Opinião do editor - O financiamento público é a forma mais correta de custear campanhas eleitorais

A discussão nacional sobre o financiamento público de campanha, tem sido mal colocada e colocada por gente errada desde o início, levando a opinião pública a desacertos como este que aparece na pesquisa abaixo.
Diante da pergunta sobre a opinião de cada eleitor sobre o financiamento público de campanhas, eis as respostas:
Contra 87,4%
A favor 8,9%
Não sabe/ não opinou 3,7%
Se não houver financiamento público, de que modo as campanhas eleitorais serão pagas ?
"Ora", disse ontem a noite o jornalista Ricardo Boechat, Band TV, "cada um que pague a sua".
Só rico resultará candidato ? 
É isto que quer Boechat ?
O sistema anterior, privilegiando doações de empresas, mostrou que ele conduz a grossas patifarias dos dois lados, como provam os julgamentos do Mensalão e da Lava Jato.
As doações individuais, como as que comandaram os pleitos municipais, mostraram-se eficazes, mas elas nem de longe suportariam os custos de eleições proporcionais ou majoritárias estaduais, muito menos campanhas presidenciais.
O problema está apenas na identificação das fontes e na definição do valor das verbas públicas, sua distribuição e fiscalização. 
E é só.
O resto é má fé, ignorância ou completa babaquice.

30 comentários:

Chico Valente disse...

Editor!
Doações de ou para campanhas é uma coisa.
Muito diferente fez o pt.
Simplesmente capturou valores de empresas estatais, de fundos de pensão dos funcionários de estatais, de fundos administrados por entidades federais, propinas, chantagens e outras fontes de dinheiro público.
Tem também doações de empresas e pessoas físicas, dentro de um conceito normal, vamos dizer assim.
Dinheiro farto para auto acumulação e financiamento dos "cumpanheros", tanto brasileiros como os do exterior.
Tanto no mensalão como no petrolão, o objetivo das criaturas comparadas a "harpias" sempre foi a de comprometer o máximo todos os políticos, fazer com que todos ficassem de "rabo preso".
Todo, mas todos, candidatos e partidos e até jornalistas, que receberam doações para campanha ou "outras" foram gravados, filmados ou algo semelhante.
Raras exceções existem, como o Bolsonaro que recebeu um depósito de 200 mil, vasculhou a origem e devolveu o dinheiro, tapando a boca dos trevosos.
De qualquer maneira, corrupção é o jeito de pt governar

Anônimo disse...

Não deve haver financiamento público para campanha política. Quem quer ser político, tem que arcar com "dinheiro" próprio sua campanha. Se não tem condições não pode ser candidato.

Anônimo disse...

Ué, e onde estão os filiados aos partidos. Essa turma não contribui com nada. Além do Fundo Partidário, dos milhares de cabos eleitorais pagos pelo povo, além de custear moradia, viagens, gasol, carro oficial, escritórios no estado natal ainda o povão tem que bancar um fundo de mais de 4 bi para sustentar essa turma de vadios, que trabalham terça e quarta. Cada um que pague a sua campanha. Se ficar caro que façam o voto distrital. Não aguentamos mais pagar a conta. Se alguém acha que o fundo de campanha vai ser o suficiente, esperem para ver a grana que vai correr por fora. As empresas ainda vão continuar a bancar muitas campanhas eleitorais. Quem sabe os candidatos comecem a vender seu patrimônio. Bancar campanha eleitoral para Perondis, Padilhas, Maias, Fontanas, Paims, Anas Amélias, Lasiers e tantos outros....chega....

Anônimo disse...

Está enganado editor..eu prefiro meu dinheiro bem aplicado em escola...hospitais e polícia...Os partidos que facam este custeio...com a doação de seus filiados. ponto.

Anônimo disse...

Concordo. Cargo político não pode ser emprego. O candidato deveria já ter uma atividade remunerada antes de se candidatar. Quer ser candidato? Pois faça um pé de meia. E os custos de campanha deveriam ser limitados a um valor possível de ser bancado pelos interessados e/ou por seus partidos. E podiamos aproveitar para acabar com a propaganda gratuita em radio e tv. Sai caro e ninguém presta atenção.

Elton disse...

Quem quiser se candidatar que corra atrás do dinheiro, financiamento, doações individuais, etc. Ou alguém acredita que com a proibição das doações ocultas elas deixarão de existir? Pelo jeito tem gente que ainda acredita em papai noel...

Anônimo disse...

Ah bom! Então o PT induziu pessoas probas e de boa fé a agirem ilicitamente, desviando-lhes da boa conduta. Por favor, você acha que somos todos babacas. Praticamente todos os partidos se locupletaram de esquemas criminosos porque estavam surfando na popularidade de Lula e porque são igualmente corruptos.

Anônimo disse...

