Líder dos servidores denuncia que o IPE Saúde pode quebrar

O artigo a seguir é de Sérgio Arnoud, presidente da Fessergs. Ele foi publicado no Jornal do Comércio, Porto Alegre. Trata-se de um apelo e de uma denúncia muito séria. O IPE Saúde, segundo ele, agoniza, afundado em dívidas e com dinheiro retido pelo patrão, o governo do Estado, que não repassa a sua parte. Leia:

O Instituto de Previdência do Estado do RS, Ipergs, patrimônio inegociável dos servidores públicos estaduais, mais uma vez corre risco de ser inviabilizado pela inércia de sua gestão e pelo abandono do governo do Estado. Nesse momento delicado, onde existem enormes dificuldades para o pagamento das contas do IPE-Saúde até dezembro, fruto de um orçamento apertadíssimo e da falta de regularidade dos repasses patronais para o instituto, entre outros, é preciso que as entidades de classe e os servidores se mobilizem, pois o alerta vem do próprio Tribunal de Contas do Estado, no pronunciamento do relator das contas do governador, que diz: “O Fundo de Assistência à Saúde (FAS) historicamente vem sendo utilizado para financiar outras atividades do Ipergs, pois os saldos bancários registrados no balanço do fundo não condizem com o superávit orçamentário acumulado desde sua criação. O Ipergs aponta em seu balanço patrimonial uma dívida do Estado para com o FAS da parcela patrimonial de R$ 190 milhões. A falta de regularidade e descumprimento do prazo desses repasses são prejudiciais ao gerenciamento do fluxo de caixa do fundo”.                
    
Isso tudo somado à falta de estrutura humana para administrar o instituto, onde há enormes carências de pessoal, faz com que as dificuldades aumentem. Entretanto, o que mais preocupa é que o orçamento elaborado pelo governo do Estado para o próximo ano seja quase igual ao deste exercício, onde mesmo sem qualquer correção de honorários para médicos, laboratórios e hospitais, foi insuficiente. O quadro é de extrema preocupação. O IPE é nosso e precisamos estar alertas para que ele não seja sucateado pelo governo do Estado. Nossa preocupação aumenta, pois o próximo ano é eleitoral, onde o Estado para a partir de maio.

Dessa forma, a Fessergs conclama todas as entidades, os servidores, autoridades e parlamento: é hora de lutar. Vamos somar esforços, pois o IPE é nosso e não pode ser inviabilizado

5 comentários:

Anônimo disse...

O cabo eleitoral PTISTA - CPERGS nada vai dizer a repeito?



Anônimo disse...

Novamente pergunto: quem está no governo do RS? Precisa dizer mais?

Anônimo disse...

FORA TARSO !!!

Anônimo disse...


SE O GOVERNO DO ATRASO DO ESTADO REPASSASSE O Q DESCONTAMOS NO CONTRA CHEQUE PARA O IPE, PODERÍAMOS ATÉ TERMOS FINANCIAMENTO PARA CASAS E EMPRÉSTIMOS COM JUROS BAIXOS, MAS INFELIZMENTE MAIS DA METADE FICA NO CAIXA DO ESTADO, PARA AS PATIFARIAS.

Anônimo disse...

Bastar reeleger Sr Atraso que tudo se arruma.