Entenda como ficou a economia brasileira ao final do primeiro trimestre

No artigo a seguir, publicado no Estadão, José Roberto Mendonça de Barros diz que quando a melhor defesa da política econômica é expressa em frases do tipo "Não estamos à beira do abismo", "A inflação não vai sair do controle" ou "Tem gente crescendo menos", é que as coisas não vão bem. Leia toda a análise:

É o que parece estar acontecendo agora. Ao final do primeiro trimestre do ano, a conjuntura esta marcada pelos seguintes fatores:


1 - A inflação está em alta, puxada por alimentos e serviços. A seca do início do ano reduziu a produção de muitos itens, com efeitos evidentes nos índices de custo de vida. Café, cana, hortigranjeiros, carnes e frutas foram afetados. O leite sobe em plena safra e assim deverá continuar a ocorrer até o segundo semestre. Neste período, as quebras na produção irão também afetar o feijão e o etanol (a redução na produção de cana é hoje estimada em mais de 40 milhões de toneladas, resultando numa perda de 1 bilhão de litros de álcool e 2 milhões de toneladas de açúcar). A firmeza dos preços internacionais reforça o quadro: os estoques de soja nos EUA estão muito baixos, a demanda chinesa continua surpreendendo a muitos pela sua firmeza e o preço da carne suína explodiu, como resultado de um vírus que está afetando bastante a produção.

CLIQUE AQUI para ler toda a análise. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Bom mesmo era a época do FHC onde a inflação NUNCA ficava na meta.

Anônimo disse...

PIMCO não compra
ação da Globo nem da Folha:

A editoria “o Brasil é uma m…”, do jn, já está nos preços.

Liga o Vasco, navegante de longo curso, ancorado na península de Sebastopol, na Crimeia russa, onde contempla a mais recente vitória dos colonistas (*) do PiG (**).

- Você viu a PIMCO ?

- Que PIMCO, Vasco ? Tomaste muita vodca ucraniana ?

- PIMCO, o maior fundo de investimentos em títulos soberanos do mundo …

- Você quer dizer em títulos de governos …

- Exatamente. A PIMCO tem US$ 2 trilhões – quase um PIB brasileiro – de ativos sob sua gestão !

- É quase um Brasil, Vasco !

- Isso mesmo.

- E o que disse o PIMCO ?

- Não é o PIMCO, sua anta. É a Pacific Investment Management Company, da California !

- Desculpe a ignorância. É que eu só assisto à Urubóloga …

- A PIMCO está otimista com o Brasil !

- Deve ser um louco desvairado ! Ou não assiste à Globo !

- Não, acho que não. Lá na Califórnia, a Globo só entra em português e não é a língua dos nativos.

- Mas, e a PIMCO ? Está otimista por que ?

- Segundo Valor, …

- O PiG cheiroso …

- O PiG cheiroso, como você quer, na página C 14 desta terça-feira, “o mercado pode estar ignorando inúmeros pontos fortes do Brasil”.

- Não me surpreende. O Mercado ignora, por definição …

- Tem mais: a PIMCO se surpreendeu com o pessimismo dos investidores locais.

- É que os locais acreditam na Urubóloga…

- A PIMCO ressalta os pontos fortes do Brasil: o tamanho, os baixos custos dos recursos naturais, demografia favorável, sistema bancário saudável e bem regulamentado, e um sistema político democrático.

- E a infra-estrutura, que empaca no PiG ?

- Sobre a infra-estrutura, a PIMCO diz “o governo está gradualmente fazendo progressos em algumas frentes”.

- Interessante. A PIMCO manda comprar Brasil ?

- Sim! Diz que “um monte de más notícias estão precificadas”.

- Sim, o que significa …

- Que a Globo não vai mais conseguir derrubar o valor das ações, porque a editoria do “Brasil é uma m…” do jornal nacional já foi incorporada aos preços …

- Você sabe se a PIMCO recomenda comprar ações da Globo ou da Folha ?

- E que cliente acataria a recomendação ?

Pano rápido !