Depois de 10 anos de predomínio, PSOL e PSTU são postos para fora do DCE da Ufrgs

PSOL e PSTU sofreram uma derrota surpreendente nas eleições desta quinta-feira para o DCE da Universidade Federal do RS, perdendo uma hegemonia que já durava 10 anos. Os dois Partidos envolviam-se diretamente na condução da entidade. O DCE é a mais importante entidade estudantil do RS. 

. A chapa vencedora, apoiada pelo MEL, Movimento Estudantil Liberdade, liderada por Gabriel Afonso Marchesi Lopes, obteve 40,44% dos votos válidos. O novo presidente do DCE é Lucas Jones, Presidente do Diretório da Computação (DACOMP), e tem como vice-Presidentes os estudantes Jardel Tessari, Presidente do Diretório de Medicina (CASL) e Bernardo Bortoluzzi, Presidente da Atlética de Engenharias da UFRGS. 27 mil estudantes estavam aptos a votar.

. Gabriel Afonso Marchesi Lopes, Presidente do Movimento Estudantil Liberdade, logo depois da vitória, fez esta análise para o editor:

- Esta conquista representa o verdadeiro sentimento dos estudantes da UFRGS, que querem uma entidade que os represente e que busque atender suas e demandas ao invés de se pautar por interesses de partidos políticos. 

. Os grupos de extrema esquerda e esquerda dividiram-se nesta eleição, comprovando que nenhum deles isoladamente venceria o pleito. A extrema esquerda (PCR, S21, ULD, AE, DS, MPT e Levante) obteve apenas 5,47% de todos os votos e foi esmagada. Veja:

Chapa 1 (Situação) – Nada Será Como Antes! Nas ruas e na UFRGS!
Vinculo:  PSOL, PSTU
1975 votos - (32,45%)

Chapa 2 – DCE para Tod@s
Vínculo: PCdoB, PDT, PSB, MM(PT)
1250 votos - (20,54%)

Chapa 3 – DCE de Verdade: Nosso partido é o estudante!
Vínculo: Apartidários
2461 votos - (40,44%)

Chapa 4 – Amanhã Vai Ser Maior!
Vínculo: PCR
266 votos - (4,37%%)

Chapa 5 – NovAção
Vínculo: S21, ULD, AE, DS, MPT e Levante da Juventude

134 votos - (2,20%)

18 comentários:

Anônimo disse...

ô, sera que aquela maioria silenciosa finalmente acordou?

sera que cansou de ser comandada por aquela minoria remelenta mas que sempre aparece para votar no dia da eleição e consegue assim dominar o campo politico na universidade implementando suas tresloucadas ações, como o policiamento zero?

sera que a maioria silenciosa ordeira aprendeu que TEM DE PARTICIPAR DAS ELEIÇÕES para poder ter uma universidade do jeito que ela quer, com ordem e progresso?

tomara....

Anônimo disse...

"O novo presidente do DCE é Lucas Jones, Presidente do Diretório da Computação (DACOMP), e tem como vice-Presidentes os estudantes Jardel Tessari, Presidente do Diretório de Medicina (CASL) e Bernardo Bortoluzzi, Presidente da Atlética de Engenharias da UFRGS.

finalmente os estudantes gauchos se verao livres por um tempo daquela gente das humanas!

nao da mais pra aguentar esses projetos mal acabados de filósofos e sociólogos no comando das entidades estudantis...

essa gente eh sonhática e atrasada...

o mundo que eles querem eh o do seculo passado, daqueles calhambeques cubanos de 1950...

o resultado eh esse atoleiro moral e ético em que a sociedade brasileira se encontra...

Anônimo disse...

É, parece que a gurizada está finalmente abrindo os olhos... Fora políticos, não fazem nada, são como gafanhotos, comem o que os outros plantam e deixam um rastro de destruição por onde passam.

Felipe disse...

Esse "apartidarismo" me parece "anti-PT"...

Anônimo disse...

Essa eleição do DCE da UFRGS demonstra o desgaste dos discursos e atitudes da esquerdas do Brasil, o povo trabalhador quer que o país melhore sem baderna, sem corrupção, sem manipulação e sem sacanagem. Fora chinelagem! Parabéns aos estudantes da UFRGS, só façam uma uma auditoria nas contas do DCE.

Oswald disse...

Aleluia! Ainda temos esperança. Parabens a esses estudantes. Estão mostrando que realmente tem cérebro.

Zergui disse...

Ao que tudo indica, estamos presenciando o caminho inverso do quase inexorável desmantelamento da sociedade brasileira.
Iniciaram o doutrinamento nas universidades, aproveitando-se da fragilidade das mentes rebeldes e ansiosas por marcar sua "independência" da tutela familiar.
Dominado tal território fértil, dedicaram a atenção aos adolescentes do ensino médio, passando logo em seguida às crianças e suas "opções sexuais idealizadas pelo kit gay", isso desde os tenros 6 anos de vida.
Sem esquecer, é claro, da ação dos sindicatos, no sentido de alienar a classe trabalhadora do discernimento.
Oxalá estejamos testemunhando o início do caminho inverso, para que o povo brasileiro resgate o seu País das mãos desses MENSALEIROS.

