Suspensão de planos de saúde não vale mais. Justiça manda ministro Padilha refazer cálculos.

A Justiça determinou à ANS (Agência Nacional de Saúde) que refaça os cálculos das reclamações dos usuários de operadoras de saúde antes de suspender a venda de novos planos à população. Mais cedo, o governo havia anunciado a suspensão nas vendas de 246 planos de saúde de 26 operadoras a partir da próxima sexta-feira.

. Na decisão que deferiu "parcialmente" os pedidos da FenaSaúde (Federação Nacional da Saúde Suplementar), que reúne empresas como Amil e Sul América, o desembargador Aluisio Gonçalves de Castro Mendes, do TRF (Tribunal Regional Federal) da 2ª Região, afirmou que a agência não pode considerar reclamações que "não foram objeto de análise", outras sobre as quais ainda se faz necessária a "realização de diligências" e ainda aquelas sobre a "não obrigatoriedade de cobertura" pelos planos, "até o julgamento definitivo do presente agravo de instrumento".

4 comentários:

Anônimo disse...

nao sabe nem fazer "continha de mais e de menos" e quer ser governador de Sampa?

paulistada, fiquem de olho!

Anônimo disse...

Incompetência, descaso e total ausência do estado na área da saúde deu nisso.
Todo mundo querendo ou não, podendo ou não, teve que recorrer aos planos de saúde que não estão dando conta.
E vai ficar muito pior.


Anônimo disse...

Julgamento definitivo quer dizer prás calendas gregas.

Anônimo disse...

Quanto será que estão ganhando para acabar com a concorrência?