Ministério da Saúde libera uso oficial da cloroquina e da hidroxicloroquina no Brasil

O ministério da Saúde anunciou que os hospitais estão liberados para usar cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento dos doentes infectados pelo vírus chinês.

É oficial.

O protocolo de uso foi aprovado esta tarde.

Os remédios possuem efeitos colaterais adversos que podem ser graves e é por isto que é perigosíssima qualquer automedicação.

A imagem ao lado é desta tardinha e foi capturada no momento da coletiva de imprensa que concedeu o ministro Luís Mandetta.

O ministro não permaneceu na mesa durante toda a entrevista.

37 comentários:

Renato disse...

Nos EUA um paciente foi tratado com isto ai e morreu,agora não se se era alergico ou o remedio foi pior que a doença?

Anônimo disse...

https://otambosi.blogspot.com/2020/03/coronavirus-pura-ignorancia-ou-arma-de.html

Anônimo disse...

Governador do Piauí: “Temos que afirmar o compromisso com as orientações da OMS e do Ministério da Saúde”

DEpois, o vagabundo vai pedir dinheiro (o nosso dinheiro) ao governo federal.

Anônimo disse...

"Witzel: “Pronunciamento não tem reflexo na determinação do que se deve ou não fazer”
Brasil 25.03.20 17:43
Por Cézar Feitoza e Diego Amorim
Wilson Witzel afirmou que não mudará suas determinações no Rio de Janeiro por causa do pronunciamento de ontem de Jair Bolsonaro..."

Exatamente mas um grupo de governadores em conluio com a rede Globo querem aplicar um golpe, derrubar o Bolsonaro. São uma dúzia de govenadores, todos os picaretas do Congresso e do Senado e a rede Globo contra 60 milhões de eleitores do Bolsonaro.

Anônimo disse...

Parabéns. E acabar com a quarentena geral. Só para os grupos de risco.

Anônimo disse...

Parabéns.

Anônimo disse...

Graças a Deus! Orando, meditando e com fé em Deus nosso país vai se libertar desse virus.

Anônimo disse...

Passou da hora. Quarentena até Quando? Até a economia esfacelar e ter uma guerra civil?Governadores e prefeitos pilantras

Anônimo disse...

O Governo Federal deve vetar qq recurso para o Eduardo Leite. Dinheiro que será desviado

duarte disse...

Polibio nao vi nem no site do.ministerio

Nem em um site

E real??

Anônimo disse...

Liberou, mas só nos casos graves

Anônimo disse...

OMS = Partido Comunista Chinês, tá okey?

Anônimo disse...

Somente por "cinco dias"....

Anônimo disse...

Ministério autoriza cloroquina para casos graves de covid-19:

Medicamento é aplicado em casos de malária ou de algumas doenças autoimunes, mas será restrito a ambientes hospitalares

R7 - 25/03/2020

O Ministério da Saúde oficializou, nesta quarta-feira (25), um posicionamento autorizando que médicos usem a cloroquina/hidroxicloroquina para tratar pacientes internados em estado grave com covid-19.

No entanto, não há qualquer indicação do medicamento para pessoas que queiram se proteger ou para casos leves da doença.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alertou hoje para os riscos de efeitos colaterais graves provocados pela droga, um imunomodulador receitado para casos de malária e para algumas doenças autoimunes, como o lúpus.

Em uma apresentação à imprensa, o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta, Denizar Vianna, frisou que o medicamento pode ser usado com outras medidas de suporte ao paciente pelo período de cinco dias.

Segundo ele, trata-se de "um medicamento muito promissor" e que "o Brasil conhece muito", por fazer uso na região Norte em pessoas com malária.

Os casos graves são, em média, 14% dos infectados por coronavírus, sendo que 5% são considerados críticos.

Na semana passada, após o presidente dos Estados Unidos falar que o país aprovou o uso da substância no tratamento de alguns casos de covid-19, houve uma corrida às farmácias no Brasil, o que deixou algumas delas sem estoque.

Posteriormente, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a venda do remédio sem prescrição médica, para evitar a automedicação e também que pacientes que precisam da hidroxicloroquina fiquem desabastecidos.

Anônimo disse...

Ministério autoriza cloroquina para casos graves de covid-19:

Medicamento é aplicado em casos de malária ou de algumas doenças autoimunes, mas será restrito a ambientes hospitalares

R7 - 25/03/2020

O Ministério da Saúde oficializou, nesta quarta-feira (25), um posicionamento autorizando que médicos usem a cloroquina/hidroxicloroquina para tratar pacientes internados em estado grave com covid-19.

No entanto, não há qualquer indicação do medicamento para pessoas que queiram se proteger ou para casos leves da doença.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alertou hoje para os riscos de efeitos colaterais graves provocados pela droga, um imunomodulador receitado para casos de malária e para algumas doenças autoimunes, como o lúpus.

Em uma apresentação à imprensa, o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta, Denizar Vianna, frisou que o medicamento pode ser usado com outras medidas de suporte ao paciente pelo período de cinco dias.

