Perícia confirma autoria do bilhete deixado por Plínio Zalewski

A Polícia Civil gaúcha já tem a perícia grafológica do bilhete redigido pelo ex-coordenador do programa de governo do candidato Sebastião Melo, Plínio Zalewski, segundo informações de fonte oficial que o editor conseguiu há pouco. A perícia confirmou a autoria. Foi tudo escrito pelo dirigente partidário, em tom de despedida e de acusações genéricas quanto ao baixo nível da campanha feita pelos adversários.

O bilhete, manchado de sangue, foi encontrado no bolso da camisa de Plínio.

A Polícia não tem mais dúvidas de que o caso foi mesmo de suicídio, mas não quer falar oficialmente porque nem todos os laudos periiciais, sequer o laudo cadavérico, estão concluídos, o que acontecerá esta semana.

Nas redes sociais, teorias conspiratórias são alimentadas por falta de explicações cabais e oficiais sobre o caso. No final de semana, momentos antes das eleições, denúncias fortes sobre encobrimento de crime, ganharam as redes sociais - uma tentativa de comprometer o PMDB. Houve até revelações surpreendentes sobre o estado em que Plínio Zalewski teria sido encontrado, sem vestes, no banheiro, o que foi totalmente descartado pelos companheiros e amigos do assesor. Esta tarde, a Polícia disse ao editor que a cena do crime foi a que o editor já descreveu. Fotos foram colhidas do local e também testemunhos, que repelem as "revelações".

6 comentários:

Anônimo disse...

grande novidade todas campanhas sao assim de acusaoes ofensas e bla bla bla estes q morreu era do meio e era bem acostumado a isto, aqui nossas campanhas até q sao de nivel perto da campnha dos estados unidos

pt saudaçoes

marquezan 45 parabens

Anônimo disse...

A TENTATIVA NA VERDADE DESTES COMENTÁRIOS ANTES DA ELEIÇÃO, ERA DE - COMPROMETER O MARCHEZAN - E NÃO O MELLO; ALIÁS, COM A TUA AJUDINHA NÃO É POLÍBIO?

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus.
Desde quando esse tal bilhete tem alguma coisa a ver com tom de despedida.
Menos, gente.
Eu tô calejado com esse tipo de investigação farsante.
Parece que a Polícia Civil do RS, a exemplo da Polícia Civil do DF se apressou em falar que a morte do Plínio é caso de suicídio e parece que o desfecho foi rapidamente escolhido, ou seja, vão dizer que o Plínio cometeu suicídio.
Vou repetir: nem tudo que parece é.
É incrível como ninguém suspeitou dos "amigos" de churrasco em nenhum momento.
Marcos Cavalcante, irmão de Marcelo

Anônimo disse...

O tom do bilhete era mais de um demissionário do comando de uma campanha depois da descoberta de um comitê clandestino de sua campanha e do evento estilo Harry Potter no comitê do prefeito eleito de nossa cidade do que de um suicida...
Uma ou duas frases poderiam ter sido escritas depois... sob ameaça , o que justificaria os machucados encontrados...
Só temos a lamentar que hipóteses tão singelas como esta não tenham sequer sido levantadas pela polícia.
Gaúcho está virando um "profissa" em suicídios ímpares ,onde alguém se auto degola e depois apaga as digitais da faca utilizada entre outros...

Anônimo disse...

Concordo com o Marcos Cavalcante, irmão de Marcelo que foi "suicidado" em Brasília, isso tá muito estranho, pois se o Plínio fosse cometer suicídio faria isso com uma arma não uma faca, mas vamos supor que tenha sido suicídio, a polícia sem dúvida já teria descoberto os motivos e divulgado, era só o que faltava a polícia não querer manchar a honra do político depois de morto, e deixar a opinião pública sem essa informação, a qual estaria sujeita a qualquer tipo de especulação.

Anônimo disse...

Só acrescento que a facada saiu pela culatra ��������. Menos um esquerdista! Marchezan 45 neles todos. Esquerdalha! Gentalha!