Governo estadual não consegue pagar nova parcela dos salários de julho

O governo gaúcho confirmou há pouco que não pagará nova parcela dos salários de julho para os servidores do Executivo.

Até o momento, todos receberam R$1.100,00 no total, com parcelas de R$ 650,00 e R$ 450,00.

O governo acha que só terá dinheiro para nova prestação na quarta-feira.

17 comentários:

Anônimo disse...

Que legal. Urrrrru.

Anônimo disse...

perguntem pro desgoverno onde engavetaram os projetos que os servidores propuseram para aumentar a arrecadação e diminuir os custos?

Esse desgoverno faz drama, muito drama para conseguir assinar esse Plano de Recuperaçã Fiscal. É tudo jogadinha ensaiada, e quem se crava sâo os servidores.

Em 2018 vamos varrer Sartori, igual o Tarso foo varrido

Anônimo disse...

ESSE FILHO DA PUTA NÃO QUER É PAGAR SALÁRIOS E O BLOG ALINHADO E NANICO DIZ QUE NÃO CONSEGUE...VÃO SE DEITAR...

Anônimo disse...

MAS O JUDUCIÁRIO E A Al TÃO COM O POCHO FORRADO.
DIZEM QUE SE OS GAUDÉRIOS QUISEREM SE SEPARAR NA HORA BRASILIA APROVA, OU NÃO?
CALÇA DE VELUDO E FIOFÓ DE FORA.

Anônimo disse...

Muito bom DA-LHE SARTORI!!!!!

Anônimo disse...

Que deputados tenham vergonha na cara(parece nem sabem o que é vergonha) e tratem de limpar a sujeira dos cabides amigos, privatizem. Não tenho pena desta gente pois tudo que fizeram ao longo dos anos é querer ter vantagens que o setor privado nunca teve

Anônimo disse...

Amargo

Anônimo disse...

4 vezes em que Moro deu um tiro no pé após condenar Lula:

04/08/2017 - Cíntia Alves

Jornal GGN - Desde que condenou o ex-presidente Lula a 9 anos e meio de prisão e pagamento de multa superior a R$ 13 milhões, Sergio Moro assinou alguns despachos que devem ser usados pela defesa do petista para anular a sentença do caso triplex. Foram, pelo menos, quatro vezes em que o magistrado deu azo às crenças de que o processo não sobrevive ao rigor da segunda instância.

Confira abaixo:
1- Denúncia inventada e sem conexão com a Petrobras
Na primeira manifestação polêmica após a sentença, Moro respondeu aos embargos de declaração da defesa de Lula admitindo que não há provas da conexão entre o triplex e os 3 contratos que a OAS firmou com a Petrobras e que foram indicados pelos procuradores como o motivo para Lula receber vantagens indevidas.

A defesa de Lula não perdeu tempo: poucas horas após o despacho de Moro vir à tona, o advogado Cristiano Zanin informou à imprensa que, na prática, Moro demonstrou que, no mínimo, a ação penal jamais deveria ter tramitado em Curitiba.

Além disso, no mesmo documento, Moro também reconheceu que formulou sua própria acusação contra Lula, já que a tese da Procuradoria da República não foi comprovada. Isso significa que a defesa passou meses se defendendo de uma acusação ignorada pelo juiz, que decidiu tirar uma narrativa própria da cartola aos 45 do segundo tempo.

O GGN detalhou o episódio nesse post aqui.
2 - Bloqueio nas contas para corrigir erro na sentença
Mesmo admitindo que não há conexão entre o triplex e os 3 contratos da OAS com a Petrobras, Moro determinou o sequestro do imóvel já na condenação e, dois dias depois, também mandou congelar os bens de Lula como forma de garantir que a estatal será ressarcida.

A jornalista Tereza Cruvinel questionou a atitude de Moro, pela falta de nexo. Só mesmo para tentar sanar um erro na sentença contra Lula (o da falta de relação entre o caso triplex e a Petrobras) é que Moro poderia ter ordenado o sequestro dos bens de Lula. É a maneira de tentar forçar o elo, apontou em artigo reproduzido aqui.

3 - Lula deve pagar pela propina recebida por terceiros
No dia 1 de agosto, Moro enviou um ofício ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região defendendo o bloqueio nas contas de Lula contra um recurso da defesa do petista.

Na oportunidade, Moro sustentou que mesmo que a Lava Jato não tenha encontrado provas de pagamento de propina da OAS a Lula, o ex-presidente deve ser cobrado pela corrupção na Petrobras mesmo assim.

A justificativa é que Lula tem responsabilidade por ter indicado para a Petrobras os ex-diretores que ajudaram o PT a receber R$ 16 milhões da OAS, segundo afirma uma delação sem provas documentais. O próprio juiz diz que o dinheiro, "não identificado", "pode" ter sido usado em campanhas eleitorais. É a hipótese. Veja mais aqui.

