Fachin abre processo no STF para investigar denúncia de caixa 2 contra Onyx Lorenzoni. Moro defende Onyx.

O novo ministro da Justiça e da Segurança Público, Sérgio Moro, saiu em defesa de Onyx e disse que ele tem sua confiança pessoal.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin atendeu pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e determinou a abertura de uma petição autônoma específica para analisar as acusações de caixa 2 feitas por delatores da JBS ao futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), e a outros dez parlamentares que prosseguirão com foro em 2019.

Pesam sobre Onyx Lorenzoni o relato e planilhas dando conta de pagamentos de R$ 100 mil em 2012 e R$ 200 mil em 2014. Em sua decisão, Fachin determinou que as novas petições sejam submetidas à livre distribuição entre os ministros - à exceção de Dias Toffoli, que preside a Corte - para que um relator seja escolhido.

Onyx Lorenzoni negou, no dia 14, ter recebido caixa 2 em 2012. Ao chegar no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde coordena a transição governamental, disse que "se requenta uma informação do ano passado dada por alguém que não sei quem é". Falou também, em entrevista à Rádio Gaúcha, que "em 2012 nem era candidato" e que "não tem nada a ver com essa história"

12 comentários:

Anônimo disse...

Querem se encarnar no Onyx agora.Esquecem que estão loucos para libertar o maior corrupto que pisou no planeta?Esta turma do STF é um bando de pilantras.Vão se preocupar em prender a Dilma,Gleisy,mandar o Dirceu de volta pra cadeia,botar um fim nos pedidos do lula pra sair da prisão...que cambada

Anônimo disse...

Tem mais gente da terrinha junto.
Olha todo o time.
O Antagonista.

Na mesma decisão que autorizou investigação sobre o caixa 2 pago pela JBS a Onyx Lorenzoni, Edson Fachin também determinou apuração de repasses não declarados para campanhas dos deputados Alceu Moreira (MDB-RS), Marcelo Castro (MDB-PI), Jerônimo Goergen (PP-RS), Paulo Teixeira (PT-SP) e Zé Silva (SD-MG), e dos senadores Ciro Nogueira (PP-PI), Eduardo Braga (MDB-AM), Renan Calheiros (MDB-AL) e Wellington Fagundes (PR-MT).




Anônimo disse...

Pra que investigar se o próprio Onyx já assumiu o caixa 2 e pediu desculpas.
Deixem o cara trabalhar, ele já pediu desculpas, kkkkkkkkk.

Anônimo disse...

Onyx errou ?
Sim.
Mas pegou 100 mil para campanha, não para ele.
E os que enriqueceram ?

Anônimo disse...

Corrupto confesso! Safado que bradava contra a corrupção do PT e agora é ministro de Bolsonaro,que disse não admitir corrupto. Bando de VAGABUNDOS!

Anônimo disse...

Que bom. Pena que a mesma celetridade não havia à época da quadrilha, digo, petê.
Mas agora (stf, mpf) vão cozinhá-lo por anos e usar esse processo como motivo de chantagem. Ou vocês acham que essa demora é gratuita?

Anônimo disse...

Se Onyx for culpado ele se enquadra como Lula, Dilma e José Dirceu, para ser ser ladrão não precisa roubar milhões, basta somente roubar ou se apropriar daqui que não é seu e caixa se enquadra nesta linha.

Anônimo disse...

>>

Não. Moro não defendeu Onyx.

Moro disse apenas que 'pessoalmente', ele confia em Onyx.

<<

Anônimo disse...

Sérgio Moro perdeu a oportunidade de ficar calado. R$ 100.000,00 ou R$ 100.000.000,00 não declarados é caixa dois, sim!!!
Senhor Onyx Lorenzoni, V.Sa. entrou de gaiato nesta estória da JBS, mas as eventuais atitudes complacentes no seu caso, servirão de argumento para aliviar para os verdadeiros delinqüentes que também não declararam o caixa dois em quantias muito mais vultosas e realmente de origem propinada.
Creio que seria profícua, por uma questão de desembaraço para o Predidente, a sua renúncia, enquanto aguarda o desenrolar das investigações. Até porque, V.Sa. seria tão útil quanto se assumisse seu cargo de Deputado Federal eleito junto à Câmara dos Deputados. Sds.

Anônimo disse...

Tu tem bandido de estimação, é? Se faz coisa errada tem que ir pra cadeia não interessa quem seja ou a que partido pertença!

Anônimo disse...

Moro virou político. Ou melhor, já tinha partido, só que agora saiu do armário.

Anônimo disse...

E o angorá?
Jorge