Entrevista, Gustavo Grisa - Apoiar o porto de Rocha pode ser a pá de cal na nova economia do RS

ENTREVISTA
Gustavo Grisa, economista, diretor da Agência Futuro

Caso saia mesmo o financiamento do BNDES, US$ 500 milhões, para a implantação do superporto de Rocha, Uruguai, 90 kms da fronteira do RS, que reflexos isto causará ao porto de Rio Grande ?
Será a pá de cal em relação ao necessário movimento de retomada econômica do RS,e , principalmente, da estrutura econômica do nosso Estado para um médio prazo. Rio Grande, então, nem falar. A região tem como novo vetor econômico o Pólo Naval, mas ali surge toda uma nova economia.
Por que razão ?
Hoje temos duas questões fundamentais quando se fala em desenvolvimento: a viabilização de corredores logísticos competitivos e instituições que favoreçam investimentos públicos e privados – ou os dois em conjunto.
Que importância tem a questão logística para o RS ?
Por causa da competição. Precisamos melhorá-la terrivelmente por causa do nosso isolamento estratégico. São vitais o porto moderno de Rio Grande, a Ferrovia Norte-Sul ligando o Oeste de SC ao Oeste do RS, terminais aéreos gigantes, navegação hidroviária e lacustre de grande porte, rodovias duplicadas e de alto padrão.
Por que ficar contra o porto de Rocha, Uruguai ?
É legítimo que eles melhorem sua competição, mas não com o nosso dinheiro, que pode render mais frutos para nós se aplicados aqui mesmo no RS, na melhoria dos atuais padrões logísticos arcaicos. Ora, parece lógico que boa parte da nossa produção industrial e até de parte de SC, poderão ir para alguma ZPE ou Distrito Industrial de Rocha. Não tem lógica alcançarmos dinheiro para que estrangeiros concorram conosco.
E a saida ?
Prosseguir no apoio aos programas de modernização dos portos, além da viabilização de corredores logísticos no entorno de Rio Grande. Preixmos de um Programa de Competitividade Logística.

E-mail: gustavo.grisa@agenciafuturo.com.br

9 comentários:

Anônimo disse...

MAS É MUUUUUITO BEM FEITO PARA ESSES EMPRESÁRIOS BABACAS QUE APOIARAM DILMA. TOMA.

Anônimo disse...

Vai ser ótimo..vai ser um novo corredor para entrada de Arroz de outro PAIS ....caminho das pragas do arroz Tailandes ,Coerano etc...

Anônimo disse...

pode que sim - pode que não. O economista de plantão não assume que "vai ser", ou seja, é só chutomentro.

Anônimo disse...

Pensem bem, senhores: seria melhor deixar o Porto de Rochas para o capital Chinês??? Se não leram saibam que essa semana a China aportou muito dinheiro nas linhas férreas argentinas! Sou extremamente contra o clepto-poder petista mas as coisas não são simplistas assim. Rochas sairá. Resta saber: nosso ou chinês? ??

Anônimo disse...

Não seria possível, a construção, se querem construir um porto de águas profundas, no litoral brasileiro de Rio grande até Tubarão, afinal águas profundas nos temos, ou não?

Mais, a metade sul já é igual ao sertão nordestino, sem o porto de Rio Grande, ficaremos piores do que eles!

Anônimo disse...

Sr Polibio Braga


O povo gaúcho paga por não saber que

SEMEAR É LIVRE A COLHEITA OBRIGATÓRIA

Já perderam uma fábrica da Ford e mais as fábricas de apoio,
agora vão perder um porto,tudo por não saber SEMEAR.
Gaúcho politizado,BAH

Saudações

Anônimo disse...

HMMMMM....Primeiro, oque exatamente este porto ira Exportar ja que e' no Uruguay? Eles produzem algo por la? E se ira' importar do mundo afora ainda tera que pagar impostos para entrar no Brasil...ou nao? Para isso ser um problema para Rio Grande somente se uma ferrovia for construida saindo/entrando deste porto no Urugauy, indo direto a SP ou Buenos AIres ou Centro-Oeste!! Isso sera feito? Portos tambem tem que obedecer as 3 leis quando comprando um terreno: LOCALIZACAO, LOCALIZACAO e LOCALIZACAO. Se RG e' longe demais do resto do pais, quem dera Uruguay.....Esta faltando pessas neste scenario. Somente construir um porto nao adianta muito.

Anônimo disse...

Que estranho, Polibio... ontem alertei o risco do Porto de Rochas se tornar Chinês (serissimo risco) e minha mensagem não foi postada... As linhas férreas argentinas recebeu fortissimo aporte chines. Qual interesse em não dar publicidade ao que estacacontecendo na geopolotica da soja no cone sul???

Anônimo disse...

O Gustavo está certo, é o cúmulo fazer investimento aqui ao lado quando deveria ser aqui