim Barbosa como relator da AP 470 e também do inquérito 2474, sempre soube da existência do Laudo 2828 da Polícia Federal. Este Laudo 2828 ficou pronto em 20 de dezembro de 2006. E tudo confirma que, s.m.j., ao ter ciência de que o Laudo 2828 desmontava o principal argumento da acusação que é o desvio de dinheiro público do Banco do Brasil realizado por um petista, o relator encaminhou este Laudo 2828 para dentro do inquérito 2474, impedindo assim que – antes da aceitação da denúncia – as defesas e os demais ministros tivessem acesso a este vital Laudo 2828.