Justiça Militar gaúcha leva selo ouro do Conselho Nacional de Justiça

A Justiça Militar do RS acaba de receber pelo terceiro ano seguido o selo ouro na avaliação do Conselho Nacional de Justiça.

Isto significa que o TJM do RS já pode pedir música no Fantástico.

E enviar cópia para o deputado Pedro Ruras, que quer porque quer acabar com ela.

7 comentários:

Anônimo disse...

Eu sou servidor da justiça e que sim o fim desse enorme cabide de emprego que é o TJM.

Estranho é o blogueiro Políbio defendendo este monstrengo que custa mais do que a FEE que é muita mais necessária para o Estado e jogando confete nessa aberração que só serve para encostar CCs.....opa, peraí......entendi....os amigos estão lá, não é Blogueiro????

Anônimo disse...

Onde tem PT, PSOL PC do B, Rede e os sindicatos pelegos e partidarizados, a sociedade honesta está do outro lado. Esquerda nunca mais.

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Esse tribunalzinho fajuto se presta a engordar contracheque desses ‘coroné’ que são figuras que custam muito e nada produzem a não serem as escalas de serviço. Acabem logo com essa inutilidade.

Anônimo disse...

.
Então esse Tribunal de Justiça Militar do Rio Grande do Sul, avaliado pelo Conselho Nacional de Justiça com o "Selo Ouro" por tres vezes seguidas, é o Tribunal ideal para assessorar e/ou substituir o incompetente e cooptado STF, pra evitar o extremo de uma intervenção cívico-militar. Os ministros do TJM deverão se somar aos ministros do STF, que votarão e revisarão no colegiado todas as sentenças engavetadas e de interesse estratégico/popular. As novas presidências do STF e também
do TSE deverão ser eleitas pelo
Colegiado do TJM, sem nenhuma interferência política dos corruptos nos três poderes!

Anônimo disse...

.
Então esse Tribunal de Justiça Militar do Rio Grande do Sul, avaliado pelo Conselho Nacional de Justiça com o "Selo Ouro" por tres vezes seguidas, é o Tribunal ideal para assessorar e/ou substituir o incompetente e cooptado STF, pra evitar o extremo de uma intervenção cívico-militar. Os ministros do TJM deverão se somar aos ministros do STF, que votarão e revisarão no colegiado todas as sentenças engavetadas e de interesse estratégico/popular. As novas presidências do STF e também
do TSE deverão ser eleitas pelo
Colegiado do TJM, sem nenhuma interferência política dos corruptos nos três poderes!

Unknown disse...

Selo fajuto... tem que acabar com esta orgia!!!
Justiça igual para todos... sejam militares, trabalhadores ou eleitores!!!

Unknown disse...

Anônimo .... sei ...