Rumo-ALL promete retomar investimentos na malha ferroviária do RS

O presidente da Rumo-ALL, Júlio Fontana Neto, confirmou nesta segunda-feira para um grupo de empresários e lideranças políticas do RS, entre elas o deputado federal Jerônimo Goergen, que a companhia vai retomar os investimentos na malha ferroviária gaúcha. No ano retrasado, Júlio Neto disse ao deputado gaúcho que a Rumo-ALL não faria nada de novo tão cedo no RS.

Uma segundas reunião foi agendada para o dia 14, Porto Alegre, desta vez com o vice-pfresidente Darlan de David.

Os terminais de Cruz Alta, Passo Fundo e Estrela foram citados como algumas das prioridades do plano de revitalização da malha ferroviária.

8 comentários:

Anônimo disse...

Mas que absurdo! E o modal internacional via Uruguaiana/Paso de los Libres? A BR 290 atulhada de caminhões esmigalhando centenas de gaúchos e argentinos todos os anos e a linha férrea desativada por motivo torpe ( estatização da ALL na Argentina, pela Cristina Kirscner)... Que horror

Anônimo disse...

A RUMO não deve se esquecer de sua responsabilidade como concessionário de serviço público . Desativou mais de 40 % das linhas no Estado e acabou com a ligação Brasil - Argentina . Essa Empresa colaborou para o Rio Grande do sul estar mais pobre .

Justiniano disse...

O problema é que a bitola brasileira, e aqui no estado é a menor, e isso inviabiliza maiores velocidades nas composições.

O Chile tem bitola de 1,6 m e permite maior velocidade e aqui a maioria é 1,0 m além de trajetos sinuosos porque foram construídos no período em que a engenharia ainda não usava grandes retroescavadeiras e era na base da picareta. A Norte-Sul usa bitola 1,6 m e trajetos retilíneos.

Aqui teria que refazer trajetos e trocar as bitolas, não esquecendo que o Brasil não produz um metro de trilho e, compra incrível que pareça, trilhos da Polônia e EUA, ainda que seja o maior produtor de ferro de mundo.



Anônimo disse...

Não tem jeito ! Vamos ter de trazer os chineses para construírem, melhorarem e operarem as ferrovias no Rio Grande do Sul.

Anônimo disse...

Como ninguém pressiona a Rumo a reativar a malha e estações no RS???
Quase tudo abandonado!!

Anônimo disse...

Da pena de ver tudo sucateado, a linha ferrea poderia baixar o custo dos transportes, também as hidrovias, mas infelismente o lobe do transporte rodoviário não permite. País de terceiro mundo é assim mesmo.

Anônimo disse...

Em 1975 foram criadas as MACRORREGIÕES,ou seja:as Superintendencias Regionais,
a do RS era a SR-6.Esse foi o primeiro passo para a privatização e o inicio do sucateamento da RFFSA,para favorecer transporte rodoviário que implica na construção de novas estradas e na compra de equipamentos.Foi resultado do "lobby" das fábricas de caminhões,Mercedes,Scania e Chevrolet.Ainda tem as fábricas de peneus e o comércio de asfalto,que na época era importado.Nada contra o modal rodoviário,mas o transporte ferroviário é essencial para a segurança nacional e muito mais barato,até mesmo que o modal fluvial e marítimo.Tudo isso em benefício das grandes empresas rodoviárias e meia dúzia de politicos corruPTos,que conduziram o processo desde o inicio.
Sem contar os roubos dos tesouros históricos da ferrovia.Ferrovia dá certo no mundo inteiro.No Brasil,não,por conta da corrupção.

Justiniano disse...

Uma locomotiva transporta o equivalente a 40 carretas com um consumo de uma carreta. Isso explica porque nos EUA há uma das maiores malhas ferroviárias de carga no mundo.