Artigo, Samuel Pessôa, Folha - O dia seguinte


Aparentemente a Câmara, seja antes do recesso - isto é, até o dia 17 de julho - ou no terceiro trimestre, irá aprovar a reforma da Previdência com um texto próximo do relatório cuidadosamente preparado e negociado por meu xará Samuel Moreira, deputado pelo PSDB de São Paulo. Esse desfecho, como bem lembrou Fernando Schüler em excelente coluna, na quinta-feira (27), na Folha de S.Paulo, não era esperado pelos analistas, entre eles este colunista. O que se esperava é que o presidente, sabedor das regras de funcionamento do presidencialismo de coalizão, iria gerir o sistema da forma tradicional: construir uma coalização ampla em torno de uma agenda reformista mais liberal na economia. A construção da coalizão implicaria o compartilhamento de poder, inclusive na construção do gabinete de ministros, com os partidos aliados. O presidente escolheu outro caminho. Considerou que a operação tradicional de nosso sistema seria operar segundo a "velha política", o que o levaria, após o fim do mandato, a "ir jogar dominó na prisão com os ex-presidentes".

Minha avaliação é que, no capítulo da Previdência, ele foi bem-sucedido.

A surpresa negativa na atividade econômica no início do ano fez o Congresso sentir o peso da responsabilidade de manter o País mais tempo parado à espera da reforma. Há, é verdade, um pouco de velha política com a liberação das emendas. A grande dúvida é o dia seguinte à aprovação da reforma. O que nos espera? Schüler é pessimista.


CLIQUE AQUI para ler tudo.

5 comentários:

Anônimo disse...

A vdd é uma só! O Guedes é o ministro de um plano só! Só reforma da previdência! Não vejo redução de alíquotas. Não vejo reforma tributária. Não vejo corte de gastos no governo. Não teve. Os carros, assessores, reajustes auto-concedidos; mordomias, estão todos lá. Cortaram nadica de nada. E asfixia ainda mais o contribuinte.
O aluga-Se e vende só faz crescer nas ruas desse país.
Bolsoguedes...decepcionantes. Fracos. Sem idéias e nem iniciativa. E no ano que vem nem a chave do cofre terão. Deixaram Maia e Alcolumbre ( que juntos não somam 500.000 votos) tomar-lhes a chave da mão...apesar de 58 milhões de votos e de todo apoio popular que receberam!
E o cronista tem razão. A reforma da previdência sozinha ...nao muda nada. O desemprego e a bancarrota continuarão firmes e fortes!

Anônimo disse...

A vdd é uma só! O Guedes é o ministro de um plano só! Só reforma da previdência! Não vejo redução de alíquotas. Não vejo reforma tributária. Não vejo corte de gastos no governo. Não teve. Os carros, assessores, reajustes auto-concedidos; mordomias, estão todos lá. Cortaram nadica de nada. E asfixia ainda mais o contribuinte.
O aluga-Se e vende só faz crescer nas ruas desse país.
Bolsoguedes...decepcionantes. Fracos. Sem idéias e nem iniciativa. E no ano que vem nem a chave do cofre terão. Deixaram Maia e Alcolumbre ( que juntos não somam 500.000 votos) tomar-lhes a chave da mão...apesar de 58 milhões de votos e de todo apoio popular que receberam!
E o cronista tem razão. A reforma da previdência sozinha ...nao muda nada. O desemprego e a bancarrota continuarão firmes e fortes!

Anônimo disse...

CASO TUDO VENHA A ACONTECER, COMO DESEJA O JUMENTO QUE REPETIU ACIMA AS DUAS DEFECADAS, O POVO, JUNTAMENTE COM AS FFAAS ALÇARÁ BOLSONARO NA CONDIÇÃO DE PRESIDENTE COMPLETO, OU SEJA, REFORMARÁ A CONSTITUIÇÃO, A POLÍTICA, O JUDICIÁRIO E TUDO MAIS NECESSÁRIO, PARA ENTÃO, O BRASIL SE LANÇAR EM UM FUTURO DE ORDEM, PROGRESSO, ANTICOMUNISMO E LIBERDADE!

Anônimo disse...

B17 e o EB não farão isto. Irão empurrar mais reformas pro Congresso: Tributária, Penal, Costumes, Eleitoral. O clima de campanha é permanente com as redes sociais, não temos saída, cada dia a matar um leão.

Anônimo disse...

Além de Cientista Político ele é Economista?