Líder do cartel dos cegonheiros perde direito a foro privilegiado, diz site Livre Concorrência


Vittorio Medioli, proprietário do grupo Sada e prefeito de Betim (MG), perdeu a segunda briga com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais pela prerrogativa de foro privilegiado, informa hoje o site Livre Concorrência, que é editado em Porto Alegre. A mídia tradicional não publica nada sobre o caso. Apontado pela Polícia Federal como o chefe da quadrilha que atua no setor de transporte de veículos novos em todo o país, cujo esquema foi investigado no inquérito 277/2010, o político e empresário tentou por diversas vezes impedir que fosse processado na Justiça comum. O procedimento aberto pela Polícia Federal visava a identificar os autores e mandantes de incêndios criminosos de caminhões-cegonha ocorridos em vários Estados,inclusive RS, entre os anos de 2008 e 2010. Medioli e outros réus são acusados de associação criminosa e crimes contra a paz pública.

Inquérito 277 também indiciou cegonheiros-empresários por incêndios em caminhões-cegonha de empresas concorrentes.

Em dezembro do ano passado, o desembargador Adilson Lamounier determinou o imediato envio do inquérito para a 11ª Vara Criminal de Porto Alegre.

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa.

3 comentários:

Anônimo disse...

Mara Gabrille e José Serra não assinaram a lista a favor da prisão em segunda instância? Fonte: Antagonista.

Anônimo disse...

Houve uma execução no RS relacionado a esse cartel.

Mauro Moreira disse...

Entrem no site dessa empresa Sada, de Vitorio Medioli. Ficarão impressionados com a potência, com o poderio, coma grandeza da empresa. O homem é multibilionário. Poderosíssimo. Tem muito dinheiro para queimar com os advogados tipo Kakais da vida, com os poderosos causídicos da OAB, o quinto poder da República. A Sada talvez seja a maior ou uma das maiores empresas de transportes da América "Latrina".