Saiba como o prefeito Marchezan Júnior equilibrou as contas públicas, herança maldita que recebeu de Fortunati

 - O título original do artigo é "Contas do Município de Porto Alegre, 2008 – a junho 2020". A análise do economista Darcy F.C. dos Santos está recheada de gráficos, tabelas e tem 30 páginas.

A atual administração do prefeito Marchezan Júnior fez um ajuste nas contas do município, tanto pelo lado da receita, como o da despesa. Pelo lado da despesa, foram eliminados os adicionais de tempo de serviço e transformados os triênios  de 5% a cada três anos, para 3% a cada 5 anos. Para ter uma ideia dessa redução basta citar que em 15 anos havia um acréscimo de 25 que baixou para 9%. Pelo lado da receita foi aumentada a arrecadação do IPTU, do ISQN,  das taxas e da receita de contribuições, embora uma parte do acréscimo constante das demonstrações documentos contábeis se deva à mudança de critério ocorrida a partir de 2018. Já pelo

Os efeitos mais imediatos ocorreram no lado da receita, enquanto os da despesa ocorrem de  forma mais lenta.

O mesmo pode ser dito da reforma da previdência, com a implantação da previdência complementar. A adaptação à reforma federal tramita na Câmara de Vereadores. Trata-se de uma necessidade, já que em três anos, 2017-2019,  os encargos previdenciários cresceram 22 vezes mais que a contribuição dos servidores.

CLIQUE AQUI para ler o texto completo no blog dos economistas Darcy Francisco Carvalho dos Santos e Roberto Calazans.

27 comentários:

Eduardo disse...

Pode ter equilibrado as contas atrasadas....polibio te informa a prefeitura ta com um passivo de 240 milhões.
Isso que governo federal aportou milhões nessa jossa.
Esse prefeito esta no vermelho e com salario dos operarios em 960 reais, aliás com o valor dos mercados nem sei como esses caras sustentam as famílias

Unknown disse...

Prefeituras viraram feudos dos servidores públicos, tudo é pra eles, se sobrar algum fazem obras, senão ficam fazendo de conta aumentando os impostos, vereadores não servem pra nada, só pensam no seu umbigo.

ricardo k s disse...

Kkk, dobrando o iptu qualquer um consegue!

Anônimo disse...

não entendo - será por isso que querem tirar ele ?

Anônimo disse...

Aham, editor. O que explica estar só com 10% nas pesquisas?

Anônimo disse...

Tirando o dinheiro de terceiros é fácil.

Anônimo disse...

Todos sabemos como ele equilibrou as contas: enfiando a mão na bolsa do porto-alegrense com um aumento safado e escorchante do IPTU, que por si só já é um imposto cretino, que nada tem a ver com serviços prestados pela prefeitura, nem com o espaço ocupado pelo imóvel, e sim com quanto quem o possui, em teoria, pode ser assaltado financeiramente pela prefeitura.

Anônimo disse...

Não fez nada nos 3 primeiros anos para deixar para o último ano, ou seja, ano de eleiçã.

Anônimo disse...

As custas do povo.

Anônimo disse...

Fortunati no primeiro debate explicou que as contas da Prefeitura foram super estimadas nas despesas. Portanto a análise do economista Darcy F.C. dos Santos se basearam em informações, conforme Fortunati, que não são verídicas.

Mas gostaria que meu candidato Fortunati, enviasse resposta ao Editor pela inferência de "Herança Maldita" tentando vincular sua administração com o PT.

Anônimo disse...

O QUE É ISSO?

GRAMSCISMO DIA E NOITE.


É O COMUNISMO AVANÇANDO SEMPRE.

Anônimo disse...

Fortunati, enganador e demagogo como a estatura dele. PORTOALEGRENSES, vão cair novamente nesse papo.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

O Prefeito Marchezan se tornou um político profissional. Até porque na Iniciativa Privada teria que batalhar muito para receber o que recebe como político. Hoje a política se tornou profissão porque é o que mais bem paga sem que sejam obrigados a prestar contas. Cabe ao povo mudar essa situação. Vejam quantos candidatos a Prefeito e Vereadores surgiram. Vergonhoso! É de se questionar.

Anônimo disse...

Aí que está a questão, equalizou as contas e não fez nada pela cidade. A capital precisa de um prefeito não de um contabilista

Elvino Bombas Goiaba disse...

Incrível, o dorminhoco Fortunati ainda atrai meia dúzia de tontos.

Anônimo disse...

Nao vamos pagar. Deixem ser troxas que elles vem de joelhos pela metade.

Anônimo disse...

Por que será que ele não se atreveu em atrasar os salários dos funcionários de POA? Já sei a tomada de contas iria deixar ele mais arrombado. Kkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Assaltando o porto alegrense com esse aumentao do IPTU , fica facil melhorar situação.

Anônimo disse...


Júnior, com iptu e sem obras...
fortunatti muito bom.... terminou a tempo todas as obras da copa...
Porto Alegre, não merece...

Anônimo disse...

Torço para que a câmara de vereadores de um pontapé no traseiro desse prefeito mentiroso, que disse que não haveria aumento de impostos. O que ele fez com o IPTU desta cidade é um assalto ao bolso dos contribuintes. Pelo menos da metade, já que a outra metade ele reduziu ou isentou do imposto, com certeza para garantir o voto para a reeleição, mas não vai levar.

Anônimo disse...

Mas não era este aí que queria impor um pedágio para carros de fora, enterrando de vez o fraco turismo na cidade. Agora virou o salvador? Papinho...

Anônimo disse...

Se for o mesmo Darcy F.C. dos Santos que pesquisei, é servidor publico do estado aposentado.

Notei que a maioria da elite que ganha mais de 30.000,00 por mês defende ferozmente as reformas da previdência em cima de quem não ganha na melhor situação R$6.000.00 mensais.

Não precisa ser economista para dizer que a base da pirâmide sustenta o topo.

Na minha opinião a grande maioria destes "artigos" são puro medo do poço secar.


Unknown disse...

Votei nessa criatura no 2o turno, também não aguentava mais Melo que decepção, não tem uma obra dele na periferia Raul Pont vinha pessoalmente visitar as obras

Anônimo disse...

Faltou dizer que o servidores não ganharam em nenhum dos anos desta gestão reposição salarial.

Anônimo disse...


Economista?

Se aposentou como Auditor público do Estado. Mais um que vive com o dinheiro suado do contribuinte.