1/3 dos 7.682 taxistas de Porto Alegre estão proibidos de dirigir

Um terço dos 7.682 taxistas de Porto Alegre estão proibidos de dirigir por não entregar o exame toxicológico, que identifica se houve consumo de drogas. O teste é necessário para a renovação da identidade do condutor, o chamado "carteirão".

O exame, que custa entre R$ 150 e R$ 300. Alguns taxistas alegam não possuir o dinheiro, o que é falso.

A capital gaúcha é a primeira do país a fazer essa exigência. Por enquanto, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) não vai fazer operações específicas para verificar se os taxistas apresentaram ou não o exame toxicológico, mas o carteirão atualizado vai ser exigido nas fiscalizações que são feitas diariamente. O taxista irregular terá o veículo recolhido e será multado em R$ 200.

9 comentários:

Anônimo disse...

A grande maioria dos Táxis de Porto Alegre é um lixo, carros superados, sujos, motoristas mal educados e mal humorados. Não é difícil entender o sucesso dos aplicativos, embora esses também precisem de regulamentação.

Anônimo disse...

Nunca gostei de taxista mesmo. Se acham os donos das ruas

João Paulo da Fontoura disse...

Essa lei apenas comprova a completa e absurda desintonia da Câmera de Vereadores em relação à sociedade: por que solicitar aos motoristas de táxi esse tipo de exame; é um transporte individual. A lei faz todo sentido aos motoristas de transporte coletivo, nunca aos individuais. Além de tudo, como ficaria o pessoal do Ubers? Regrar o Uber é burocratizá-lo, aburguesá-lo, tirar sua espontaneidade.
Pra mim, motoristas de coletivos devem fazer exames semestralmente, pagos pelos patrões!

Anônimo disse...

Muitos nem fizeram o exame pela certeza de dar positivo. Drogas das farcs já atingiram grande parto da população e não vemos ainda uma luz no fim do túnel.

Anônimo disse...

Alias a EPTC, não fiscaliza NADA, é só passar na Nilo, ou Assis Brasil depois do Obirici, todo mundo estaciona onde quer, e na Nilo em fila dupla e tripla, nos Bancos, cursos, lojas e etc.., são cagões, e não trabalham, era só passar de moto e bater fotos e fim, já que tem medo de multar.

Anônimo disse...

Já o Uber pode ser conduzido por qualquer desqualificado em porcaria de carro.

Anônimo disse...

Já o Uber pode fumar e cheirar a vontade.

Anônimo disse...

O que e um taxi?

Anônimo disse...

Cheio de defensor da máfia dos taxis aqui nos comentários. O Capelari aprova o comentário de vocês.

Os aplicativos vieram para ficar. Podem espernear, taxistas! Prestam um serviço lixo e caro, normalmente em carros sujos e mal cuidados. Nem ar condicionado querem ligar quando pegam um cliente.