Atividade da indústria gaúcha cresce em março, mas acumula resultado negativo no trimestre

O Índice de Desempenho Industrial do RS (IDI-RS) avançou 3% em março, em relação a fevereiro, descontados os efeitos sazonais. O resultado positivo está relacionado, em grande parte, ao maior número de dias úteis e interrompe uma sequência de quatro quedas. Já na comparação com o mesmo mês do ano passado, o indicador apresenta uma desaceleração de 3,1%. “Apesar de positivo, o resultado ainda não significa uma reversão do processo recessivo pelo qual passa a indústria. O fechamento do trimestre mostra que a queda é expressiva e disseminada entre os setores”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller.

Também permanece negativo o acumulado de 2015. A indústria gaúcha encerrou o primeiro trimestre com uma contração de 8,2%, ante o mesmo período do ano passado. Desde o início da série histórica em 1992, apenas 2006 (-8,4%) e 2009 (-15,7%) registraram desempenho piores.


Nos três primeiros meses do ano, todos os componentes do IDI-RS recuaram, com destaque para compras industriais de insumos e matérias-primas (-18,1%), faturamento real (-8,8%) e horas trabalhadas na produção (-7,9%). Os fortes impactos ocorreram nos seguintes setores: Montagem de veículos (-21,8%), Máquinas e Equipamentos (-18,2%), Químicos e Refino de Petróleo (-10,4%), Vestuário (-9,2%) e Móveis (-8%).

Nenhum comentário: