Diretor da Petrobrás diz que ao menos 1.000 estão envolvidos em corrupção na empresa

A Petrobras já apurou o envolvimento de pelo menos mil pessoas em atos de corrupção na empresa, informou, na manhã desta sexta-feira, o diretor de governança da estatal, João Elek Junior. Segundo ele, cerca de 10 pessoas podem efetivamente ser consideradas suspeitas de atos indevidos, entre funcionários e ex-funcionários. O diretor afirmou ainda que os funcionários já foram afastados de suas funções.

"Temos conversado com uma quantidade muito grande de pessoas, mas não significa que tenha elementos de que tenham feito algo ilícito. Fizemos entrevistas, colhemos documentos com mil pessoas, a partir citações feitas em acordos de delação premiada. Se encontra evidência, agimos na empresa e em conformidade com a lei", indicou o executivo.

Segundo Elek, já foram identificadas 10 pessoas com possível envolvimento nos crimes de corrupção. "É uma quantidade pequena, até 10 pessoas com suspeita de má práticas. Elas já foram afastadas de suas funções originais e não têm autonomia para decisão", completou. Elek, entretanto, ressaltou que o numero de suspeitos pode aumentar no decorrer das investigações.

4 comentários:

Anônimo disse...

ENTÃO SÃO MAIS DE 10.000, COMO OS BALANÇOS.

Anônimo disse...

Investigações sobre corrupção no Paraná ganham juiz exclusivo

Atualizado em 31/07/2015 - 14:17

Jornal GGN - As operações Publicano (que investiga esquema de fraude fiscal e pagamento de propina a agentes da Receita do Paraná) e Voldemort (que apura o envolvimento de homens fortes do governo do tucano Beto Richa em esquemas de corrupção que implicam a campanha eleitoral e 2014) ganharam um juiz exclusivo.

Por determinação da presidência do Tribunal de Justiça do Paraná, o juiz Juliano Nanuncio, da 3ª Vara Criminal de Londrina, será encarregado de despachar exclusivamente sobre as duas investigações em andamento. Nanuncio será para a Publicano e Voldemort o que Sergio Moro, da 12ª Vara de Curitiba, é para a Operação Lava Jato, que começou desbaratando formação de cartel e pagamento de propina na Petrobras.

Segundo informações do blog do Esmael Morais, a medida não agradou os advogados, pois a figura de um juiz exclusivo tende a acelerar a tramitação dos inquéritos e dificulta o papel da defesa.


Xi...Xii.....Esse tucano periga dançar, ou não?

Anônimo disse...

A Fruta está podre.

Anônimo disse...

Lugar de ladrão é na cadeia, com os colegas do saliente petralha 17:03, que não passa de um marginal escondido, por enquanto.