4 - Triplex era da OAS mesmo...
Por fim, no último dia 3, Moro comunicou à 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo o confisco do imóvel no Guarujá e solicitou "que o bem não sirva mais como garantia em processos cíveis" da empreiteira.

Isso foi necessário porque, na Justiça Paulista, tramita um processo de recuperação judicial da OAS avaliado em R$ 9,2 bilhões. Ou seja, na prática, Moro tomou o triplex da massa falida da OAS para entregar à Petrobras, como se fosse de Lula.

O problema é que a defesa de Lula apontou durante o processo que a OAS não poderia transferir o triplex para o proveito de quem quer que seja justamente porque o imóvel estava atrelado à uma dívida com a Caixa Econômica Federal. Sem pagamento à Caixa, não tem chave do triplex. O blog reportou o feito de Moro aqui.

PS: Socorooooooo.......

Anônimo disse...

Marta Suplicy e mais 4 não serão investigados porque têm mais de 70 anos:

04/08/2017

Jornal GGN - Marta Suplicy (PMDB) e mais quatro parlamentares não serão investigados a reboque das delações da Odebrecht porque têm mais de 70 anos e, por causa disso, o prazo para investigação cai pela metade, informou a Agência Brasil.

Segundo o portal, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidiu pedir o arquivamento das cinco investigação ao Supremo Tribunal Federal, mas somente após o relator da Lava Jato na Corte, Edson Fachin, apontar a possível prescrição dos crimes.

Foram beneficados pela decisão, além de Marta, os deputados Jarbas Vasconcelos (PMDB), Roberto Freite (PPS), Garibaldi Alves (PMDB) e José Agripino (DEM). O PGR pediu inquérito contra os 5 políticos quando divulgou a chamada "lista de Janot 2.0", que incluia um total de 84 pedidos de investigação por causa da delação da Odebrecht.

No caso de Marta, o delator Benedicto Barbosa Junior, da Odebrecht, afirmou que a senadora recebeu caixa 2 em duas oportunidades: nas eleições de 2008 (quando disputou a Prefeitura de São Paulo) e 2010 (quando concorreu ao Senad), num total de R$ 1,050 milhão. Os repasses teriam sido efetuados a pedido do marido de Marta, o empresário Márcio Toledo. A imputação foi de corrupção passiva, apontou o Conjur.

PARALELO COM LULA E GENOÍNO
A decisão de Janot, influenciada por Fachin, levanta dúvidas sobre os critérios aplicados a outros inquéritos da Lava Jato que foram instaurados a reboque da delação da Odebrecht.

É o caso de José Genoíno, que será investigado pela Procuradoria da República em São Paulo por supostamente ter recebido R$ 30 mil em doação eleitoral da empreiteira, em 2010. O delator Alexandrino Alencar também teria afirmado que doou R$ 15 mil a Genoíno sensibilizado com a situação dele após o Mensalão. Nos dois casos, os informantes negaram contrapartida.

Embora Genoíno tenha 71 anos e o caso relatado pela Odebrecht tenha ocorrido em 2010, com um valor muito inferior ao de Marta, não há notícia de que os procuradores da Lava Jato discutiram eventual arquivamento desse inquérito.

O mesmo paralelo pode ser feito em relação aos processos contra Lula, que já tinha mais de 70 anos quando foi denunciado formalmente por causa do triplex.

Pelos relatos da força-tarefa de Curitiba, o apartamento da OAS teria sido repassado a Lula em meados de 2009.

Se considerado que o juiz Sergio Moro responsabilizou o petista pelos crimes de ex-diretores da Petrobras, o suposto crime remontaria aos mandatos de Lula, pois foi quando o governo petista discutiu com os partidos da base a nomeação de dirigentes como Paulo Roberto Costa, Renato Duque, Nestor Cerveró e Pedro Barusco.

PS1: Sim, a Marta não é mais Petista;
PS2: Já o caso do aécio/PSDB o caso é "diferente", Tucano é "inimputável", não adianta investigar porque o jamais será condenado.
PS3: Socoroooooooo.....

Anônimo disse...

“Primeira colaboradora” da Lava Jato pede a Moro anulação da operação:

Marcelo Auler - 4 de agosto de 2017 - DCM

O previsível aconteceu. Desde 17 de abril passado encontra-se nas mãos do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, um pedido de anulação de toda a Operação Lava Jato que ele deflagrou e comanda nos últimos três anos.

O inusitado é que a solicitação não partiu de nenhum dos políticos, empresários ou agente público acusados, processados ou já condenados por corrupção, desvio de verbas públicas, lavagem de dinheiro ou quaisquer outros crimes conexos. A iniciativa surgiu da “primeira colaboradora” da investigação, como alega seu advogado, Conrado Almeida Corrêa Gontijo.

Trata-se da ex-contadora do doleiro Alberto Youssef, Meire Bomfim da Silva Poza, que diz ter sido usada por policiais federais e procuradores da República como uma “informante infiltrada”.

Gontijo alega que ao desaconselharem que ela fosse assistida por um advogado quando serviu como informante pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, ambos de Curitiba, acabou privada do seu direito constitucional de ampla defesa. Mais ainda entregou documentos que hoje são usados contra ela, ou seja, forneceu prova contra si mesma.

O mais curioso é que denunciada por lavagem de dinheiro, na Vara de Moro, na Ação Penal nº 5056996-71.2016.404.7000, sua defesa utiliza as próprias palavras do juiz na decisão em que recebeu a denúncia para demonstrar a importância dela na apuração de todo este caso.

Meire auxilia a Força Tarefa da Lava Jato desde 29 de abril de 2014. A primeira prisão na operação, da doleira Nelma Kodama, ocorreu em 15 de março, dois dias antes da deflagração da primeira fase. (...)

Além de invocar as próprias palavras elogiosas do juiz, a defesa de Meire Poza arrolou nove membros da própria Força Tarefa da Lava Jato como testemunhas dela. (...)

Estão na relação de testemunhas: os procuradores da República Deltan Martinazzo Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima; os delegados Márcio Adriano Anselmo, Igor Romário de Paulo e Eduardo Mauat; os agentes Rodrigo Prado, Luiz Carlos Milhomen e ainda Gabriel (lotado em Ponta Grossa-PR); e o escrivão Mário Nunes (lotado em Florianópolis – SC).

A duvida é se eles irão confirmar a relação de proximidade que tiveram com a contadora. Mas ela dispõe de diversos e-mails e outros tipos de mensagens que trocou, em especial com o delegado Marcio Anselmo Adriano e o agente Rodrigo Prado, que mostram seus laços com a Força Tarefa.

No caso de Marcio Anselmo, uma relação mais intima em que ambos trocaram mensagens até quando ele estava de férias na Europa.

Além das mensagens há também cerca de 40 depoimentos delas em inquéritos e outros em processos judiciais, uma vez que, como ela já disse, Moro lhe pediu que se tornasse testemunha do juízo. (...)

Unknown disse...

E os desempregados não receberam nenhuma parcela!!!
Por que não lamentas???

Anônimo disse...

AZAR DO GOLEIRO.NO RIO RECEBERAM AGORA O SALÁRIO DE ABRIL.AQUI ESTÁ MAIS QUE BOM PARA ESTES SERVIDORES PETISTAS.TEM QUE FECHAR DE UMA VEZ AS FUNDAÇÕES.QUE MERDA DE ASSEMBLEIA É ESTA QUE APROVA E DEPOIS NÃO TEM PODER PARA CONCLUIR AS EXTINÇÕES?TUDO EM VÃO?ATÉ QUANDO VÃO BRINCAR DE LARGAR LIMINARES DAQUI E DALI?

Anônimo disse...

Sartóri deve cortar gastos, pois não é mais possível o povo sustentar toda essa gente se beneficiando do dinheiro público. O Estado chegou ao caos, onde investe o mínimo na Educação, pois 70% da arrecadação é para pagar o funcionalismo público. Com todo esse quadro de funcionários público, deveríamos ser o melhor Estado da Federação, mas provou o contrário, sendo vergonhoso se comparado aos outros da Federação.

Anônimo disse...

Este blog é chapa branca ao extremo com o desgoverno do Tiririca da Serra.

Justiniano disse...

Se o estado está tão quebrado que nem arroz de quinta porque o PT quer concorrer para colocar todos os seus 100 mil desempregados que, diga-se, foram enxovalhados dos cargos com a saída da Dirma, e agora os parasitas do PT querem de novo uma boquinha para mamar nas tetas do estado.

A vergonha do PT é o seu grande líder que está todos dias na crônica policial da PF e do MPF, e logo chegará ao hepta processo judicial.

Como a esgostofera dos ratos petralhas inundou o blog, xiii vamos precisar chamar Moro para desratizar o Brasil e acabar com esses ratos aqui.

Anônimo disse...

sartori ja deveria ter fechado as portas o pt deixou 52 bihoes em dividas nao investiu em nada deixou a saude educaçao e saude sucateados na pior crise do estado nao fez as obras prometidas nao pagou nem 1 mil de piso como prometeu aos professores nos 4 anos de seu desgoverno é o pt com o safado do ex governador comuna tarso genro ainda bem que nao foi reeleito foi varrido - sartori deve é fechar o estado nao tem como governar a penuria é extrema el que mande a conta pro pt pois o pt perdoou sem autorizaçao de nosso pais é perdoou dividas de paises africanos , levou trilhoes pra varios paises- financiou paises ao inves d ter investido aqui =é sartori que mande a conta pro maldito pt

Anônimo disse...

a culpado caos do pais é do maldito pt que deve ser é cassado