Entrevista, Osmar Terra - A legalização das drogas favorecerá o ingresso das grandes indústrias no negócio

Há  como descriminalizar o usuário sem levar em conta a descriminalização do tráfico ?
Haverá um aumento enorme do consumo. É a experiência dos países que tentaram fazer isso

Ou seja, o traficante será beneficiado ?
Com o aumento do consumo e o tráfico continuando na ilegalidade, haverá um aumento do lucro do traficante. Quem vai fornecer a droga para esse consumo aumentar? O tráfico, que não será legalizado.
       
Neste caso também aumentará a criminalidade ?
Sim, com tudo que o tráfico traz com ele

Mas nem  toda a violência é oriunda do tráfico.
Eu nunca disse isto. O caso tem a ver com a ação específica da droga, com a compulsão que ela causa, com o desespero para adquiri-la, que é outra questão que temos que analisar também quando se discute o problema das drogas. Descriminalizar totalmente o usuário vai aumentar o consumo exponencialmente e fará crescer a estrutura do tráfico.

Em casos de legalização, como no Uruguai, quem mais ganha ?
A legalizada a droga demonstra que  o tráfico poderia ser comandado por grandes indústrias.

Grandes indústrias ?
 Esta história de achar que todo mundo que quer fumar vai plantar maconha no quintal de casa é pura bobagem. Na verdade, vai haver produção em grande escala, uma industrialização. As próprias indústrias que vivem do vício hoje, da dependência química do cigarro, da bebida, vão entrar nesse mercado, em escala gigantesca. Isso fará com que um número muito maior de pessoas passe a utilizar drogas, tornando-se dependentes. Hoje, 1% da população brasileira usa crack. Se liberarmos seu comércio, iremos para um patamar de 18% de usuários – no mínimo, igual ao de fumantes 

3 comentários:

Unknown disse...

Como por exemplo as FARC do Foro de São Paulo. Tupamaro, Mir Chileno e tudo mais.

Anônimo disse...

O Brasil precisa de mais políticos como o Osmar Terra, que está realmente preocupado com o país, e existem muito poucos como ele, dá para contar nos dedos das mãos!

Anônimo disse...

Quanta besteira. Se a venda for regulamentada pq o usuário se arriscará a comprar de um traficante? O modelo uruguaio se mostrará em alguns anos a melhor alternativa ao combate a criminalidade provinda do tráfico. Mesmo as políticas enganosas de maconha medicinal implantadas na Califórnia ja se mostraram mais eficazes que o modelo de guerra às drogas brasileiro.