Taxa de desemprego brasileira foi para 8,2%, a maior desde 2009. E ficará pior.

CLIQUE AQUI para examinar estudo que demonstra que a crise externa não é a principal responsável pela crise econômica brasileira.

A taxa de desemprego no Brasil atingiu 8,2% em fevereiro, segundo números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira. O índice é o maior para o mês desde 2009, quando chegou a 8,5%.

A recessão continuada (leia nota abaixo) produzirá mais desemprego e maior número de quebra de empresas. 

7 comentários:

Anônimo disse...

E vai aumentar muito quando os petralhas (30 mil) deixarem seus cargos comissionados.

Anônimo disse...

Com um bando de urubulinos secando..vai piorar mais! Urubulinos = coxinhas!

Anônimo disse...

Petistas não sabem administrar nem uma barraquinha de PasTel.

fred oliveira disse...

Os governos do pt quebraram o Brasil. Teremos, infelizmente, aumento do desemprego nos proximos meses e quebradeira de empresas. A recessao ainda esta' se aprofundando. O governo nao tem proposta alguma e nem credibilidade para reverter o caos. So' tenta se defender da policia.

Anônimo disse...

Não te apavore.
No tempo do PSDB era muito mais e o salário mínimo era 80 dólares - Hoje 300 reais

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Com um bando de urubulinos secando..vai piorar mais! Urubulinos = coxinhas!

23 de março de 2016 10:37

Com governo comunista como esse da sua chefe, a economia não seca, estrrica!

E aí, claro.. falta dinheiro pra dar ração pra mortadelas como você!!! hahaha

Anônimo disse...

Quem estuda um pouco de economia e tem um pouco de experiência de mercado e até no estado sabe que o desemprego sempre existiu, existe e sempre existirá. É uma ferramenta importantíssima para pressão de patrões sobre funcionários. Cansei de ver em empresas os donos das empresas, herdeiros e altos funcionários como diretores, gerentes e executivos que estão muito tem empregados, com patrimônio e renda estáveis usarem o desemprego para pressionar os que não estão na mesma situação a trabalhar mais e mais. O fator do desemprego alheio força os que estão empregados porém em cargos de menor escalão a trabalhar mais e mais, ganhar menos possível e não reclamar. Cansei de ver parentes, amigos, conhecidos e tudo mais ao meu redor que estão empregados atualmente fazendo de tudo para manter o mesmo emprego e a mesma renda.

Pois é... ninguém em qualquer situação privilegiada quer o outro cidadão comum ser um pouco mais independência.

Esperto é quem sabe disso tudo e muito mais, porém sabe tirar proveito do xadrez dos interesses.