A Saúde, Educação, Segurança, Desemprego em alta, Reducão do Salário mínimo, isso tudo pode esperar. O mais importante é trabalharmos como escravos e dividirmos nosso salário com o governo. Enquanto ficarmos de braços cruzados, eles vão avançando. Pobre Brasil. O país está cada vez mais pobre, miserável e o povo totalmente sem educação.

Anônimo disse...

Ignorância é a opinião deste leitor, como se o dinheiro público não saísse do nosso bolso, como se fosse algo que está por aí sobrando e, pior, como se deixasse de existir o caixa 2, na verdade só está se dando mais dinheiro. Má-fé é querer desviar mais dinheiro do pagadores de impostos para locupletações pessoais. Os que não tem capacidade que sejam bancados pelo já polpudo fundo partidário...

Anônimo disse...

Seleção Natural! As pessoas mais esclarecidas, estudadas e com capacidade de gestão, essas serão as que irão governar o país. De que adianta a presença daqueles 511 Deputados na Câmara? A maioria nem sabe o que estão fazendo lá, ou melhor, sabem que o salário é muito bom. O país não suporta mais essa carga pesada de Brasília sacrificando o povo. Temos que mudar o Brasil e que seja para melhor.

Anônimo disse...

Quem é a favor do financiamento publico para campanhas não pode se queixar de não ter saúde, segurança e educação. Façamos como no USA, cada um que contribua para seu partido, e se o cara é rico que se dane, o dinheiro é dele e dos seus correligionários. Claro com limite, tipo Candidato Esperança. Não pode o estado financiar candidatos e muito menos sindicatos. Aí se queixam que não temos estradas, não temos policiamento e SUS. Todo mundo quer mamar na teta do estado, falido, mal gerido e acossado pelos corruptos.
Joel

Anônimo disse...

Cortar gastos o mais rápido possível. Brasília tem hoje mais de 30 mil Servidores para quê? Com toda essa gente lá ganhando salários que dão inveja ao mundo, ainda assim conseguiram quebrar o país. O poder emana do povo e a nós cabe a responsabilidade de mudar. Não podemos mais ficar inertes esperando as coisa acontecerem. Muda Brasil

Anônimo disse...

Sou contra o emprego de verba pública pra campanha sim, se quer se eleger que corra atrás do financiamento, por que é assim que funciona tudo no mundo real, diferente desta ilha da fantasia que vivem os políticos. Se eu quero ter um bom emprego, passar no vestibular, passar num concurso público, etc, eu tenho que batalhar por isso. Que eles usem o seu próprio dinheiro, faça um empréstimo no banco, que consiga doações. O programa eleitoral gratuíto já não sai de graça para os partidos? Todo o custo que o TSE e os TREs tem com as eleições não são dinheiro público? Os politicos que quiserem fazer quantos santinhos ou cartazes e faixas que façam, mas com o seu dinheiro, talvez assim economizem mais.
Por que a classe política, uma das mais ricas do país, devem ter privilégios?

Anônimo disse...

O LEITOR que bostou o texto, quer financiamento público, dinheiro retirado da população! Para ele rico é um problema e não pode ser político, baita ignorante, QUER VER POBRE ENRIQUECENDO COM A POLITICA, vide Lula e muitos outros casos.

ANTES de TIRAR RECURSOS DE TODOS PARA TANTO, através dos impostos, pergunte ao eleitor se concorda em pagar para partido que não gostaria que recebesse este dinheiro QUE a todos pertencente?

ORA, ORA, QUE FAÇAM VAQUINHA, FESTAS de todo tipo cada partido, levantem recursos com os eleitores simpatizantes e militantes um ano antes.

MAS ANTES todos devem devolver o dinheiro que tem sobrando para a União, assim a corrida para angariar fundos partiria em pé de igualdade sem dinheiro público roubado ou não.

Concordo com Boechat! "Cada um que pague a sua".

VOCE QUER UM POBRE NA PRESIDENCIA e no GOVERNO DO ESTADO? Se sim és IGNORANTE ou safado que QUER TER sem SER ESCOL (elite informada)!

Anônimo disse...


Não defendendo totalmente a posição do Editor, mas acreditando que também ela possa, de certa forma, estar certa. Vejamos este ponto de vista. O Cidadão não tem dinheiro e concorre com dinheiro do partido e "doações" de pessoas e empresas. Vale dinheiro até do açougueiro ou a carne para as churrascadas na campanha. Declarou "X" mas gastou muito mais que declarou. Se elegeu, então como ele paga a conta. CC's (sem esquecer a parentada do açougueiro), Licitações, contratos, benefícios na legislação, isenção,...Tem que dar um jeitinho para retornar o investimento. Investimento sim, ninguém bota dinheiro no candidato se não for tirar proveito no futuro. Isto aqui é Brasil e o resto é demagogia.

No final e paga a conta com dinheiro publico e deu no mesmo. O dinheiro publico que o político vai usar para pagar o investimento de campanha vai sair do nosso bolso de qualquer forma.

O problema é como controlar o político antes e depois das eleições. Os órgãos de fiscalização não funcionam. Quando acontece alguma coisa o TCE leva uns 10 anos para julgar as contas que apontam as irregularidades. Somente depois mandam para o MP que abre processo contra o político que cometeu crime..Normalmente o crime já prescreveu ou ninguém lembra mais. Estamos em uma fase que o TCE e MP conhecem tão bem a deficiência do sistema que nem investigar as denuncias eles fazem mais.

Anônimo disse...

A DISCUSSÃO ESTÁ MAL POSTA ,O FUNDAMENTAL É UMA JUSTIÇA DURA COM LEIS RÍGIDA E RÁPIDA, POLÍTICO OU EMPRESÁRIOS QUE COMETEREM CRIMES SERÃO PRESOS E TODOS OS SEUS BENS CONFISCADOS.OS LADRÕES QUERO DIZER DEPUTADOS E SENADORES TERÃO TODA FACILIDADE EM DESVIAR ESSES BILHÕES DO DINHEIRO PÚBLICO COM NOTAS FRIAS. O QUE FALTA É CADEIA E PENA DE MORTE.

Anônimo disse...

OU seja agora haverá financiamento público mais caixa dois. O Editor poderia pesquisa r como é feito em outros países por exemplo, nos Estados Unidos.

Anônimo disse...

Nem público nem privado, o PT tem alguns Bilhões em reservas, eu disse Bilhões. Gastem todos as reservas...........

Anônimo disse...

Acho que deve ser privado; jurídico e de pessoa física.
É só regulamentar e punir.
Exemplo; Uma empresa um único partido.
Caixa dois propina etc caça logo o mandato e devolve somente quando for julgado por um colegiado.
Neste sistema o partido em que dizer alguma coisa.
O público é só para manter a escória que está ai,

Anônimo disse...

Votei distrital puro baratearia infinitamente as campanhas. Quem quiser que contribua para a legenda, limitar e fiscalizar doações de empresas e outras, TRE inútil está aí para isso.Esse tipo de idéia do Editor representa o pensamento de mais Estado, que ele sempre teve. Um Editor com perfil conservador mas com mente fé esquerda.Concordo sempre com o lado conservador. Mas o que precisamos é liberalismo na veia, chega de financiamento púbico.

Unknown disse...

Tem que ser voto distrital... tem que reduzir o número de deputados à metade... tem que ser parlamento unicameral... o voto do eleitor do sul tem que ter o mesmo peso dos do norte(parlamento com representação proporcional à população)...
Tem que acabar com emendas parlamentares e com o foro privilegiado!!!
E tem que ter vergonha na cara... patriotismo... caráter e moral!!!
ESTA É A REFORMA POLÍTICA NECESSÁRIA!!!

Unknown disse...

Antes disso, tem que haver CAPACITAÇÃO de políticos via cursos de formação coordenados pela justiça eleitoral!!!
Chega de Tiriricas!!!

Anônimo disse...

Qual o problema de ter financiamento privado, o problema não está nas doações e sim como foram doadas, dá para ter controle rígido é só querer.OTSE, TRE etc... aprovam contas de campanhas que posteriormente a justica condena, como pode Arnaldo?Basta que cada cidadão e empresa tenha um limite para doação e só podendo foar para um partido ou um candidato, como se fosse um eleitor.

Anônimo disse...

"Não existe dinheiro público, existe dinheiro do cidadão"

Frase de Margareth Tatcher.

Anônimo disse...

Dinheiro público para campanha de políticos? Faz-me rir, senhor! Quem quiser se eleger que faça campanha com recursos de seus apoiadores. Dinheiro suado dos impostos deve ter outra destinação. Quem é corrupto o será de qualquer forma e em qualquer sistema.

Anônimo disse...

Se as eleições devem ter financiamento público então, que saiam todos os políticos. INTERVENÇÃO MILITAR, JÁ!!!

João Carlos Menda Poyastro .´. disse...

Resolve-se da seguinte forma: distrital puro e parlamentarismo. É isto aí.

Ultra 8 disse...

Dinheiro do povo,usado para enganar o povo,e depois de eleito,roubar mais dinheiro do povo,com a "permissão" dada através do voto...isto é afirmação de LADRÃO.

Anônimo disse...

Financiamento público um cassete...quem quiser concorrer que pague suas despesas...só que falta vou pagar impostos para esses ladrões usarem em campanha.

Anônimo disse...

Concordo também que realmente o problema são os órgãos de fiscalização e controle que são morosos e ineficientes. Prova disto é a estimativa de que é desviado no Brasil, gira algo em torno de R$ 200 bilhões de reais por ano.