Tony Proença reassumiu, afastou vereadora do PCdoB e implodiu CPI do Instituto Ronaldinho Gaúcho

Caiu por terra a manobra do PT de criar a chamada CPI do Instituto Ronaldinho Gaúcho, cujo único objetivo era constranger a administração do prefeito José Fogaça em plena campanha eleitoral. O PT fez isto todos os anos no decorrer do governo Yeda Crusius e conseguiu desgastá-la eleitoralmente. O caso do IRG é investigado pelo Ministério Público Estadual e Tribunal de Contas, mas a oposição queria transformar as investigações num trunfo político e eleitoral.

. Acontece que nesta quinta-feira reassumiu sua cadeira o vereador Tony Proença, PPL, que tomou o cargo de volta da suplente Maristela Maffei, PCdoB, que havia aposto no requerimento de convocação da CPI a 12a. assinatura que faltava. Com isto, a assinatura da comunista não vale mais nada e a CPI não sairá.

- Assinaram o requerimento os 6 vereadores do PT, um de cada bancada do PSB, PPS e PSD, mais 2 do PSOL, somando 11 assinaturas. Falta apenas um nome. 

3 comentários:

Mario Rangel disse...

Não acredito que o Sr. Políbio tenha esta visão da CPI. Os cofres públicos, dinheiro do portoalegrense, foram usados ilegalmente e o senhor vem defender a não realização de uma CPI?

Se a Prefeitura e Fortunati não devem, não têm nada a temer.

Anônimo disse...

A boba perdeu a boquinha de c$14000 edus

Anônimo disse...

Mário Rangel, reponde rápido, sem pestanejar : em quanto foi reduzido o valor da habilitação aqui no RS ? Pois é meu caro, CPI para avacalhar politicamente os adversário e não dar em nada é melhor nem começar !