Segundo ele, trata-se de "um medicamento muito promissor" e que "o Brasil conhece muito", por fazer uso na região Norte em pessoas com malária.

Os casos graves são, em média, 14% dos infectados por coronavírus, sendo que 5% são considerados críticos.

Na semana passada, após o presidente dos Estados Unidos falar que o país aprovou o uso da substância no tratamento de alguns casos de covid-19, houve uma corrida às farmácias no Brasil, o que deixou algumas delas sem estoque.

Posteriormente, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a venda do remédio sem prescrição médica, para evitar a automedicação e também que pacientes que precisam da hidroxicloroquina fiquem desabastecidos.

ZAPELINO B disse...

Medique-se com cloroquina e envenene teu figado. Aí, tu morres de hepatite e não de covid-19!!! É o que Jair Bananaro Espalhavirus e o Ricardão querem! Assim não entram para as estatísticas. Há pouco escutei uma entrevista do Ricardão para uma Rádio de Santa Cruz, onde ele afirma que já estamos todos infectados e que por isso não adianta quarentena. O doutor despreza as experiências da China, Itália, Alemanha, Coréia do Sul, Japão na contenção da epidemia, através do isolamento das pessoas. Pena que estes países todos não soubessem da existência do "dotô", pois poderiam ter economizado os bilhões gastos no combate à epidemia. Sabe tudo o dotô! Se Jair Bananaro Espalhavirus não o contratar parabo lugar do Mandetta, com certeza vai envia-lo ao amigo Trump, que está "se vendo" com o covid-19 por lá. É só contratar o dotô, que ele manda todo o mundo para a ruave aí a festa fica completa - a festa do covid-19! O Ricardão é foda!!!

Anônimo disse...

Ministério autoriza cloroquina para casos graves de covid-19:

Medicamento é aplicado em casos de malária ou de algumas doenças autoimunes, mas será restrito a ambientes hospitalares

R7 - 25/03/2020

O Ministério da Saúde oficializou, nesta quarta-feira (25), um posicionamento autorizando que médicos usem a cloroquina/hidroxicloroquina para tratar pacientes internados em estado grave com covid-19.

No entanto, não há qualquer indicação do medicamento para pessoas que queiram se proteger ou para casos leves da doença.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alertou hoje para os riscos de efeitos colaterais graves provocados pela droga, um imunomodulador receitado para casos de malária e para algumas doenças autoimunes, como o lúpus.

Em uma apresentação à imprensa, o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta, Denizar Vianna, frisou que o medicamento pode ser usado com outras medidas de suporte ao paciente pelo período de cinco dias.

Segundo ele, trata-se de "um medicamento muito promissor" e que "o Brasil conhece muito", por fazer uso na região Norte em pessoas com malária.

Os casos graves são, em média, 14% dos infectados por coronavírus, sendo que 5% são considerados críticos.

Na semana passada, após o presidente dos Estados Unidos falar que o país aprovou o uso da substância no tratamento de alguns casos de covid-19, houve uma corrida às farmácias no Brasil, o que deixou algumas delas sem estoque.

Posteriormente, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a venda do remédio sem prescrição médica, para evitar a automedicação e também que pacientes que precisam da hidroxicloroquina fiquem desabastecidos.

PS: Ou seja, só vai receber a medicação se estiver mal das pernas baixado no Hospital. E tem vaga nos hospitais para todos os infectados, concomitantemente com os doentes que já estão no sistema?

Anônimo disse...

Renato disse...
Nos EUA um paciente foi tratado com isto ai e morreu,agora não se se era alergico ou o remedio foi pior que a doença?
25 de março de 2020 17:46


voce não leu o post inteiro?

por isso ha uma ressalva no post.

Os remédios possuem efeitos colaterais adversos que podem ser graves e é por isto que é perigosíssima qualquer automedicação.

Anônimo disse...

Ué o ministério da saúde não faz parte do governo federal???

Anônimo disse...

Tomou por conta própria, para previnir e na dose errada.

Renato disse...

olha só que coisa interessante Polibio vamos olhar este video https://www.youtube.com/watch?v=wvA_SI18YXQ

Anônimo disse...

Olha nesse video os absurdos. E se comporta como se fosse dono do Estado de São Paulo.


https://www.youtube.com/watch?v=kr8B-tjO1z0


Unknown disse...

Quarentena so para os idosos RICOS.
Os pobres ja morreram na era PT

A.C. disse...

Não bfoi tratado, o cidadão tomou por conta sulfato de cloroquina, que não é remedio e sim produto para limpar aquario e veio a óbito.

Paulo Rocha disse...

Anônimo das 17:46, ele não foi tratado, ele e a esposa se automedicaram a fim de se imunizar. O plano deu errado.

Anônimo disse...

Cala a boca zepellin!!!

Anônimo disse...

O americano desesperado tomou fosfato de cloroquina, usado para limpar aquário. Não é medicamento. Mas a cloroquina possui efeitos adversos e as pessoas precisam de médico para acompanhar.

Anônimo disse...