Anônimo disse...

Computação, engenharias e medicina...

Esta subindo muito o nível do DCE da UFRGS.

Antes, só a chinelagem das "humanas", notórios defensores de maconha, aborto e outras aberrações, é quem prevalecia.

Anônimo disse...

Apartidários? Conta outra, vinculados ao PP, PSDB, DEMOs, PPS, ou seja, coxinhas & bundinhas.

Gabriel Afonso Marchesi Lopes disse...

O Movimento Estudantil Liberdade, do qual sou presidente, é um dos muitos grupos que apoiaram a chapa 3, a única verdadeiramente comprometida com o Estudante.

Essa chapa defende as bandeiras histórias do Movimento Estudantil Liberdade como despartidarização do DCE, defesa do policiamento na Universidade, implantação do Parque Tecnológico da UFRGS e realização de eleições através do Portal do Aluno.

Enfim, valeu a pena acordar cedo e ir com o Cleber e com o Schneider ajudar a abrir as urnas da veterinária, agronomia e biologia. Em especial, acho importante agradecer os membros do MEL, como o Samuel e a Pâm, que foram mesários ajudando a Chapa 3 a abrir urna onde os militantes faziam de tudo para que a mesma não fosse aberta.

Anônimo disse...

O Marchesi e o MEL não fazem parte da gestão eleita.

Anônimo disse...

http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u109837.shtml

Sindicância na UFRGS investiga aluno acusado de anti-semitismo
PUBLICIDADE
LÉO GERCHMANN
da Agência Folha, em Porto Alegre

A atuação de grupos neonazistas no Rio Grande do Sul, detectada e apurada pela polícia gaúcha há dois anos, chegou à universidade pública federal.

Sindicância da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) investiga o aluno de ciências autuariais Gabriel Marchesi Lopes pela disseminação do anti-semitismo e intenção de usar a presidência do diretório acadêmico para ajudar a financiar um clandestino Partido Nacional-Socialista Brasileiro.

Nazistinha no comando do dce da ufrgs, vê se pode.

Anônimo disse...

Ué, a direita já tinha ganho o DCE em 2008 ou 2009, se bem me lembro. Estranha hegemonia esta, viu.

Anônimo disse...

dps falavam do Mauro Zacher

Eduardo disse...

Como jornalista acredito que tem uma falha na manchete. Em 2009 a eleição para o DCE da UFRGS também teve como vitoriosa a CHAPA 3. Segundo informação do site do Instituto Milleniun. A informação está no link: http://www.imil.org.br/blog/direita-vence-eleicao-no-dce-da-ufrgs/

Podemos fazer um jornalismo com credibilidade e informação com um pouco menos de visões " ideologicas"

Anônimo disse...

JÁ FALEI MIL VEZES E FALO MAIS MIL VEZES, O PT E O RESTO DA ESQUERDALHA PODRE NÃO FAZEM PARTE DO IMAGINÁRIO DA JUVENTUDE.
OS JOVENS SÃO PROGRESSISTAS, QUEREM JUSTIÇA, TRABALHO, RIQUEZA, CASA, FAMÍLIA VIAJAR E, TUDO DE BOM.
NÃO QUEREM ESSA GENTALHA SUJA E, VICIADOS EM DROGA E TERRORISMO DA ESQUERDA.

Anônimo disse...

Parabéns aos alunos da UFRGS,espero que sirva de exemplos para os estudantes de todo país, inclusive para os da USP.Que os estudantes,que são maioria,de Engenharia,Medicina,Computação,Biologia,Matemática e tantas outras assumam o comando para não deixarem os diretórios nas mãos politiqueiras e que só fazem desordens.São Paulo está pagando caro com a última invasão da reitoria.

Anônimo disse...

Durante muitos anos, venho dizendo que as entidades dos estudantes não podem ser "aparelhos " de partido, como muitas vezes aconteceu na UFRGS. Mesmo os alunos de convicções mais à direita (ou neutros) tinham direito de conviver e participar nas suas agremiações. Mas isso não era possível, pois mesmo com o discurso público de que "o indivíduo pode ser partidário, mas a entidade tem de ser apartidária" expresso por diversos líderes políticos, o que sempre se viu ali foi o contrário, com eleições com presença maciça dos partidos, principalmente de esquerda. E a justificativa era sempre a mesma: tinham de compensar a poderosa "máquina do governo". Com isso, vi muitos estudantes (inclusive eu) se afastarem de suas entidades. Ainda lembro do Guaragna (Fernando, hoje reitor da UERGS) indo nas salas e dizendo "é pt, pt e pt, vocês têm de votar no pt, pessoal". Assim, mesmo sendo contra todos os tipos de ditadura seja de direita ou esquerda, via ali uma ação de interesse partidário, de luta por poder e não algo de interesse de toda a sociedade. Fiquei mais desiludido com o "movimento estudantil" achei que estava se tornando apenas massa de manobra de partidos. E depois veio essa vergonha de movimento chapa branca, financiado pelo governo!
Nas décadas de 70 e 80, os panfletos muitas vezes eram xerocados no verso de folhas recicladas; hoje papel couché e 4 cores! Vergonha.

Julio Cesar