Saída de estrangeiros da Bovespa em junho é a maior desde setembro de 2012

Nesta reportagem do jornal Folha de S. Paulo, fica claro que boa parte das últimas fortes quedas da Bolsa deve-se à saída líquida de recursos de investidores estrangeiros da Bolsa brasileira --diferença entre compras e vendas de ações- que foi de R$ 4,07 bilhões em junho, o maior desde os R$ 4,17 bilhões de setembro de 2012. Leia mais:

O cenário global de maior aversão ao risco, com incertezas sobre o futuro dos estímulos econômicos nos EUA, e a deterioração das perspectivas em relação à economia doméstica contribuíram para a fuga de recursos, de acordo com especialistas ouvidos pela Folha. 

. A saída poderia ter sido ainda maior não fosse a entrada de pouco mais de R$ 1 bilhão por investidores estrangeiros na Bolsa paulista apenas no último pregão do mês passado.

. Segundo os últimos dados publicados no site da BM&FBovespa, as compras feitas por estrangeiros somaram R$ 76,62 bilhões na bolsa paulista em junho, enquanto as vendas ficaram em R$ 80,69 bilhões. O Ibovespa registrou queda de 11,3% no mês.

. Para Pedro Galdi, analista da SLW Corretora, a saída é reflexo do discurso de Ben Bernanke, presidente do Fed (Banco Central americano), no final do mês passado. Na ocasião, ele definiu um cronograma para a redução de seu programa de recompra de títulos, que atualmente é de US$ 85 bilhões por mês.
"Houve um efeito psicológico que fez o dólar se valorizar frente a outras divisas e causou uma fuga de capital, principalmente nos países emergentes", afirma. Esse efeito é resultado da expectativa de que a retirada dos estímulos provoque o aumento da taxa de juros básico nos Estados Unidos, atraindo mais investidores para o mercado americano. "Em setembro, caso o Fed retire os estímulos, deve haver nova fuga de capital e novas turbulências nos mercados", afirma Galdi. No acumulado do ano, o saldo de recursos externos na Bovespa ainda estava positivo em R$ 4,23 bilhões no encerramento do primeiro trimestre. Na média de 2013, os estrangeiros respondem por 42,5% do volume negociado na bolsa paulista.
No grupo de investidores institucionais, que representam 32,8% do giro da bolsa, houve entrada de R$ 2,41 bilhões em junho. Já o saldo de recursos de pessoas físicas, que têm participação de 15,7%, ficou positivo em R$ 749,48 milhões no mês passado.

4 comentários:

Anônimo disse...

E mesmo asssim o Brasil é o 4o pais do mundo que mais recebe investimentos dos estrangeiros, segundo a ultima pesquisa. Dizem que atualmente é o segundo.

Prova, de qualquer forma, que o Brasil não é uma ilha e que está inserido no contexto mundial, com a diferença que não entramos em recessão, estamos em pleno empregos, a elite cada vez mais viajando e comprando nos states e ainda a economia cresce mais que qualquer pais da Europa.

Uma coisa todos concordam, os gastos públicos precisam e devem ser melhor empregados, em todos os níveis de governos e poderes.

Anônimo disse...

E viva o Eike Batista que, com seu eminente calote de quase 100 bilhões de Reais, já está prejudicando a imagem do Brasil.

Cultuado pela midia e pelos direitosos capitalistas, que enriqueceu graças as informações privilegiadas obtitas pelo seu pai, Elieser Batista (governo FHC), está a beira da falência e, com ele, a reboque, muitos outros.

Viva os espertinhos, pois a fortuna pessoal, com certeza ficará intácta.

Cadeia nele...

Anônimo disse...

ESTE TEM QUE SER PRESO, DA MESMA MANEIRA QUE PRENDERAM OS MENSALEIROS DO PT.

FAÇANHA"Integralista" disse...

Só loucos, brasileiros ou extrangeiros, deixarão investimentos neste país afundado na esculhambação petista.
Luis Ignacio e Dilma presidentes...