Caramba, zapelino, dá uma chance! Das duas uma, ou você é dono de funerária, não vê a hora da metade morrer, ou na outra encarnação você foi um urubu e não se livrou totalmente. Francamente...alguém te aguenta? O que você fica fazendo no mundo? Tira a água, a comida, o ar, tudo que alguém mais útil poderia aproveitar. Desencarna, fio.

Anônimo disse...

Nessas horas que a população valoriza os professores de química da escola e da faculdade.

ZAPELINO B disse...

Os bolsoburros são otários, ridículos e desprovidos de quaisquer argumentos!!! Só podiam mesmo serem seguidores fiéis do mestre Bozo!

Anônimo disse...

Antes de tomar essa medicação tem de contrair o virus e os médicos só vão aplicar nas pessoas que estiverem baixadas em UTI. Pergunta que não quer calar: Tem UTI para todos contaminados no setor privado e público para comportar todos contaminados? Vai ter pelo menos leito para para todos contaminados, considerando que o PR bozo mandou abrir as igrejas e as lotéricas, apenas para ficar nesses dois exemplos? Onde vão fincar os atuais doentes que ocupam 80% dos hospitais e os casos de emergência, como acidentes de carro, acidentes domésticos, cadíacos, pessoas que vão adoecer nesse período?

ZAPELINO B disse...

Pelo visto, o dotô Ricardão não seguiu teu conselho, Polibio, de ver a série PANDEMIA! Se tivesse visto, ao menos nos pouparia das asneiras que anda dizendo!

ZAPELINO B disse...

Idiota das 07:36 - Veja que a Itália, mesmo em situação desesperadora, não recomenda o uso da cloroquina por seu nefastos efeitos colaterais. Recomenda sim, antivirais usados no combate à Aids! Já o dr Jair Bananaro Espalhavirus ... !

Anônimo disse...

Brasil destina 2% do PIB para combate ao coronavírus. Na Europa chega a 17%:

É o que aponta um estudo feito pelo Observatório de Política Fiscal do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia), da Fundação Getulio Vargas. A Inglaterra, são 17% do PIB para o combate ao coronavírus. Na Alemanha, 12%.

26 de março de 2020

247 - Um levantamento feito pelo banco BTGPactual apontou que as medidas anunciadas pelo Ministério da Economia e pelos bancos públicos para enfrentar o coronavírus totalizam cerca R$ 478 bilhões. De acordo com o Observatório de Política Fiscal do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia), da Fundação Getulio Vargas, como essa medida não tem natureza fiscal e o governo só deve participar dela na medida em que os bancos públicos forem mais arrojados, o valor anunciado representa 2,86% do PIB. Descontadas antecipações de despesa, são 2,05% do PIB.

A cifra de quase R$ 480 bilhões não é referente ao gasto total do governo, porque algumas dessas medidas representam o adiamento de pagamentos ou a antecipação de transferências de renda que ocorreriam de qualquer forma neste ano.

O governo dos Estados Unidos trabalha com um pacote de estímulos de US$ 2 trilhões (cerca de R$ 10 trilhões, valor que supera o PIB do Brasil, de R$ 7,3 trilhões em 2019). Os dados foram publicados no jornal Folha de S.Paulo.

Responsável pelo estudo do Ibre, o economista Manoel Pires afirma que nos EUA os estímulos correspondem a 6,3% do PIB daquele país. Na Inglaterra, são 17% do PIB. Na Alemanha, 12%.

No Boletim Macro divulgado nesta quarta-feira (25), o Ibre diz haver uma preocupação à capacidade de as medidas anunciadas pelo governo brasileiro darem uma rede de proteção social adequada.

“Principalmente para trabalhadores informais, pela dificuldade de chegar a eles e porque o valor que se propõe transferir é muito baixo, não substituindo senão uma parcela pequena da renda.”

Anônimo disse...

VÍDEO: Trump desmente Bolsonaro e se pede mais isolamento social

Ao contrário do que disse Bolsonaro, Donald Trump não determinará o retorno do comércio nem a volta às aulas nos Estados Unidos. Pelo contrário. Em pronunciamento na Casa Branca, ele disse: “Quanto mais agressivamente nos comprometemos com o distanciamento social, mais vidas podemos salvar e mais cedo os americanos podem voltar ao trabalho, voltar às aulas e voltar ao normal.”.
https://twitter.com/WhiteHo...
https://www.diariodocentrod...

Anônimo disse...



Estudo mostra que genoma do Coronavírus sofreu mutação no Brasil...

Assim, essa nova versão pode ser chamado de "vírus brasileiro"?

https://news.google.com/stories/CAAqOQgKIjNDQklTSURvSmMzUnZjbmt0TXpZd1NoTUtFUWpkMS1PcWtvQU1FYnFpQnVPSlM4TWhLQUFQAQ?hl=pt-BR&gl=BR&ceid=BR%3Apt-419


Unknown disse...

Não é real. O Ministro da Saúde falou dia 28/03 sobre os problemas que a hidroxicloroquina pode causar .