É inaceitável acúmulo de cargos de Pedro Parente

É inaceitável a decisão de Pedro Parente de permanecer na presidência do Conselho de Administração da BM&FBovespa, posição que ele ocupa desde 2013, mesmo depois de assumir a presidência da Petrobrás.

Não se trata de saber se há ou não conflito intrínseco de interesses, que os há, mas é até uma evidente falta de comprometimento com a nova missão, que vai até muito além da mera gestão de empresa, porque envolve sentimentos decididamente patrióticos.

8 comentários:

Anônimo disse...

Ninguém tem compromisso com o país.

Anônimo disse...

Conflito direto de interesses, pois emp resa está na Bolsa!

Anônimo disse...

Não vejo problema nenhum.
O que interessa é o profissional que está se colocando na falida Petrobras.
O resto é rocambole de marmelada.

Anônimo disse...

Todo eles gostam de tetas. Não importa o partido.

Anônimo disse...

Esse é o velho PSDB de guerra, querem dar as cartas em todos os setores.

Anônimo disse...

A Solução é simples e de inteira responsabilidade do presidente ou autoridade com poderes para tal:

. Basta reduzir o valor do salário pago pela Petrobras daquele da BM&Bovespa. Cinco minutos para largar a boquinha.

A frouxidão ou conivência é que incentiva esses disparates.

Anônimo disse...

o dia do parente, super homem, tem 48h. Só isso.

concordo que o comprometimento é é é pequeno...

Dilma foi a Kan Kan na energia, pois no RGS não faltou energia no final ido governo FHC.

Faltava linhas de transmissão entre o Sul e o Sudeste. Isso a transformou numa mega administradora. Se voltar a abrir sua loja de 1,99, na rua Lima e Silva, será um sucesso de vendas....

Anônimo disse...

Parece quembele já deixou o anterior, não vamos nos dispersar.