Petrobras destrói gravações com provas sobre ações de Dilma no Conselho de Administração

Registros continham discussões sobre obras investigadas e a participação de Dilma na compra da Refinaria de Pasadena

A Petrobras destruiu gravações das reuniões de seu Conselho de Administração, incluindo aquelas que trataram de negócios investigados na Operação Lava-Jato. Segundo reportagem do jornal Estado de S.Paulo, a empresa alegou que áudios e vídeos com os diálogos dos conselheiros são "eliminados" após a formalização das atas dos encontros. Entre os registros que teriam sido apagados estavam as reuniões que contaram com a presença da presidente Dilma Rousseff, que chefiou o conselho de 2003 a 2010, no período em que era ministra da Casa Civil do governo de Luís Inácio Lula da Silva.

Os assuntos debatidos nas reuniões são registrados nas atas, mas não integralmente, o que tem levado a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras e o Tribunal de Contas da União (TCU) a cobrar da estatal o paradeiro das gravações, que poderiam detalhar eventuais irregularidades cometidas pelos conselheiros no exercício de suas funções. Entre as atribuições dos conselheiros está a aprovação das principais obras da empresa, incluindo empreendimentos investigados na Lava-Jato.

Os novos rumos 
da Lava-Jato

Diante da protelação da Petrobras para responder à solicitação, a CPI deu prazo até segunda-feira para a entrega dos registros existentes sobre os encontros, e não descarta requerer uma busca da Polícia Federal na sede da empresa, no Rio de Janeiro. O TCU decidiu checar se os conselhos Fiscal e de Administração da Petrobras praticaram "atos de gestão ruinosa ou deixaram de atuar com o necessário dever de cuidado" ao aprovar obras e serviços da companhia. Isso, segundo o jornal, significa que a presidente Dilma pode ser implicada por eventuais falhas detectadas nas auditorias.

Desde o início de fevereiro, o jornal vinha questionando a empresa sobre as gravações, sem sucesso. Os pedidos, então, foram feitos pela Lei de Acesso à Informação. Em resposta, a Petrobras informou que as reuniões do Conselho de Administração são registradas por meio de gravador "colocado na sala" do encontro e também por meio de videoconferência. "Após as respectivas atas serem aprovadas e assinadas por todos os membros das respectivas reuniões, as gravações são eliminadas", alegou a estatal. Isso compreenderia as reuniões de março de 2006, com presença de Dilma, e de 2012, quando foram aprovadas as duas etapas da compra da refinaria de Pasadena.


A Petrobras alega que a destruição está prevista no Regimento Interno do Conselho de Administração, embora não tenha apresentado o documento ao TCU. A corte agora quer saber em que condições os arquivos são apagados e desde quando.

11 comentários:

Anônimo disse...

Com provas contra Dillma, Gerdau e outros vagabundos mais. Mas, comenta-se que Mister Obama teria cópia das gravações. Quem viver, verá.....@fitzca

Anônimo disse...

Mais uma conduta claramente criminosa do governo Lulla-Dilma, alegar que não sabia é claramente mais outra mentira.

Anônimo disse...

Políbio, trata-se da petralha estúpida, mas será que ela e seus comparsas do conselho seriam tão burros de tratar de alguma trambicagem sabendo que estavam sendo gravados? Não acredito, a estupidez tem limites mesmo para a Dilma!

Anônimo disse...

E ainda tem quem acredite na inocencia dos envolvidos. Destruir provas não é crime?

Anônimo disse...

Foi o mesmo método usado quando era a ministro da casa civil e foi confrontada com uma
funcionária da receita que disse que foi chamada ao palácio para prevaricar num processo contra o filho do Sarney.

Anônimo disse...

E O stf SOLTOU OS OUTROS PARA FAZEREM A MESMA COISA.

Anônimo disse...

E DILMAR FALAVA DE ENGAVETADORES, TÁ CERTO O PT É DESTRUIDOR DE DOCUMENTOS.

O CONSELHO DEVE PEDIR EXPLICAÇÕES.

EMPRESA COM AÇÕES NA BOLSA, E FAZ ISSO ???

Anônimo disse...

ORA! ORA! SANTA INGENUIDADE!

Esperar que a MÁFIA guarde gravações de conversas intimas entre membros dela. ISTO NÃO EXISTE!

MAS, alguém tem ESTAS guardadas!

Luiz Vargas disse...

Atas podem ser reescritas e assinaturas podem ser novamente apostadas, uma vez que o quê havia não era um conselho na PeTrobrás e sim uma quadrilha.
Muito interessante e instigante a destruição destas gravações.
A Vaca To$$idora tem folha corrida neste campo:
- Mentiu que tinha mestrado (quando confrontada com a verdade alegou que um um erro na plataforma Lattes);
- Mentiu que tinha doutorado (quando confrontada com a verdade alegou que um um erro na plataforma Lattes);
- Mentiu, quando chefe da casa civil da PR, que haviam feito um "banco de dados", mas na realidade era um dossiê eivado de falácias contra Ruth Cardoso;
- *Mentiu que não havia recebido a Secretária da Receita Federal Lina Vieira nas dependências do palácio do PlanalTo para pedir arreglo para um dos maiores larápios da história do país, Zé $arney.
*Neste caso, como ocorreu no caso da destruição das gravações das reuniões do con$elho da PeTrobrás, as fitas de vídeo e os livros de controle de ingresso nas dependências do palácio do PlanalTo sumiram.
Estamos ou não estamos sendo governados por criminosos integrantes de um bando quadrilheiro homiziado em um certo ParTido PolíTico?
Num país sério e decente esta govenAnta estaria presa (com o aval do IBAMA).

Anônimo disse...

Solicitação à NSA já!

Anônimo disse...


Não se preocupem. O "Dr" Jorge tem ótima memória e, quando necessário, irá DECLAMAR as reuniões... kkkkkkk
Este povinho merece.

Eu.