Esmagadora maioria aprova adesão do MDB ao governo Eduardo Leite

O editor acompanhou a reunião desde o Galpão Crioulo, onde se encontrava Sartori e boa parte do secretariado. Não houve reação contrária à decisão.

Foi esmagadora a maioria do diretório estadual do MDB que decidiu aderir ao governo tucano de Eduardo Leite.

O comparecimento foi recorde: 64 dos 71 membros.

A votação secreta resultou em 47 votos favoráveis, nove contra e dois nulos.

O maior defensor da adesão foi o secretário da  Segurança Pública, Cesar Schirmer.

A maioria alegou que existe identidade programática muito grande entre os governos Sartori e Leite.

24 comentários:

Anônimo disse...

Não precisa mais haver Eleições, visto que os perdedores logo aderem ao ganhador. Só querem saber de espaço e cargos, o resto que se exploda. A política está nojenta.

Anônimo disse...

Deputados para queremos? Bando de calhordas! O RS merece mesmo ficar no fundo do poço. Mamadores do meu dinheiro.
Joel

Anônimo disse...

E OS ELEITORES PARTICIPARAM DAS ELEIÇÕES PARA FAZER MUDANÇAS NA POLÍTICA DO RS, assistindo aos debates e aos enfrentamentos, xingamentos, troca de ofensas e debates eleitorais.
Depois foi votar, ficou horas na fila por causa do cadastramento biométrico.
enfim, tudo não passou de um circo!

Anônimo disse...

Não tem programa, então só o fisiologismo para estar perto do poder.

Alberto disse...

Máfia.

Anônimo disse...

Polibio, já que o PMDB...MDB está no governo agora...
Deve elogiar e mudar te rumo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

MDB em sua essência: fisiológico. Depois ficam dizendo que aqui no RS é diferente, só se for há 30 anos...

Anônimo disse...

Bando de adesistas. JR

Anônimo disse...

Não importa quem esteja na situação.
Lá está o PMDB sempre apoiando a situação em troca de cargos. O partido sem personalidade, sempre buscando uma teta pra mamar.

Anônimo disse...

O Governador Eduardo Leite está promovendo o maior Centrão Político no RS. Igual ao que Geraldo Alckmin queria fazer. Dar boquinha para todos os que não conseguiram se eleger. Por isso o MDB aderiu ao máximo seu governo. Ou estarão desempregados. Fora Eduardo Leite. Chega de atraso.

Anônimo disse...

Os profissionais políticos ou entram pelo voto ou entram pelo loteamento de cargos. Desempregados não ficam, até porque na iniciativa privada tem que dizer a que veio e ganham pouco.

Anônimo disse...

Todos temiam o governo de Eduardo Leite. Está se materializando. Agora é tarde.

Anônimo disse...

Concordo. O sistema político esta apodrecido. São todos farinha do mesmo saco após eleição. Bolsonaro veio para ficar por muitos anos e espero que ajude a enterrar muito destes partidos do toma lá dá cá.

Anônimo disse...

MDB quadrilhão não larga o osso enquanto puder roubar.

Anônimo disse...

Alguém tem que avisar a esses velhacos do PMDB que os que votaram no polentão, votaram para que fossem oposição à governadora de Pelotas! Caso contrário, não precisaria eleição, não é mesmo?

Anônimo disse...


Muitos conhecidos do partido já estavam descontentes com o rumo que o PMDB tem tomado nos últimos anos. Governar com o PT já levou a uma debandada grande de filiados. Depois de perder duas eleições para o PSDB e a maioria do partido decide apoiar o Eduardo Leite ficando contente com o resto que sobrar do PTB e PP... Joguei a toalha.

Anônimo disse...

Alguma novidade nisso, tudo fisiologismo "rasteiro", agora vem o carguinho "prá" vice-"presidenta" derrotada e assim vai o Rio Grande a bancarrota, complementando com a defensora da ideologia de gênero como secretária da Cultura, logo teremos o "Queermuseu para nossas crianças. Já não tenho mais nenhum "butiá no bolso".

Anônimo disse...

É óbvia a identidade programática entre PMDB(do RS) e PSDB. Só não quer ver quem não quer. Também deveriam serem criados dois partidos importantes, assim como nos EUA. Nos EUA existem vários partidos, assim como no Brasil, mas lá só há dois importantes um de ``esquerda`` chamado de Democrata e outro de ``direita`` com o nome de Republicano. Ou alguém acha que há 35 identidades programáticas diferentes. Mas o que mais interessa é se os políticos do MDB irão votar de acordo com o que sempre defenderam. Não é porque o governo é diferente, e só por birra, votar contra. O Estado é mais importante do que briga que não leva a nada.

Anônimo disse...

A política não é nojenta amigo. Nojento s são esses que aí estão citados. Qualquer noticiário sobre os atuais falsos gestores públicos tinha que ser elaborado pela reportagem policial. Fora da área criminal não há teoria para compreender o que acontece em cada quinhão do nosso Brasil.

Luiz Vargas disse...

É o velho toma lá, dá cá funcionando em todo seu esplendor.
O governo do Dudu Papanicolau nem iniciou e o que prometia ser novo, velho está.
Quatro anos pela frente de trancos e solavancos.

Anônimo disse...

os que votaram no Leite Moça queriam votar NO NOVO; NAS MUDANÇAS. kkkkkk BAITA TROUXAS

Anônimo disse...

Queria saber o q levou essas duas pessoas a comparecerem para votar nulo rsrsrs

Anônimo disse...

Realmente estranho, mas se ajudar o estado a sair da falência, nada a reclamar!

Por ouro lado, gostaria de saber o que Eduardo Leite ofereceu as esquerdas alucinadas para aderirem tão prontamente ao aumento de ICMS!

Carlos Edison Domingues disse...

POLIBIO Bom dia! Ainda não li todas as manifestações das pessoas que tomaram conhecimento desta notícia, a respeito da decisão do Movimento. A leitura rápida e superficial revelou o desânimo do eleitor. Esta adesão me faz lembrar o tempo que existiam o Partido de Representação Popular e o Partido Libertador; para o P.R.P. mudava o governo e esta legenda não pedia nada para o adversário, que estava assumindo, não pedia nem demissão dos cargos que ocupava no governo anterior. Já com o Partido Libertador (maragatos) era ao contrário; ajudava a eleger Ildo Meneghetti em outubro, mas em novembro já rompia por divergências na composição do governo e os planos apresentados durante a campanha eleitoral. O comportamento da classe política atual justifica a vitória do P.S.L. Carlos Edison Domingues